InternetData CenterAssinante

A importância de brincar na infância

Realizar o resgate de brincadeiras antigas e brinquedos é fundamental
A importância de brincar na infância
Foto: Divulgação
Por Redação Engeplus Em 10/10/2018 às 22:00

Pique esconde e pega-pega são brincadeiras que, apesar de antigas, ainda estão presentes na vida de algumas crianças. Isabella, Livia e Larissa, que apesar de viverem em um período tecnológico, ainda optam por brincadeiras corriqueiras. Nesse Dia das Crianças é importante resgatar as velhas brincadeiras e brinquedos para possibilitar os pequenos a conheceram e aprenderem sobre coisas novas, desta forma desenvolvendo o crescimento.

Isabella Feltrin mostra que a idade não importa, o importante mesmo é brincar. “Quantos anos você tem?” Isa: “6, 7 ou 8, não sei”. A Isa é uma menina alegre, gosta de brincar com tudo, desde boneca e elástico, até carrinho e subir em árvores. Ela não gosta muito de coisas atuais, prefere brincar de boneca de pano ou com o carrinho de papelão que ganhou do tio. “Bem lindinho”, comenta alegre.

Com a Livia Rodrigues Cardoso, de 7 anos, não é diferente. Ela gosta de bicicleta, patinete, carrinho e bolinha de gude. Livia já morou em apartamento e hoje mora em uma casa, local que adora. “Antes eu demorava pra chegar na rua, porque usava o elevador e hoje é só descer uma escada que chego rapidinho”, comenta Livia.

Larissa de Souza Vieira, 7 anos, tem um balanço em casa e gosta de brincar nele, também brinca com as bonecas de mamãe e filhinha. “Tenho celular, até gosto de brincar nele, mas prefiro brincar com as minhas amigas e os meus brinquedos”, conta.

Movimento e sustentabilidade

Brincadeiras de corda e outras atividades que estimulem o movimento são atividades desenvolvidas na Educação Infantil da Satc. As professoras também trabalham com a questão da sustentabilidade, permitindo que as crianças produzam seus brinquedos.

Cada sala tem sua caixa de sucatas que contém embalagens de produtos de comida e limpeza, todos higienizados. E caixas de madeiras com pedaços de assoalho e MDF, que permitem às crianças realizarem montagens. “As crianças gostam de brinquedos não estruturados e isso é uma forma de desenvolver a criatividade dos pequenos”, explica a professora de educação infantil, Giovana Pagani Daleffe.

Participação da família nas brincadeiras

A psicóloga educacional Fernanda Serafim explica que é necessário que a família estimule os pequenos de forma saudável e com limite. “Papel dos pais na primeira e segunda infâncias é contribuir para que tenham acesso à interação social, familiar e escolar de forma lúdica”, menciona.

É muito importante receber e ir na casa de amigos. “As crianças devem ir a locais amplos, mantendo contato com a natureza”, afirma. Fernanda aconselha os pais a lerem sobre o desenvolvimento infantil, para que possam entender o processo de crescimento dos seus filhos. “O pai e a mãe, ao comprar jogos, precisam observar a indicação para a idade das crianças. É necessário verificar se aquele brinquedo é voltado para os pequenos”, orienta.

Estimular com jogos pedagógicos para que possam ajudar no ensino, aprendizagem, disciplina, organização e também no desenvolvimento de habilidades.

Colaboração: Emília Cabral / Satc

Anúncio