InternetData CenterAssinante

VÍDEO: Salvaro confirma post sobre reportagem do Fantástico que polemizou na internet

VÍDEO: Salvaro confirma post sobre reportagem do Fantástico que polemizou na internet
Foto: arquivo engeplus
Por Douglas Saviato Em 10/10/2017 às 18:37

A criança com autonomia para ser o que ela bem entender. Foi sob esta ótica que o Fantástico, da Rede Globo, levou ao ar no último domingo, dia 8, uma reportagem mostrando como um casal e uma escola do Rio de Janeiro estão eliminando as tradicionais barreiras entre “as coisas de meninos” e as “coisas de meninas”. A reportagem destacou ainda o documentário “Repense o Elogio” lançado neste mês e que discute os modelos de como os pais criam os seus filhos.

Instantes depois da reportagem ir ao ar, o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, comentou o assunto em sua página no Facebook: “Que pouca vergonha essa reportagem agora a pouco no fantástico, sobre meninos e meninas. Um verdadeiro estimulo à viadagem”, publicou. A repercussão foi imediata e a postagem excluída minutos depois pelo filho do prefeito.


Publicação do prefeito logo após a reportagem do Fantástico. Imagem: Reprodução Facebook.

Para Salvaro, o termo “viadagem” empregado em seu comentário foi um excesso. “Peço desculpas pelo excesso. Sou católico e pela família. Vi na reportagem uma maneira de desconstituir a família já constituída. Estou vendo pregações insistidas da Rede Globo no sentido de desconstruir aquilo que já conhecemos, a família”, justificou.

A psicóloga especialista em gênero nas escolas e integrante do Programa Diversidades, Inclusão e Direitos Humanos (DIDH) da Unesc, Rita Guimarães, avalia como delicada a declaração de um prefeito que recebeu um grande número de votos na eleição passada, inclusive, votos da comunidade LGBTQI.

“A postagem foi uma grande bobagem. Ele fez uma confusão entre gênero e orientação sexual. A reportagem aborda questões de gênero em papéis masculinos e femininos, tirando o gênero dos brinquedos, por exemplo. Isso nada tem a ver com quem vou me relacionar, ou seja, com a orientação sexual. O programa trouxe criações de crianças fora das caixinhas”, explica. 


Pais criam filhos para que eles tenham autonomia. Imagem: Reprodução TV Globo

Prefeito sem preconceitos

O chefe do executivo diz não ter preconceitos e destaca ainda que respeita todos na sua individualidade, no entanto, entende que a televisão está fazendo um desserviço quanto aos valores da família.

O prefeito preferiu não entrar na discussão sobre a ideologia de gênero, conceito que define que todos nasçam iguais e que cada indivíduo constrói a sua própria identidade. “Não sou um especialista na área, mas respeito o pensamento contrário de todos. Existe um estímulo para que as pessoas acreditem que meninos e meninas nasçam iguais, eu entendo que menino nasce para ser menino e menina para ser menina”, frisa.

Rita ressalta que não há problema em desconhecer o assunto, mas deve-se tomar muito cuidado com o que se fala e publica. “Ainda mais quando estamos falando de uma pessoa pública como o prefeito com muitos seguidores e que acaba influenciando muitas pessoas. É preciso se informar daquilo que está sendo discutido”, complementa.

Reforçar que brinquedos de meninos são de meninos e de meninas são somente de meninas, aliado com a publicação do prefeito, de acordo com Rita, reforça que a mulher está predestinada a ser recatada, do lar, submissa, sempre numa posição inferior ao do homem.

“Isso também corrobora com a violência, pois não deixar que o filho brinque da sua maneira ou que não tenha o cabelo que deseja ter, por exemplo, condiz com que os pais cometam violência desde a psicológica até a física”, comenta a especialista, que acrescenta ainda que outras configurações familiares existem e merecem respeito. “E essas configurações nada tem a ver em não seguir e desmerecer a moral e os bons costumes da família”. 

Veja neste link a reportagem completa do Fantástico, da Rede Globo. 

Veja neste link o documentário completo "Repense o Elogio".