Geral

Morro da Fumaça

Trabalho voluntário: mulheres confeccionam fraldas para famílias carentes

Grupo existe há 10 anos e ajuda crianças, adultos e idosos

18
JUN
2017
| 15h19
15h19
Redação Engeplus
Jornalista | Portal Engeplus
Escreva para a redação referente a esta matéria
Enviar mensagem

Este contato será envido de modo restrito para o jornalista.
Contribua com a matéria
Dúvidas, sugestões ou contribuições
Divulgação

Todas as terças-feiras, agentes de saúde e donas de casa voluntárias se reúnem em um espaço mantido pela prefeitura de Morro da Fumaça, no Centro, e montam uma verdadeira linha de produção na confecção de fraldas infantis e geriátricas. Há dez anos, grupos de mulheres confeccionam as fraldas que são distribuídas para famílias carentes do município.

Hoje, são dez mulheres que medem, cortam, manejam a máquina, embalam e entregam à Assistência Social do município os pacotes que são distribuídos para as famílias cadastradas. O serviço coordenado por Janete Fernandes da Silva é acompanhado atualmente pela primeira-dama, Rozelaine Maragno Coral, e a vice-primeira-dama, Roberta Ghise Inocêncio.

De acordo com a primeira-dama, nos últimos dois meses foram confeccionadas 5.150 fraldas, sendo 1.710 para adultos e 3.340 infantis. Destas, 4.215 já foram entregues. “É um trabalho importantíssimo o que estas mulheres fazem em benefício das famílias do nosso município e merece todo nosso reconhecimento” relata.

Além das famílias, o Programa Fumacense de Assistência Social (Profas), Apae e creches do município também recebem os pacotes. Quem precisa utilizar as fraldas pode fazer um cadastro na Assistência Social que fica na Rua Silvio Sartor, s/n, no bairro de Costa.

Colaboração: Kênia Casagrande/Comunicação Morro da Fumaça

Leia mais sobre:
Fala Leitor
Se você possui uma sugestão de pauta, artigo ou um fato que deseja noticiar, entre em contato conosco pelo Fala Leitor.
imagens recentes no Portal
Nações Shopping apresenta Exposição Internacional DragõesProtestos no Sul causam desabastecimento Atletismo reúne cerca de 200 estudantes na pista da Unesc e encerra JescFuncionária de laboratório criciumense fez parte de esquema de falsificação'Não saí de minha empresa para ser coadjuvante', Flavio Rocha em CriciúmaA Bela e a Fera no palco do Teatro Elias Angeloni, em Criciúma