InternetData CenterAssinante

Semana de tapa buracos na estreia da usina de asfalto

Semana de tapa buracos na estreia da usina de asfalto
Foto: Arquivo Engeplus
Por Denis Luciano Em 06/11/2017 às 09:05

Criciúma voltou a ter usina de asfalto desde o último sábado, com a inauguração do equipamento no Sangão. Nela, o prefeito Clésio Salvaro aposta alto para minimizar um dos problemas mais reclamados pelos criciumenses nos últimos anos: a quantidade de buracos nas vias da cidade. “Começamos nesta segunda a produção de asfalto, já compramos matéria-prima”, anuncia. “Nesses primeiros meses vamos trabalhar com manutenção no asfalto vencido e talvez pavimentar uma ou duas ruas”, projeta.

Entre as principais vias a serem contempladas no início das operações da usina estão as avenidas Centenário, Universitária, Luiz Rosso, dos Imigrantes, Rio Maina e Santos Dumont. “A usina é um equipamento facilitador para o problema mais comum que temos, que é a chuva que infiltra e forma mais buracos. Daí teremos a condição de ir lá, compactar adequadamente e usar o nosso asfalto em vez de depender do produto que vinha de longe e muitas vezes não chegava aqui na melhor condição para o uso”, comenta o prefeito.

Salvaro calcula que há aos menos 600 ruas sem pavimentação na cidade. No evento de inauguração, no sábado, a secretária de Infraestrutura, Kátia Smielevski, chegou a citar 900 ruas que precisam de asfalto para que toda a cidade fique com cobertura adequada nas vias. “Teremos capacidade de produzir 20 a 40 toneladas de asfalto por hora, e foi um investimento importante, de R$ 740 mil para compra do equipamento e cerca de R$ 300 mil para instalar no Sangão”, conclui Salvaro.