InternetData CenterAssinante

Caixa Solidária distribuiu mais de 27 mil itens nos últimos 12 meses

Caixa Solidária distribuiu mais de 27 mil itens nos últimos 12 meses
Foto: Marcelo de Bona
Por Marcelo De Bona Em 19/04/2017 às 17:40

Nos últimos 12 meses, o projeto Caixa Solidária atendeu 1,1 mil famílias. Neste período, foram doadas 27.028 artigos de vestuário, tais como: roupas, calçados, e acessórios, além de artigos de cama e banho. O projeto, pioneiro no Brasil, foi implantado em Criciúma em dezembro de 2015, pela ONG Cidadania em Ação, com o apoio da prefeitura.

Para receber as doações da Caixa Solidária, as instituições devem fazer um cadastro. Em seguida, após a aprovação, os pedidos são feitos por meio de requisição e entregues em, no máximo, 48 horas. “Isso traz uma segurança para quem está doando. O material é entregue a quem realmente precisa”, destaca o coordenador do projeto, Mateus Rossi.

Em Criciúma, existem cinco contêineres à disposição da população: na Praça Nereu Ramos, Praça do Congresso, Parque das Nações, Terminal Central e Terminal do Pinheirinho. “Pelo estudo feito na Europa e EUA, o ideal, pela média de descarte de roupas, seria de uma caixa para cada cinco mil habitantes. Poderíamos ter até 40 caixas em Criciúma”, conta.

Atualmente, apenas uma voluntária e uma funcionária fazem o trabalho de triagem do material e de montagem dos kits. As pessoas que tiverem um tempo disponível para trabalhar como voluntárias do projeto podem entrar em contato pelo telefone: (48) 3045-3197.

Preservação ambiental

Além de auxiliar a resolver um problema social, o projeto Caixa Solidária ainda cumpre um importante papel na preservação ambiental. “Segundo levantamento da Unesc, cerca de 6% do lixo doméstico é formado por artigo têxtil. Muito material ainda vai parar no aterro. Se tivéssemos mais caixas, conseguiríamos dar o destino correto a uma quantidade bem maior de produtos. Os materiais que não servem para doação são encaminhados para a reciclagem”, explica.

Segundo levantamento do projeto Caixa Solidária, para cada quilo de roupa usada recolhida, diminui-se: a emissão de 3,6 kg de CO², o consumo de 6 mil litros de água, a utilização de 300 gramas de fertilizante, e de 200 gramas de pesticida.

Expansão para outros municípios da região

Na próxima semana, o projeto será apresentado aos demais municípios integrantes da Amrec. A ideia é instalar equipamentos de coleta nas cidades interessadas em participar da Caixa Solidária. “Em breve, também vamos implantar a informatização das requisições. Com isso, ficará mais fácil para os municípios vizinhos solicitarem material”.

A Caixa Solídária também deve ser implantado em Tubarão. No início deste ano, representantes da Câmara de Vereadores visitaram o projeto, que está em fase de aprovação para implantação.

Bazar sustentável

O projeto Caixa Solidária ainda conta com um Bazar Sustentável, que funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas, na sede da entidade, na Rua Giácomo Sônego, próximo ao Fórum.

“O bazar é aberto a toda população. O valor máximo das peças é de R$ 10. Existem peças de vestuário masculinas, femininas e infantis, além de calçados”, informa Mateus. O valor arrecadado com a venda das peças é utilizado para ajudar na manutenção do projeto.