InternetData CenterAssinante

Atualizada: Carbonífera Criciúma deve acertar salários atrasados nesta sexta

Sindicato diz que mesmo com pagamento, assembleia será realizada para decidir volta ao trabalho
Atualizada: Carbonífera Criciúma deve acertar salários atrasados nesta sexta
Foto: Karol Carvalho/Rádio Eldorado
Por Amanda Garcia Ludwig Em 08/05/2015 às 10:00

Matéria atualizada às 10 horas do dia 8 de maio/ A direção da Carbonífera Criciúma informou, nesta quinta-feira, que realizará o pagamento atrasado do mês de abril aos funcionários nesta sexta-feira, dia 8 de maio. O acerto terá um total de R$ 1,2 milhão. Já o salário de maio, segundo os diretores Alfredo e Gustavo Gazzola, será pago até o dia 20 deste mês.

De acordo com o diretor Gustavo Gazzola, o momento delicado da Carbonífera Criciúma é fruto da crise enfrentada pelo setor carbonífero. “O segmento sofre com a falta de políticas nacionais de apoio ao carvão. A situação foi agravada com a crise econômica que assola o país”, pondera.

Conforme divulgado pela carbonífera, ficou acertado entre a direção da carbonífera e o Sindicato dos Mineiros de Forquilhinha, que com o pagamento, os colaboradores, parados há duas semanas, deverão retornar aos postos de trabalho imediatamente. Os dias em greve serão repostos com horas extras e turnos aos sábados e domingos, sem prejuízo financeiro para os funcionários.

O Sindicato dos Mineiros, no entanto, contesta esta versão. Segundo o presidente do sindicato, Fernando Nunes, os trabalhadores não aceitaram voltar ao trabalho, mesmo que os dois salários fossem pagos imediatamente. Eles também não trabalharão em sábados e domingos para restituir as horas de greve. “Queremos garantias de que o pessoal que será demitido receberá as verbas rescisórias. Não houve acordo neste sentido entre o sindicato e a empresa”, diz.

Segundo Nunes, antes de voltar ao trabalho, a categoria se reunirá em assembleia após o pagamento ser feito. "Já disseram diversas vezes que o dinheiro estaria na conta no dia seguinte. Estamos aguardando. Assim que o pagamento for depositado, nos reuniremos para decidir a volta ao trabalho", avisa o presidente.