Criciúma-SC
Min.
21ºC
Máx.
26ºC
Volume
14 mm

Geral

Construção da

Construção da ponte Anita Garibaldi ganha forma em Laguna

Cerca de mil operários atuam na construção do empreendimento que vai contar com quase três mil metros de comprimento

22
MAR
2013
| 20h09
20h09
Douglas Saviato- douglas.saviato@engeplus.com.br
Jornalista | Portal Engeplus
Escreva para a redação referente a esta matéria
Enviar mensagem

Este contato será envido de modo restrito para o jornalista.
Contribua com a matéria
Dúvidas, sugestões ou contribuições
Foto: Douglas Saviato

A imprensa esteve reunida na tarde desta sexta-feira para conferir o andamento das obras da construção da ponte Anita Garibaldi, no canal de Laranjeiras, em Laguna. Conforme o engenheiro responsável pela parte de execução da obra, Maury Morales, cerca de mil operários atuam na construção do empreendimento que vai contar com quase três mil metros de comprimento. 

“Os trabalhadores estão atuando na construção da ponte desde o ano passado, tendo em vista que os trabalhos são divididos em turnos e que a maioria dos trabalhadores são da região Nordeste do país, como do Estado do Ceará, da Paraíba e da Bahia”, comenta. A obra é divida entre três empresas, sendo que a Camargo Correa é a responsável por 50% dos trabalhos.

“Nosso canteiro de obra possui mais quase 100 mil metros quadrados e conta com locais, como vestuário, almoxarifado, refeitório, escritório, oficina mecânica, oferecemos assistência médica, laboratórios entre outros locais. É uma cidade dentro da outra”, frisa.

O canteiro de obras conta com uma assistente social, que acompanha tanto os operários quanto a comunidade, pois os moradores precisam de uma atenção maior já que a localidade ganhou novos moradores por conta das obras. O meio ambiente também faz parte do dia-a-dia do canteiro de obras. “Reaproveitamos a água, o esgoto, implantamos a conscientização nos operários e tornamos isso hábitos diários”, comentou o coordenador de meio ambiente, Reginaldo Kleber Esteves.

O engenheiro frisou que para que as obras pudessem começar, questões como a drenagem, o apoio náutico, o resgate arqueológico e o desvio no trânsito tiveram que ser viabilizados. “Essas foram sem dúvidas a maior dificuldade, pois sem essas viabilidades não poderíamos começar as obras”. Ainda segundo o engenheiro, a obra está orçada em R$ 600 milhões.

Leia mais sobre:
Fala Leitor
Se você possui uma sugestão de pauta, artigo ou um fato que deseja noticiar, entre em contato conosco pelo Fala Leitor.
imagens recentes no Portal
Comunidade aprova implantação do Parque dos ImigrantesSábado de Vestibular de Inverno na Faculdade SatcExposição reúne trabalhos de alunos das três escolas de Design de CriciúmaAniversário de Venio José de SouzaVolta do Nono Gigio marca abertura da Ritorno Alle OriginiAniversariantes neste dia 23/05