InternetData CenterAssinante

Criciumense garante classificação para Campeonato Mundial Sommelier de Cerveja

Alexandre Madeira conquistou o 4º lugar no Brasileiro, disputado neste fim de semana
Criciumense garante classificação para Campeonato Mundial Sommelier de Cerveja
Por Heitor Carvalho Em 07/05/2019 às 20:53

No último final de semana, o criciumense Alexandre Canarin Madeira, de 30 anos, conquistou o 4º lugar no Campeonato Brasileiro de Sommelier de Cerveja e de quebra ainda garantiu a classificação para o Mundial, que acontece em 27 de setembro na cidade de Rimini, na Itália. E por incrível que pareça, Madeira começou a estudar cervejas há apenas dois anos.

Formado em engenharia química pela Unesc, o engenheiro sempre teve vontade de se profissionalizar na área cervejeira. “O pontapé inicial foi um convite feito pelo meu amigo Mateus Dalpiaz. Ele me convidou para um curso que aconteceria nos finais de semana em Porto Alegre”, afirma. Assim, em fevereiro de 2017, Madeira aceitava o convite do amigo e iniciava o Curso Avançado de Tecnologia Cervejeira, do Instituto da Cerveja Brasil (ICB).

O curso que certificou o engenheiro químico em técnico cervejeiro foi puxado, ainda mais para ele, que até então não sabia nem que existia escolas cervejeiras fora de Blumenau. “Durante o curso minha grande dificuldade era quando mencionavam nomes de estilos totalmente desconhecidos para mim. O professor falava, imaginem o corpo de uma Russian Imperial Stout, eu não sabia nem o que era corpo, muito menos o que significava uma RIS”, lembra.

Foi amor à primeira vista. após concluir o primeiro curso, Madeira já se matriculou para o segundo. Agora o curso era de Sommelier de Cerveja, também em Porto Alegre, com realização do ICB. “Foi neste curso que aprendi o que um profissional sommelier precisa saber. É preciso conhecer os estilos de cerveja, saber explicar detalhadamente para o consumidor o que ele vai encontrar de aromas e sabores, como deve ser servido cada estilo, o serviço de chope, entender de harmonização com comida por meio de diretrizes que ligam os sabores e características da cerveja com o prato, e também saber da história da cerveja”, ressalta.

Dentro do universo das cervejas de uma vez por todas, o até então técnico e agora sommelier, buscou um curso de especialização para Sommelier, denominado Mestre em Estilos, realizado novamente pelo ICB, porém agora sendo em São Paulo. “Estudar cerveja no Brasil tem uma grande vantagem, porque é um país neutro, aceita todas as culturas e estilos cervejeiros. As desvantagens são que a grande maioria dos estilos, modificam frequentemente seus sabores em função do transporte e do custo”.

Entre os cinco melhores Sommeliers do Brasil

O Campeonato Brasileiro de Sommelier de Cervejas se divide em três etapas. A primeira consiste em uma prova teórica com 70 questões objetivas, com duração de 2h30, que foi realizada no dia 7 de abril, nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Blumenau e Porto Alegre, que contou com aproximadamente 200 inscritos. Dos 200 inscritos, 45 se classificaram para a segunda etapa, que aconteceu no último sábado, dia 4, em São Paulo, na sede do Instituto da Cerveja Brasil, lugar também da final, que aconteceu no dia seguinte.

A segunda etapa do campeonato foi dividida em duas provas. A primeira uma avaliação às cegas, onde os candidatos deveriam degustar e acertar seis estilos servidos. Já a segunda avaliação tinha como objetivo identificar defeitos sensoriais novamente em seis cervejas. Nessa etapa foi definido os 10 melhores que ganharam a vaga para o mundial, e entre os 10, foram selecionados os 5 melhores que disputaram a final.

A disputa dos cinco primeiros lugares contou com duas bancas avaliadoras, sendo uma banca técnica com dois jurados, e uma banca de serviço com quatro jurados. Cada participante tinha 20 minutos para completar a prova. “Primeiramente foi servido um estilo de cervejas novamente às cegas, onde era necessário descrever sensorialmente a cerveja e dizer a qual estilo pertencia. Depois a banca técnica realizou três questionamentos, e logo após, foi realizada prova de serviço, onde simulado o atendimento em um restaurante, com o tema sendo comida asiática”, explica.

Para o somellier, estar no Top 5 Nacional é um feito incrível para quem começou a estudar cerveja há dois anos. “Estou realmente muito feliz com o resultado. A vaga no mundial era meu objetivo principal. Quando decidi participar, vinha me preparando desde dezembro com muita leitura, áudios, e treinamentos sensoriais com degustações às cegas”, declara.

Expectativa para a participação no Mundial Sommelier disputado na Itália

A meta já está traçada pelo sommelier. “Representar o Brasil da melhor maneira possível”, afirma o único catarinense na delegação com 10 candidatos, que já trabalha no planejamento para a preparação ao mundial.

A preparação do sommelier está baseada em 4 meses de estudo e aplicação do conhecimento. “Vou montar degustações guiadas com rótulos clássicos reconhecidos mundialmente como referências de estilo de cerveja. Buscarei colaborações com chefs de cozinha para montar eventos de harmonização com cervejas”. Além da busca por conhecimento e qualificação, o sommelier também está a procura de  patrocínios de cervejarias e restaurantes especializados.

O campeonato mundial é realizado a cada 2 anos, pela Doemens Academy, da Alemanha. Em 2015 o Mundial aconteceu no Brasil e na última edição, em 2017, o país sede foi a Alemanha. “É realmente fantástico poder participar de um evento tão grandioso para o mundo cervejeiro”, comenta o sommelier de cervejas, que ao final da conversa sobre a ‘vida de sommelier’ faz uma confissão: “o que me trouxe até aqui, foi a busca intensa pelo conhecimento, e já notei que não consigo mais parar de buscá-lo.”