navegue nos blocos da capa

Games

Criciúma

Evento reúne adeptos de Airsoft no 28º GAC

Modalidade esportiva é considerada uma versão aprimorada do Paintball

10
JAN
2017
| 16h34
16h34
Cyntia Amorim
Jornalista | Portal Engeplus
Escreva para a redação referente a esta matéria
Enviar mensagem

Este contato será envido de modo restrito para o jornalista.
Contribua com a matéria
Dúvidas, sugestões ou contribuições
Marcelo de Bona

Uma nova modalidade de jogo esportivo, o Airsoft, está ganhando espaço, conquistando adeptos em Criciúma e terá um workshop neste sábado no 28 GAC. O jogo é parecido com o famoso Paintball, porém com munições e regras diferentes. O primeiro time criciumense foi formado em 2013 e, de acordo com um dos integrantes, o Airsoft cresce a cada ano na cidade. “Hoje existem sete times, sendo que alguns tem cerca de 40 integrantes”, destaca Dárcio Dantas de Oliveira.

Diferenças e semelhanças entre Paintball e Airsoft – Os jogadores de ambos são separados por equipes que precisam cumprir uma missão. Eles se enfrentam e, para permanecer no jogo, não podem ser ‘atingidos’. Tanto em um, quanto em outro, são utilizadas armas com munições de brinquedo.

“A diferença é que no Paintball as munições soltam tintas para marcar os oponentes que foram atingidos. Já no Airsoft, trabalhamos a honra dos jogadores. Eles precisam confessar e sair do jogo. O impacto das munições no corpo dos jogadores também é menos dolorido no Airsoft”, explica o integrante Everson Teixeira.

Os jogadores devem ter mais de 18 anos e passam por uma averiguação antes de entrar para um time. As armas também são controladas.

Benefícios do jogo – Por ser uma competição agressiva e que simula uma guerra, os integrantes aprendem a trabalhar em equipe e conseguir se comunicar e manter a calma, em meio ao caos.

“Lidamos com o inesperado e a adrenalina no jogo é algo que nos motiva. Todo mundo que participa se entende e se identifica com a parte militar. Ter que salvar reféns, encontrar bombas e evitar ser atingido nos ensina a lidar com o improviso”, salienta o integrante Elton de Bem Marcelino.

“Não tem como planejar o que vai acontecer no jogo e cada jogador reage diferente. Para mim o que conta é a superação dos obstáculos que surgem no decorrer da partida”, comenta Ramon Aurélio Henrique.

Ficou interessado? - Neste sábado um workshop será realizado para esclarecer dúvidas e apresentar o jogo. “Vamos dar palestras, apresentar os equipamentos, falar do investimento inicial, compra do armamento e também jogar”, diz Oliveira.

O Workshop será realizado às 14 horas no 28º GAC. A entrada é um quilo de alimento não perecível.  

Leia mais sobre:
Fala Leitor
Se você possui uma sugestão de pauta, artigo ou um fato que deseja noticiar, entre em contato conosco pelo Fala Leitor.
imagens recentes no Portal
Colcha feita a 'Mil mãos' é arrematada em R$ 9 milSócios-torcedores de Santa Catarina têm promoção especial de cervejaCoach Fabiana Izidoro desenvolve analise comportamental junto ao NTINota de falecimento: Maria de Arlete Machado, de 78 anosPrefeito e promotor divergem sobre venda de terrenosSabrina Parlatore fala sobre câncer de mama em evento gratuito