navegue nos blocos da capa

Estilo & Tendências

Brasil

Egressa da Unesc ganha Prêmio Saint-Gobain de Arquitetura

Concurso reconhece projetos que conscientizam sobre o valor da sustentabilidade

10
MAR
2017
| 16h55
16h55
Redação Engeplus
Jornalista | Portal Engeplus
Escreva para a redação referente a esta matéria
Enviar mensagem

Este contato será envido de modo restrito para o jornalista.
Contribua com a matéria
Dúvidas, sugestões ou contribuições

Ela não esperava nem estar entre os finalistas, mas nessa quinta-feira Tatiany Fröhlich levou o troféu do primeiro lugar do Prêmio Saint-Gobain de Arquitetura para casa. O concurso reconhece importantes projetos e conscientiza sobre o valor da sustentabilidade para o setor. Graduada pelo curso de Arquitetura da Unesc, Tatiany levou a ideia de um Centro de Educação Ambiental, a ser construído em Siderópolis/SC. A proposta foi desenvolvida para o seu projeto de conclusão de curso.

Tatiany recebeu um MacBook Pro, um troféu e um diploma. Ela competiu ao lado dos maiores escritórios de arquitetura do país. “Receber esse reconhecimento é um grande impulso para a minha carreira, que inicia agora. Me identifico muito com a ideia do Prêmio Saint-Gobain, que trata do conforto, da acústica, da modulação e racionalização na Arquitetura. São questões que devem ser pensadas e projetadas por Arquitetos. E o prêmio reconhece esses profissionais”, ressaltou.

O concurso mobilizou profissionais e estudantes que acreditam na importância da contribuição da construção civil para a sustentabilidade e bem-estar. Nessa edição do Prêmio, os diversos confortos de uma obra - térmico, acústico, visual, modular e de saúde - foram o tema central, aliados ao uso da inovação e sustentabilidade das soluções construtivas.

Centro de Educação Ambiental

O projeto de Tatiany visa a criação de um local para estimular a mudança comportamental dos moradores de Siderópolis, que vem sofrendo constantes modificações territoriais no processo de recuperação ambiental. “O processo para se alcançar a sustentabilidade inclui novas práticas da população, para que isso se torne possível é preciso disseminar as informações e as atividades de educação ambiental”, ressalta.

No edifício seriam abrigadas atividades de educação ambiental e eventos culturais, com o intuito de aplicar no projeto arquitetônico os princípios da arquitetura sustentável, como a qualidade do ambiente interno, a eficiência acústica e energética. “Recuperação da água da chuva, energia solar, entre outras possibilidades foram implementadas o projeto”, contou Tatiany.

Colaboração: Unesc

Leia mais sobre: unesc, prêmio, arquitetura
Fala Leitor
Se você possui uma sugestão de pauta, artigo ou um fato que deseja noticiar, entre em contato conosco pelo Fala Leitor.
imagens recentes no Portal
Morro da Fumaça, a mais castigada pelo temporalChuva forte desta tarde provoca alagamentosVÍDEO: Funcionários, voluntários e comunidade abraçam o São JoséAs saladas das mãos do seu Vitório para as mesasEstudantes plantam árvores para recuperar nascente em Nova VenezaDupla atira e incendeia ônibus e causa pânico em passageiros