InternetData CenterAssinante

Herói na Copa do Brasil, Gustavo quer esquecer início ruim no Tigre: 'Nunca perdi minha confiança'

Goleiro defendeu três dos cinco pênaltis do América-MG e garantiu o Criciúma nas oitavas
Herói na Copa do Brasil, Gustavo quer esquecer início ruim no Tigre: 'Nunca perdi minha confiança'
Foto: Celso da Luz/Criciúma E.C.
Por Lucas Renan Domingos Em 10/06/2021 às 18:31

Gustavo foi um dos jogadores contratados pelo Criciúma no início da temporada para ser titular da equipe. Depois de fazer boa campanha pelo Sampaio Corrêa em 2020, o goleiro desembarcou no Tigre com boa imagem. As expectativas positivas logo seguiram outro caminho. As dificuldades de adaptação interferiram no desempenho do defensor, que chegou a perder a titularidade, após falhas no Campeonato Catarinense. Só que o momento agora é outro.

De criticado, Gustavo virou herói. É que os jogadores e torcedores do Criciúma creditam a ele parte da responsabilidade na classificação para as oitavas de final da Copa do Brasil. A vaga foi decidida contra o América-MG nos pênaltis, depois de um placar de 2 a 2 no tempo regulamentar, e o goleiro defendeu três das cinco cobranças adversárias.

“Eu nunca perdi a minha confiança. A gente que é profissional passa por alguns momentos de dificuldade, adaptação. A gente não vinha bom no campeonato estadual e eu também. Perdi a posição e a todo momento não parei de acreditar em mim. Sabia que fazia parte do processo e continuei trabalhando da mesma forma. A confiança jamais foi abalada”, afirmou o goleiro.

Ele revela que os primeiros meses vestindo a camisa do Criciúma foram difíceis. “Eu tive um momento muito difícil no início. A minha adaptação foi complicada. Eu vinha de um Estado, de um costume diferente, então demorei me adaptar. Hoje eu estou gostando da cidade, do clube”, disse. Dentro do clube, ele recebeu o apoio que esperava para dar a volta por cima. Além da força dos jogadores, o defensor agradece ao técnico Paulo Baier e aos membros da comissão técnica.

“A chegada do Baier foi importante, ele me chamou e falou que confiava em mim. Não só ele, mas toda a comissão foi importante para a minha recuperação, principalmente o Maurício, o nosso preparador de goleiros, que é um cara que me abraçou. Ele esteve comigo sempre e comprou a briga para me deixar da melhor forma possível. Devo muito a ele este momento e também os meus companheiros”, enalteceu.

A positividade para superar a fase ruim também vem de casa. A cada cobrança de pênalti defendida contra o América-MG, Gustavo acenava para um dos apartamentos próximos ao Estádio Heriberto Hülse. “Era para a minha esposa. A gente mora atrás do estádio e todo jogo ela está comigo ali torcendo, eu sempre sinto energia dela. Ela sempre está comigo nos momentos bons e ruins. Eu não poderia deixar de homenageá-la”, contou o goleiro.

O jogador ainda curte o bom momento e espera que o Criciúma não saia mais dele. “Sem dúvidas a gente passou por uma grande equipe, nos dando confiança e fortalecendo nosso grupo. Temos que manter os pés no chão e saber das nossas limitações, precisamos melhorar em alguns aspectos. Temos também as nossas virtudes e estamos bem confiantes para os próximos desafios. O futebol vive momentos de altos e baixos. O momento que estou vivendo agora a equipe está vivendo também, que era o que a gente queria. Sabíamos que era questão de tempo para este momento chegar e esperamos dar continuidade”, finalizou.