InternetData CenterAssinante

FCF reclama da continuidade de proibição de público nos estádios e recebe apoio de clubes

Após posiconamento da federação, Criciúma emitiu nota pedindo pelo retorno da torcida
FCF reclama da continuidade de proibição de público nos estádios e recebe apoio de clubes
Foto: Arquivo/Portal Engeplus
Por Lucas Renan Domingos Em 01/09/2021 às 17:35

O acesso ao público às competições esportivas seguem suspensas em Santa Catarina até o dia 30 de setembro. Foi o que determinou um novo decreto do Governo do Estado publicado nesta terça-feira, dia 31. Em uma nota, publicada nesta quarta-feira, dia 1º, a Federação Catarinense de Futebol (FCF) afirmou que a decisão revoltou os dirigentes dos clubes catarinense. O Criciúma e outras equipes apoiaram o posicionamento da FCF.

"Conscientes da situação criada pela pandemia do Covid-19 e da necessidade de medidas preventivas para a interrupção do seu alastramento, os dirigentes estão estarrecidos pela forma como a Secretaria de Estado da Saúde está tratando um dos mais importantes segmentos da economia e do entretenimento catarinense", diz a nota publicada pela federação. 

O texto acrescenta afirma ainda que "dirigentes sequer conseguem ser recebidos e ouvidos pelas autoridades da área da saúde pública que ousam, descaradamente, abrir as portas para eventos com perigosas e incontroláveis concentrações de público, mesmo em ambientes fechados como parques temáticos, mas se negam a discutir e avaliar as seguras condições sanitárias oferecidas pelo futebol". 

Nota oficial

O Decreto 1.449, publicado pelo Governo do Estado prorrogando a proibição de público nas competições esportivas, gerou um clima de revolta junto aos dirigentes do futebol catarinense.

Conscientes da situação criada pela pandemia do Covid-19 e da necessidade de medidas preventivas para a interrupção do seu alastramento, os dirigentes estão estarrecidos pela forma como a Secretaria de Estado da Saúde está tratando um dos mais importantes segmentos da economia e do entretenimento catarinense.

O futebol, que oferece a possibilidade da presença gradativa de público em seus jogos praticados em áreas livres, de ampla circulação, com generosas áreas para o espaçamento necessário e seguro entre seus assistentes e sempre disposto a cumprir as regras indispensáveis à defesa da saúde pública, se revolta com a perseguição que lhe está sendo imposta pelas autoridades estaduais.

Mesmo diante dos rígidos protocolos produzidos por suas áreas médicas, algumas com vitoriosos trabalhos em nível nacional, o futebol catarinense está cada dia mais rejeitado pelos órgãos competentes.

Nossos dirigentes sequer conseguem ser recebidos e ouvidos pelas autoridades da área da saúde pública que ousam, descaradamente, abrir as portas para eventos com perigosas e incontroláveis concentrações de público, mesmo em ambientes fechados como parques temáticos, mas se negam a discutir e avaliar as seguras condições sanitárias oferecidas pelo futebol.

Nossos clubes que continuam enfrentando extremas dificuldades financeiras para sustentar suas representações em nível nacional nas séries A, B, C e D do campeonato brasileiro e os que, com igual sacrifício, estão participando das competições estaduais, esgotaram seu nível de paciência. As autoridades estaduais cada dia mais dispostas a imputar ao esporte uma culpa que não lhe pertence, teimam em transformar o futebol no vilão da pandemia.

O futebol, uma prática esportiva absolutamente privada, não pode ser considerado o vilão desse comportamento público.

Em entrevista ao jornalista Mateus Mastella, do Tabelando, o presidente da FCF, Rubens Angelotti, afirmou que aguardava que o Estado liberasse pelo menos 20% da capacidade do público nos estádios. "Infelizmente, a Secretaria de Estado da Saúde não está olhando com bons olhos para o futebol. O futebol está sendo o vilão da pandemia, o futebol que se preservou tanto, que para fazer os seus atletas entrar em campo testa todos. Estamos indignados com esta postura", disparou. 

Criciúma se manifesta

Na tarde desta quarta-feira o Criciúma também emitiu um comunicado onde reforça o posicionamento de Federação Catarinense de Futebol. "A presença do público nos estádios gera grande parte do orçamento e sustentação financeira dos clubes. Estamos prontos para realizar os protocolos exigidos pelas autoridades sanitárias, pois entendemos que os estádios são locais apropriados para receber pessoas e mantê-las em segurança quanto ao distanciamento social, uso de máscara e demais cuidados. Ainda mais neste momento onde muitos já estão vacinados", argumenta o Tigre. 

Nota oficial

O Criciúma Esporte Clube vem a publico apoiar o pronunciamento da Federação Catarinense de Futebol, assim como de outros clubes catarinenses, a respeito da volta do público aos estádios. Com a diminuição de casos de Covid-19 e das internações nas UTIs, e com o avanço da vacinação em todo o Brasil, os estabelecimentos de lazer e entretenimento estão retomando à sua normalidade. Portanto, entendemos que a volta dos torcedores aos estádios também é válida, assim como vem acontecendo em algumas cidades brasileiras. 

A presença do público nos estádios gera grande parte do orçamento e sustentação financeira dos clubes. Estamos prontos para realizar os protocolos exigidos pelas autoridades sanitárias, pois entendemos que os estádios são locais apropriados para receber pessoas e mantê-las em segurança quanto ao distanciamento social, uso de máscara e demais cuidados. Ainda mais neste momento onde muitos já estão vacinados.

O Tigre vem cumprindo com rigor todos os protocolos de saúde diante do Covid-19 desde o inicio da pandemia. Estamos com 100% de vacinados no clube, entre atletas acima de 18 anos, comissão técnica, staff e demais funcionários. Nosso compromisso com os protocolos são rígidos e cumpridos à risca. 

Somos solidários a todos que, assim como nós, perderam pessoas importantes, que para sempre serão lembradas. Seguimos cumprindo todos os protocolos rigorosamente, tomando todos os cuidados necessários. Colocamos nossas instalações à disposição da secretaria de saúde para que fosse realizado o drive thru de vacinação no estádio Heriberto Hülse, assim como realizamos ações solidárias para auxiliar as famílias que passam necessidade neste difícil momento.

Esperamos um posicionamento das autoridades responsáveis para que logo tenhamos nossos torcedores no estádio. O futebol não é vilão.

#OFutebolNãoÉVilão