InternetData CenterAssinante

Atuação decepcionante acende alerta às vésperas de decisão na Série C

Criciúma perdeu em casa para o Hercílio Luz e agora se prepara para duelo com o Mirassol
Atuação decepcionante acende alerta às vésperas de decisão na Série C
Foto: Celso da Luz/Criciúma EC
Por Thiago Hockmüller Em 15/09/2021 às 22:35

Com três derrotas e um empate nas últimas quatro partidas, o Criciúma vive má fase justamente no momento decisivo da temporada. A derrota em casa para o Hercílio Luz, na noite desta quarta-feira, dia 15, pela primeira rodada da Copa Santa Catarina, preocupa o torcedor para a sequência de jogos, sobretudo porque no sábado, dia 18, o time de Paulo Baier terá nova chance de obter classificação antecipada para a segunda fase da Série C quando enfrenta o Mirassol.

Após a derrota de hoje, o auxiliar técnico Luciano Almeida, que comandou o time já que Paulo Baier cumpre suspensão na Copa SC, deu explicações, pediu calma, e comentou sobre o próximo desafio. "Saímos decepcionados, não fizemos uma boa partida. O adversário fez uma excelente partida, vem treinando muito mais que a gente. Essa equipe é uma mescla de jogadores que não vinham atuando com jogadores da base. Não é uma desculpa e a responsabilidade é toda minha”, refletiu.


Criciúma não vence há quatro partidas. (Foto: Celso da Luz/Criciúma EC)

O fato é que o Criciúma não tem conseguido fazer bons jogos. E tem sido castigado pela falta de criatividade no ataque e de atenção na defesa. Terá pouco tempo para corrigir os problemas, reencontrar o caminho da vitória e obter a tão desejada classificação para a segunda fase da Série C.

“É ter tranquilidade, temos um jogo importantíssimo no sábado. É treinar mais, boca fechada... quando menos falar melhor. E preparar a equipe para o sábado. Fizemos uma boa partida no primeiro tempo, o Hercílio não criou nenhuma oportunidade de gol, apenas a bola parada. No segundo tempo saímos para o jogo, necessitamos do empate, cedemos espaços e o adversário teve competência para ampliar”, argumentou.

Luciano Almeida preferiu não comentar possíveis alterações no plano de jogo. Por outro lado, pediu desculpa aos torcedores, sobretudo aos 470 que compareceram no Heriberto Hülse após mais de 500 dias sem público nos estádios catarinenses em função da pandemia de Covid-19.

“O torcedor tem todo o direito (de vaiar), bem-vindo ao Criciúma. É pouco público, mas é um torcedor que cobra e quer ver o Criciúma vencer. O torcedor tem razão, incentivou no começo e depois cobrou. Quando não se ganha tem cobrança”, disse.

Executivo quer evolução

Quem também se apresentou após a derrota foi o executivo de futebol do Criciúma, Juliano Camargo. Com fala calma, ele lamentou o resultado, a atuação e cobrou evolução do time. Mesmo com a equipe recheada de reservas e jovens jogadores, a diretoria esperava uma atuação melhor da equipe carvoeira.

“Quero deixar claro que não esperávamos esse resultado. Planejamos a estreia sabendo que o jogo de sábado é o mais importante do ano. Sabíamos que seria uma estreia difícil, mas não imaginávamos que seria tão abaixo. Esperamos que a equipe evolua com mais tempo e entrosamento. O foco total é pensando no jogo de sábado, que é muito importante”, argumentou.

Tigre e Mirassol entram em campo a partir das 17 horas. Para classificar, os comandados de Paulo Baier precisam vencer o time paulista. Em caso de empate ou derrota, só classifica se o Figueirense não vencer o Botafogo (SP). Cabe lembrar que Criciúma e Figueira se enfrentam na última rodada da primeira fase, no dia 25, no Orlando Scarpelli, em Florianópolis.