InternetData CenterAssinante

Artilheiro e campeão da Série C em 2008, Marcão quer reviver no Tigre o bom histórico na competição

Aos 35 anos, centroavante deixa de lado a idade e diz estar pronto para balançar as redes
Artilheiro e campeão da Série C em 2008, Marcão quer reviver no Tigre o bom histórico na competição
Foto: Celso da Luz/Criciúma E.C.
Por Lucas Renan Domingos Em 01/07/2021 às 19:19

Marcão chega ao Criciúma para cumprir o papel de centroavante: balançar a rede. Aos 35 anos, o jogador sabe bem como fazer gol. Com a experiência conquistada no futebol, o atleta quer viver bons momentos no Criciúma para recordar o bom desenho que já teve na Série C do Campeonato Brasileiro, competição onde já foi campeão e artilheiro. O atacante foi apresentado no Tigre na tarde desta quinta-feira, dia 1º.

“A Série C é muito disputada. Em 2008 eu joguei a competição com o Atlético-GO. Fui campeão, artilheiro. Então tem que estar bem preparado, motivado. Preparo e motivação eu tenho e quero corresponder a altura”, projetou.

Naquele ano, Marcão tinha apenas 22 anos, ainda surgindo para o futebol. Agora, com a idade até considerada por alguns como avançada para um atleta de futebol, ele garante que nada mudou. Os anos que se passaram, na verdade, contribuíram para saber lidar com os questionamentos sobre o seu desempenho dentro de campo.

“Sabemos do peso e da cobrança que tem sobre a gente de ser o camisa nove e colocar a bola para dentro. Eu estou preparado. Onde passei eu fiz gol, fui artilheiro. Aqui não vai ser diferente”, pontuou. “Desconfiança vai ter, cobrança vai ter. Eu estou preparado para passar por cima dessas adversidades. O único jeito de passar por cima disso é fazendo gol para dar alegria para a torcida e o pessoal ver que vim aqui não foi para passear foi para trabalho e ajudar o Criciúma”, reforçou.

A chegada do centroavante no Criciúma foi motivada pela impossibilidade do titular da posição na equipe de Paulo Baier, o atacante Luiz Paulo, jogar a Copa do Brasil com a camisa do Tigre, por já ter atuado na competição em outra equipe. Só que Marcão não quer limitar a sua contribuição apenas a um dos campeonatos do calendário da equipe carvoeira.

“Cheguei para as duas competições. A Série C é importante, para colocar o Criciúma na Série B. O Criciúma, com a estrutura que tem, não pode estar na Série C. Tem que estar na Série B e pensar na Série A. Vamos jogar primeiro os jogos da Série C para depois pensar na Copa do Brasil”, enalteceu.

Marcos Assis Santana tem 35 anos e um currículo conhecido no futebol nacional. Entre os clubes que atuou, estão o Athletico Paranaense, Atlético Mineiro, Bahia, Goiás, Botafogo-SP, Paysandu, CRB, Al-Shaab, dos Emirados Arabes, e no futebol Catarinense, o Figueirense.