InternetData CenterAssinante

Rumo a semifinal: Criciúma bate o Marcílio Dias e avança no Campeonato Catarinense

Léo Dias fez o único gol da partida e garantiu o 1 a 0 para o Tigre
Rumo a semifinal: Criciúma bate o Marcílio Dias e avança no Campeonato Catarinense
Foto: Celso da Luz/Criciúma E.C.
Por Lucas Renan Domingos Em 30/07/2020 às 17:58

O Criciúma está na semifinal do Campeonato Catarinense. Jogando fora de casa, no Estádio Dr. Hercílio Luz, em Itajaí, na tarde desta quinta-feira, dia 30, o Tigre venceu o Márcilio Dias pelo placar de 1 a 0 no jogo da volta das quartas de final do estadual e avançou na competição. O time de Roberto Cavalo foi superior ao adversário durante toda a partida e saiu de campo com o resultado positivo. Na partida de ida, as equipes haviam empatado em 0 a 0.

Depois de começar pior que o Marinheiro, o tricolor carvoeiro se reorganizou e dominou o primeiro tempo. Ainda na primeira etapa Jean Dias fez o único gol do jogo. Na segunda etapa o Tigre aproveitou a vantagem e se fechou, jogando com o regulamento. Hélio Paraíba ainda perdeu um pênalti para o Marcílio Dias e perdeu grande chance no fim da partida, mas não adiantou. Vitória do Criciúma, que agora espera o vencedor entre Avaí e Chapecoense.

Primeiros minutos equilibrados

Com o empate, ambas as equipes precisavam vencer no tempo normal caso não quisessem garantir a vaga para a semifinal nos pênaltis. E a primeira chance foi do Tigre. Em uma sobra na entrada da área, aos três minutos, Thiago Henrique tentou girar e bater. O chute saiu fraco e na mão de Belliato.

Aos sete minutos, foi a vez do Criciúma escapar. Léo Santos fez cruzamento por cima de Agenor. A bola ia direto na cabeça de Roberto Pítio. Em cima da linha, Vitão se antecipou e fez o corte. A partida era movimentada. Com dez minutos, Foguinho perdeu a oportunidade dentro da área. Carlos César levantou a bola na cobrança de falta, a zaga do Marinheiro afastou e ela sobrou nos pés de Foguinho que, de frente para o gol, bateu forte por cima da trave defendida pelo Marcílio Dias.

Enquanto Criciúma tentava acelerar as jogadas tentando lançamentos, o Marcílio Dias trocava passes, mas as equipes tinham dificuldade de finalizar. Com 19 minutos, o Tigre colocou a bola no chão e tentou buscar o gol. Léo Ceará deu belo passe de calcanhar para Thiago Henrique entrando na meia lua. O atacante foi desarmado e a bola sobrou para Carlos César que ia invadir a área com a bola e foi interceptado por Rodrigo.

Uma nova chegada do Marcílio Dias aconteceu aos 24 minutos do primeiro tempo. Depois de cruzamento na área do Criciúma, os zagueiros do Tigre não cortaram e a bola ficou nos pés de Nathan. Ele tentou encobrir Agenor, mas a finalização foi fraca e na mão do goleiro.

Criciúma consegue abrir ainda no primeiro tempo

Na velocidade, o Tigre assustou novamente o Marinheiro. Em um contra-ataque o Criciúma trocou passes e Thiago Henrique achou Carlos César entrando na grande área. Com o lado de fora do pé direito ele finalizou e Beliatto caiu bem para fazer a defesa. O Criciúma pressionava. Aos 28, mais uma boa jogada. Thiago Henrique cruzou na pequena área e, sozinho, Jean Dias cabeceou em cima do goleiro do Marcílio Dias. Ótima chance, que foi desperdiçada pelo time carvoeiro.

O Marcílio tentou responder aos 39 minutos. Paulinho cobrou falta na primeira trave. Daniel Pereira consegue o cabeceio, mas por cima do gol de Agenor. Mas foi o Criciúma quem saiu na frente no jogo. Já aos 43 minutos, Foguinho viu bem Kaike na esquerda. O lateral limpou a jogada e levantou na grande área. A bola passou por todo mundo e achou Jean Dias que colocou o pé direito para mandar para a rede. Criciúma 1 a 0 no Marinheiro.  O Marcílio ainda queria o empate no primeiro tempo, mas o gol foi o último lance de perigo da primeira etapa.

Marcílio Dias perde pênalti

Atrás do placar, o Marcílio Dias mostrou maior vontade nos primeiros minutos do segundo tempo. Logo aos dois minutos, Léo Santos, dentro da área, tentou a primeira finalização, mas mandou para a linha de fundo. Aos oito minutos, mais uma vez Léo Santos apareceu. Ele aproveitou cruzamento na área e finalizou de cabeça muito próximo da meta defendida por Agenor.


Foto: Bruno Golembiewski/CNMD

O Criciúma, a frente no placar, se defendia e avançava no contra-ataque. Com 11 minutos, Carlos César arrancou e foi derrubado pelo lado esquerdo. Ele foi para a cobrança e mandou direto para o gol. A bola foi perigosa e forçou Beliatto fazer ótima defesa e evitar o segundo do Tigre. Fechado, o Tigre deixava o Marinheiro chegar. Aos 22 minutos, o time da casa conseguiu um pênalti. Léo Santos fez jogada pela direita e cruzou na área. Na marcação, a bola bateu no braço de Eduardo e o árbitro viu, assinalando para o centro da área. Hélio Paraíba foi para a cobrança e mandou para fora para alívio dos jogadores do Tigre.

A equipe de Roberto Cavalo ganhava tempo, mas tentava o segundo. Thiago Henrique, aos 34 minutos, aproveitou a sobra da bola, mas não pega bem e manda por cima da trave. Precisando do empate, as melhores chances eram do Marcílio Dias. A zaga do Criciúma afastou cobrança de escanteio e a na Sobra Léo Santos tentou de primeira. Forte e para a linha de fundo.

Daí pra frente, o Tigre controlou o jogo. A última chance ainda foi dos donos da casa, mais uma vez com Hélio Paraíba que, depois desvio dentro da área, mandou por cima da meta de Agenor dentro da pequena área. Fim de jogo.

Ficha técnica para Marcílio Dias 0 x 1 Criciúma

Competição: Campeonato Catarinense, quartas de final

Data: Quinta-feira, dia 30 de julho

Local: Estádio Dr. Hercílio Luz

Horário: 16 horas

Arbitragem: Diego da Costa Cidral apitou o jogo, com auxílio de Kléber Lúcio Gil e Henrique Neu Ribeiro.

Cartão amarelo:Daniel Pereira (MAR); Victor Guilherme, Carlos César (CRI)

Gols: Jean Dias (43’/1ºT) (CRI) 

Marcílio Dias: Belliato; Rodrigo, Magrão, Luan e Paulinho, Daniel Pereira (Juan Palácios), Diego Fumaça (Jeferson Recife) e Léo Santos, Anderson Ligeiro, Nathan (Medina) e Roberto Pítio (Hélio Paraíba).

Técnico: Moisés Egert

Criciúma: Agenor, Victor Guilherme (Christofer), Maurício, Vitão e Kaike, Eduardo, Foguinho e Carlos César, Léo Ceará (Jajá), Jean Dias (João Carlos) e Thiago Henrique.

Técnico: Roberto Cavalo