InternetData CenterAssinante

Em jogo polêmico, Criciúma empata mais uma e vai pressionado para a Copa do Brasil

Tigre e Marcílio Dias ficam no 1 a 1 na tarde deste domingo, dia 2, no Heriberto Hülse
Em jogo polêmico, Criciúma empata mais uma e vai pressionado para a Copa do Brasil
Foto: Rafaela Custódio/Portal Engeplus
Por Thiago Hockmüller Em 02/02/2020 às 18:02

O Criciúma chegou ao terceiro jogo sem vitoria no Campeonato Catarinense. Jogando no Heriberto Hülse, na tarde deste domingo, dia 2, o Tigre empatou em 1 a 1 com o Marcílio Dias e deixou mais uma vez o campo sob vaias de seu torcedor. Roberto Pítio, para o time de Itajaí, e Andrew marcaram os gols do jogo.

Agora, o time de Roberto Cavalo foca na Copa do Brasil, quando enfrenta o Santo André na quarta-feira. Depois faz dois clássicos fora de casa, contra Avaí e Chapecoense. O primeiro acontece no próximo domingo, dia 9, na Ressacada. Depois, no dia 16, visita a Chapecoense em Chapecó. Já o Marcílio Dias, pela quinta rodada recebe em Itajaí a própria a Chape e depois o Figueirense.

O duelo de número 141 entre Criciúma e Marcílio Dias iniciou equilibrado. Mas a balança pendeu para o time de Itajaí, que foi mais contundente, ditou o ritmo da partida e conseguiu boas chegadas na bola aérea. Pelo lado carvoeiro, as tentativas foram mais tímidas, sempre buscando a agilidade de Andrew. 

Em 10 minutos de jogo, o Tigre conseguiu apenas duas cobranças de falta – ambas sofridas pelo camisa 11 – e que não provocaram grandes sustos ao goleiro Belliato. Já o Marinheiro, obteve quatro escanteios, além, claro, dos inúmeros cruzamentos em direção a área. Em um deles, Rodrigo cobrou lateral, Fabio desviou para trás e quase marcou contra.  

Acompanhe aqui todos os detalhes de Criciúma x Marcílio Dias

A tarde do Criciúma seguiu difícil, sobretudo em função das cinco mudanças sofridas na equipe titular. Mudanças que provocaram a alteração do esquema 4-4-2 para o 4-3-3 e dificuldades na troca de passes. Em uma delas, quase saiu gol do Marcílio Dias, mas Nathan perdeu tempo com a bola e desperdiçou o lance.  

A falta de entrosamento e a dificuldade no novo esquema pode ser ilustrada em Andrew. O mais participativo jogador do Criciúma na primeira etapa foi visto na ponta direita, no meio-campo e constantemente na lateral. Sobre a lateral, em um determinado período do primeiro tempo Carlos Cesar fez a vez de atacante enquanto o camisa 11 ficou plantado na linha de defesa. 


Andrew marcou o gol que deu um ponto ao Tigre neste domingo. (fotos: Rafaela Custódio/Portal Engeplus)

Criciúma acorda 

Quando inverteram a posição, Andrew foi ao ataque e cavou mais uma falta, desta vez da entrada da área. Léo Ceará foi para a cobrança e finalizou nas mãos de Belliato. Logo depois, o mesmo Léo Ceará arrancou em velocidade e foi derrubado na entrada da área pelo zagueiro Wallace. Falta que Carlos Cesar cobrou por baixo da barreira e ao lado da trave.  

O Criciúma gostou de atacar. E criou grandes oportunidades na reta final do primeiro tempo. Aos 38, Eduardo recebeu passe na intermediária e soltou uma bomba. Belliato espalmou. Jajá ficou com a sobra e bateu com categoria buscando o canto esquerdo, a bola desviou e saiu pela linha de fundo. Na cobrança de escanteio, a bola pipocou na grande área e Léo Ceará bateu firme, só que o Tigre parou mais uma vez no camisa 1 do Marinheiro. 

Não fez, levou 

A resposta dos visitantes foi perigosa e certeira. Primeiro Medina limpou o marcador e chutou rasteiro. Gianezini foi buscar. Na sequência, já aos 44, Diego Silva foi ao fundo e cruzou, a bola tocou o braço de Foguinho, o árbitro Gustavo Ervino Bauermann não teve dúvida e assinalou pênalti. Dois minutos depois, após muita reclamação, Roberto Pítio deslocou Gianezini e abriu o placar. 

No apito final da primeira etapa, as costumeiras vaias no Heriberto Hülse. 


Jogadores do Marcílio Dias comemoram o primeiro gol do jogo. 

Na volta do intervalo, Roberto Cavalo promoveu a primeira substituição. Jajá deu lugar para o garoto João Carlos. Logo no primeiro minuto, Foguinho recebeu passe na intermediária e chutou forte, buscando o ângulo esquerdo. A bola explodiu na trave e saiu pela linha de fundo. 

Após o susto, o Marcílio Dias se acuou no campo de defesa, o Tigre cresceu na partida. Carlos Cesar recebeu na entrada da área e arrematou. A bola ganhou altura e saiu pela linha de fundo.  

Na bronca 

O duelo seguiu equilibrado e tenso. Aos 19, Carlos Cesar recebeu dentro da área e cruzou, a bola bateu no braço do defensor, a torcida pediu pênalti, os jogadores reclamaram e o árbitro mandou o jogo seguir.  

Logo depois, a partir de um toque de mão assinalado fora da área, o Tigre empatou. Carlos Cesar cobrou falta no miolo da pequena área e encontrou Andrew. O camisa 11 se antecipou ao goleiro Belliato e cabeceou para o fundo do gol.  

Jogo nervoso  


Foguinho parou na trave em um bonita finalização de fora da área.

A igualdade no placar deixou o jogo ainda mais tenso. Aos 25, Carlos Cesar foi retirado de campo pela ambulância com suspeita de fratura no nariz. Na vaga, entrou Victor Guilherme. 

O nervosismo, claro, refletiu em cartões amarelos. Primeiro foi Andrew, que além de reclamar foi advertido por simular um pênalti. Depois, Eduardo por reclamação. Os lances tiraram a paciência da torcida, que passou a esbravejar contra as marcações do árbitro.  

Com a bola no chão, a virada quase aconteceu aos 33. João Carlos recebeu pelo lado direito, invadiu a grande área e arrematou com força obrigando grande intervenção de Belliato. 

Roberto Cavalo, agitado à beira do gramado, renovou o ataque. Tirou Eduardo Melo e colocou Taylon em campo. Do outro lado, o técnico Moisés Egert trocou Diego Silva e Roberto Pítio por Jonathas e Juan Palacios. Só que as mudanças não surtiram resultado e as duas equipes terminaram a tarde com um ponto cada. Depois do apito final, ainda teve tempo para o árbitro Gustavo Ervino expulsar Eduardo, por reclamação.

Ficha técnica para Criciúma 1x1 Marcílio Dias 

Competição: Campeonato Catarinense, 4ª rodada.   

Data: Domingo, dia 2 de fevereiro.   

Local: estádio Heriberto Hülse, em Criciúma.   

Horário: 16 horas.   

Público: 1.886 torcedores. 

Renda: R$ 25.870,00. 

Arbitragem: Gustavo Ervino Bauermann apitou a partida auxiliado por Clair Dapper e Valdoir Caldatto.  

Cartão amarelo: Léo Ceará, Fábio, Andrew e Eduardo (CRI); Diego Silva, Wallace (MAR). 

Cartão vermelho: Eduardo (CRI).

Gols: Andrew (20’ 2ºT) (CRI); Roberto Pítio (46’ 1ºT) (MAR). 

 

Criciúma: Paulo Gianezini; Carlos Cesar (Victor Guilherme), Rodrigo Milanez, Fábio e Wellington; Eduardo, Foguinho, Léo Ceará; Eduardo Melo (Taylon), Jajá (João Carlos) e Andrew.   

Técnico: Roberto Cavalo  

 

Marcílio Dias: Belliato, Rodrigo, Wallace, Magrão e Paulinho; Daniel Pereira, Diego Silva (Jonathas) e Medina (Guilherme Pitty); Nathan, Anderson Ligeiro e Roberto Pítio (Juan Palacios). 

Técnico: Moisés Egert