InternetData CenterAssinante

Criciúma se despede do Campeonato Catarinense com derrota nos pênaltis para a Chapecoense

Depois de fazer 1 a 0 no tempo normal, Tigre perdeu duas penalidades e foi eliminado
Criciúma se despede do Campeonato Catarinense com derrota nos pênaltis para a Chapecoense
Foto: Rafaela Custódio/Portal Engeplus
Por Lucas Renan Domingos Em 05/08/2020 às 23:45

O Criciúma está fora da final do Campeonato Catarinense. Jogando no Estádio Heriberto Hülse, na noite desta quarta-feira, dia 5, o Tigre conseguiu, logo no início do primeiro tempo, desmontar a vantagem de 1 a 0 da Chapecoense conquistada no jogo de ida das semifinais. Foguinho fez gol para o Criciúma aos três minutos. O único nos 90 minutos de partida. O resultado levou a disputa para os pênaltis, onde a Chape se deu melhor. O tricolor carvoeiro viu Ezequiel perder a primeira cobrança para o Verdão do Oeste, mas desperdiçou duas oportunidades e foi eliminado. Resultado, 4 a 2 Chapecoense nos pênaltis.

Agora, o time do Oeste catarinense se prepara para enfrentar o Brusque na final do estadual. Os jogos da decisão ainda não têm datas definidas. Já o Tigre, deixa para trás o Catarinense e foca no Campeonato Brasileiro da Série C, com estreia agendada para o dia 10 de agosto, contra o Londrina, no Paraná.

Em quatro minutos de bola rolando, Criciúma faz o gol

Depois de perder o primeiro o jogo por 1 a 0, em Chapecó, o Criciúma tratou logo de tirar a vantagem da Chape. Com quatro minutos de jogo, o Tigre conseguiu abrir o placar. Primeiro Foguinho tentou o cruzamento rasteiro na área, a zaga do Verdão do Oeste desviou e a bola saiu em escanteio. Jajá recebeu a cobrança curta e cruzou na boca do gol defendido por João Ricardo e Foguinho apareceu de carrinho para empurrar para a rede.

Sem a vantagem, a Chapecoense precisou buscar o gol e só não conseguiu empatar aos sete minutos porque Agenor salvou o Criciúma. Dentro da aula, Paulinho Moccelin chutou rasteiro e o goleiro do Tigre caiu para fazer a defesa. O rebote foi na cabeça de Matheus Ribeiro que tentou finalizar de peixinho, mas mais uma vez Agenor fez a defesa.

O jogo era movimentado e, no minuto seguinte, o Tigre apareceu mais uma vez. Depois de boa triangulação pela direita, Victor Guilherme apareceu dentro da área livre. Ele foi até a linha de fundo e tentou o cruzamento. João Ricardo saiu bem e defendeu.

Jogo esfria

Após o começo de partida intenso, intensidade das equipes diminuíram. Respeitando o mando de campo do Criciúma, a Chapecoense fechava a marcação e tentava arriscar nos contra-ataques e na bola aérea, mas também parava na defesa do Tigre. Pelo outro lado, o time de Roberto Cavalo desacelerou. A nova oportunidade só veio aos 21 minutos, com um chute de fora da área de Eduardo, mas sem perigo para João Ricardo.

Quando o cronômetro marcava 29 minutos, Luiz Otávio desperdiçou a chance para a Chape. Após cobrança de escanteio, o zagueiro do Verdão do Oeste subiu livre na área do Tigre, mas errou o cabeceio e mandou para fora. Somente aos 43 da primeira etapa, uma nova finalização. Maurício apareceu pelo alto na área para completar o escanteio. O zagueiro acertou o cabeceio em cima da marcação. Na sequência da jogada, o árbitro viu falta em João Ricardo, o último lance até Rafael Traci determinar o intervalo.

Segundo tempo

Assim como no início do primeiro tempo, na volta do intervalo, o jogo iniciou movimentado, com ataques da Chapecoense. Aylon recebeu ótimo lançamento e dentro da grande área, aos dois minutos, e chutou forte. Vitão apareceu bem para fazer o corte e mandar para a linha de fundo. No escanteio, a zaga do Tigre afastou e na sobra Ronei bate firme de fora da área, mas manda para fora.

Em boa troca de passes o Tigre respondeu. Léo Ceará deu ótimo lançamento para Victor Guilherme em linha de fundo e o lateral tentou o cruzamento forte por baixo. Derlan conseguiu fazer o corte e afastar o perigo. O Criciúma se arriscava mais e chegou mais uma vez com 12 minutos. Mais uma vez de fora da área. Eduardo viu o gol aberto e arrisco. João Ricardo bem posicionado caiu e pegou firme.

Com 16 minutos, a Chape assustou. Derlan cabeceou com perigo e a bola passou perto da meta defendida por Agenor, mas o lance não valia mais nada. Traci viu falta de ataque do jogador do Verdão do Oeste. Pelo lado do Tigre, o perigo continuava sendo Eduardo. Em mais uma oportunidade de longe, o volante do Criciúma pegou rebote do escanteio e soltou o pé. A bola tinha como endereço o gol da Chapecoense, mas a zaga da equipe do Oeste desviou, para a lamentação do jogador do Tigre.

Pressão da Chapecoense no fim

Aos 32 minutos, com 1 a 0 no placar, a equipe que marcasse o gol estaria se classificando. Roberto Cavalo e Umberto Louzer, então, resolvera colocar intensidade no ataque. O técnico da Chape colocou fôlego novo em três posições do seu setor ofensivo. E pelo lado do Tigre, Jajá saiu para a entrada de João Carlos.

As mexidas de Louzer deram os primeiros resultados, com duas chegadas perigosas da Chapecoense. Alan Grafite e Anselmo Ramon, que haviam acabado de entrar, fizeram boa jogada. Grafite roubou a bola pela direita e cruzou na área. Anselmo Ramon, perto da pequena área conseguiu finalizar bem, mas por cima do gol de Agenor. Aos 36 minutos, o atacante apareceu de novo. O Foguinho da Chape fez ótima jogada individual e finaliza. No caminho, Anselmo Ramon desvia e quase faz o gol do Verdão do Oeste.

A Chapecoense pressionava. Alan Grafite dominou no peito dentro da área, girou e bateu. A bola desviada pela defesa do Tigre saiu calmamente pela linha de fundo. Foi a última chance do jogo nos 90 minutos, que terminou com o placar de 1 a 0, levando a disputa para os pênaltis.

Penalidades

Nos pênaltis, a primeira cobrança foi da Chapecoense, que começou desperdiçando. Ezequiel errou o pé e mandou para fora. Agenor abriu os pênaltis para o Criciúma e converteu. Na sequência, Derlan marcou para a Chape, cobrando no meio do gol com tranquilidade. Na segunda do Tigre, João Ricardo defendeu a cobrança de Foguinho, igualando o placar.

Paulinho Moccelin cobrou a terceira da Chape. Bateu bem à meia altura, forte, no canto direito de Agenor e marcou. Jean Dias também perdeu, mandando bola no travessão. Luiz Otávio colocou o Verdão do Oeste mais uma vez na frente. Agenor acertou o canto, pulando para a direita, mas não pegou. Vitão também mandou para rede para o Tigre. Mas não adiantou. Anselmo Ramon converteu o último da Chape e garantiu a classificação, 4 a 2.

Ficha técnica para Criciúma x Chapecoense

Competição: Campeonato Catarinense, semifinal (volta)

Data: quarta-feira, dia 5 de agosto 

Local: Estádio Heriberto Hülse 

Horário: 21h30

Arbitragem: Rafael Traci comandou a partida, auxiliado por Kleber Lucio e Henrique Neu Ribeiro. 

Cartões amarelos: Ezequiel (CHA)

Gols: Foguinho (3’/1ºT) (CRI)

Criciúma: Agenor, Victor Guilherme, Vitão, Maurício e Kaike, Eduardo, Foguinho e Jajá (João Carlos), Léo Ceará, Jean Dias e Thiago Henrique

Técnico: Roberto Cavalo

Chapecoense: João Ricardo, Ezequiel, Joílson, Luiz Otávio e Derlan, Anderson Leite (Lima), Denner (Foguinho), Guedes (Ronei) e Matheus Ribeiro (Alan Grafite), Paulinho Moccelin e Aylon (Anselmo Ramon)

Técnico: Umberto Louzer