InternetData CenterAssinante

Criciúma quer presença da torcida no jogo contra o Marcílio Dias

Tigre aguarda apenas autorização do Governo do Estado para liberar venda e ingressos
Criciúma quer presença da torcida no jogo contra o Marcílio Dias
Foto: Celso da Luz/Criciúma E.C.
Por Lucas Renan Domingos Em 03/07/2020 às 14:22

No que depender do Criciúma o jogo que marca o retorno do Campeonato Catarinense, agendado para a próxima quarta-feira, dia 8, no Estádio Heriberto Hülse, terá a presença do torcedor. O Tigre segue insistindo na intenção de colocar público no Majestoso já na primeira partida pelas quartas de final do estadual, contra o Marcílio Dias, e garante que todos os investimentos necessários para ter a torcida estão sendo feitos. O desejo é conquistar a permissão para colocar aproximadamente 5,8 mil carvoeiros dentro Heriberto Hülse, o que corresponde a 30% da capacidade do estádio.

Para contar com o apoio do torcedor o Criciúma depende apenas da autorização do Governo de Santa Catarina. É que um decreto assinado pelo governador Carlos Moisés mantém suspenso o futebol profissional no Estado até o dia 5 de julho. É nesta publicação que a Federação Catarinense de Futebol (FCF) se agarrou para escolher a data de 8 de julho para retomar o Campeonato Catarinense.

“Mas esse decreto não fala nada sobre a presença da torcida nos estádios. Então nós encaminhamos ofícios para saber o posicionamento do Governo de Santa Catarina, da Prefeitura de Criciúma e também da Federação Catarinense de Futebol sobre público nos jogos”, disse o diretor de operações comerciais e marketing do Criciúma, Julio Remor.

A intenção do Tigre é realizar o distanciamento dentro do Heriberto Hülse, com locais demarcados, uso de álcool em gel e medição de temperatura na entrada do Majestoso e também a realização de sanitização do estádio. “Já compramos álcool em gel, os termômetros, estamos com o planejamento de serviço de jogo pronto e vamos adquirir uma espécie de carimbo para marcar os locais onde as pessoas podem ficar na arquibancada”, detalhou Remor.

A ideia é não ter bilheteria, evitando aglomerações. “Vamos priorizar o acesso dos sócios, com as carteirinhas e colocar alguns ingressos à venda online, para que não haja acúmulo de pessoas e nem troca de dinheiro. Nesta semana também realizamos a primeira sanitização do estádio, já faz parte das medidas”, acrescentou.

Conversas com FCF e Prefeitura de Criciúma

O presidente da FCF, Rubens Angelotti, diz não se opor a ideia de ter torcida nos estádios na volta do estadual, desde que haja as autorizações necessárias. “Acredito que a conversa deva ser mais com as prefeituras. Caso os prefeitos aceitem, não vejo problema nenhum. O decreto do governador não fala sobre o impedimento de público nos estádios”, afirmou.

O Tigre também tem mantido conversa com a Prefeitura de Criciúma para tentar a liberação. Reuniões já foram realizadas e com resultados positivos, mas ainda com pontos a serem alinhados. “Queremos fazer tudo conforme as autoridades da Saúde permitam. Já realizamos algumas reuniões na prefeitura, com a Vigilância Sanitária. Não vamos ter bar, nem a circulação de vendedores pelas arquibancadas. Com as ideias que apresentamos, eles acham possível a presença da torcida, mas ainda estão esperando alguns resultados de curvas da pandemia para avaliar melhor”, destacou Remor.