InternetData CenterAssinante

Criciúma desencanta no segundo tempo e bate o São José no Majestoso

Michel e Andrew marcaram os gols da vitória carvoeira pelo placar de 2 a 0
Criciúma desencanta no segundo tempo e bate o São José no Majestoso
Foto: Celso da Luz / Criciúma E.C.
Por Rafaela Custódio Em 25/09/2020 às 22:03

A resposta do Criciúma após a primeira derrota na Série C do Campeonato Brasileiro foi imediata. Jogando em casa, o time dirigido por Roberto Cavalo bateu o São José na noite desta sexta-feira, dia 25, por 2 a 0, voltando ao G4. Os dois gols da partida válida pela 8ª rodada do Grupo B saíram na etapa final, dos pés de Michel e Andrew.

A vitória sobre o adversário gaúcho fez o Tigre ganhar posições na classificação e voltar ao G4, chegando aos 12 pontos, ocupando a 4ª colocação, ultrapassando o Londrina. O São José, na contramão, estaciona na 7ª colocação, com 8 pontos.

Problemas no pré-jogo

Antes de a bola rolar, Roberto Cavalo ganhou mais problemas além dos que já possuía. Adenilson, que era cotado para atuar improvisado na lateral direita, e Rodrigo Milanez, que seria titular na zaga, tiveram sintomas da Covid-19 ao longo do dia e o Departamento Médico do clube, prontamente, os afastou da partida. Eles se juntaram a outros quatro atletas - Paulo Gianezini, Carlos César, Kaíke e Jean Dias - que já haviam sido diagnosticados com a doença dias antes.

Criciúma esboça pressão

Com a bola rolando, o Criciúma iniciou o jogo apresentando uma marcação adiantada, tentando pressionar o São José. Entretanto, apesar de rodear a grande área gaúcha, nenhuma finalização foi efetuada nos primeiros cinco minutos. O primeiro arremate saiu apenas aos 8, com Alisson Taddei. O camisa 7 do Tigre arriscou da entrada da área, mas mandou longe da meta de Fábio.

Com o passar do tempo, o ritmo mais forte do Criciúma foi caindo e o São José começou a se sentir mais à vontade em campo, trocando mais passes no setor ofensivo. Tão à vontade que deu espaço pros contra-ataques do Tigre. Aos 18, Foguinho retomou a bola na intermediária defensiva e lançou Michel em profundidade. Ele ganhou de Marcão na corrida, invadiu a área, cortou o zagueiro de novo e finalizou pra fora, perdendo uma grande chance.

Gol perdido aquece o jogo

O gol perdido por Michel deu novo pique para a partida. Aos 19, Gustavo Xuxa foi lançado em direção da área e sairia na cara de Agenor, mas Maurício fez corte providencial antes que ele finalizasse. Na resposta, Victor Guilherme recebeu na direita, cortou pro meio e finalizou de pé esquerdo. A bola desviou na defesa adversária e saiu pela linha de fundo. 

O São José não deixou por menos e tentou a resposta aos 21. Marcelo foi ao fundo pela esquerda e jogou na área. Antes da chegada de Romário, apareceu Maurício para cortar na pequena área. Na cobrança de escanteio, Felipe Guedes tentou marcar de bicicleta, mas foi pego em posição irregular e a jogada não valeu, apesar de a bola ter ido para fora.

Aos 25, outro susto dos visitantes. Em falta lateral, Xuxa cobrou fechado na área, Agenor saiu mal e socou a bola para fora, antes que Romário desviasse pro gol. Em outra falta lateral, três minutos depois, veio nova chance do São José. Desta vez, quem cobrou fechado foi Vitor Júnior. Agenor voou e tirou de soco.

A resposta carvoeira veio na jogada seguinte. Bruno Oliveira foi ao fundo pela esquerda e cruzou. A bola passou por todo mundo e caiu nos pés de Marcelo. O lateral gaúcho, porém, dormiu no ponto e Foguinho recuperou a bola perto da pequena área. Ele tinha opção de passe, mas preferiu chutar de pé direito e mandou por cima da meta de Fábio.

Aos 31, foi a vez do Tigre tentar acertar a meta oposta em uma falta lateral. Da direita, Jean Lucas cruzou na cabeça de Maurício, que cabeceou à direita do gol.

São José e a bola parada

As jogadas de bola parada continuaram sendo as mais perigosas do São José. Aos 34, Jean Lucas fez falta na intermediária e Gustavo Xuxa decidiu chutar de longe. A barreira formada por três jogadores abriu, a bola passou e Agenor não quis tentar defender. O goleiro acabou rebatendo pro lado.

O Criciúma voltou a criar uma grande chance aos 40 minutos. Rafael Tavares perdeu a bola para Andrew na entrada da área. O camisa 11 carvoeiro não pensou duas vezes: ajeitou o corpo e chutou de pé direito. A pelota passou com perigo, à direita de Fábio.

Apesar das tentativas de gol, a rede não balançou nos primeiros 45 minutos e as duas equipes voltaram para o vestiário no intervalo com o 0 a 0 no placar.

Segundo tempo 

Na volta para o segundo tempo, Roberto Cavalo mexeu na formação carvoeira. Alisson Taddei ficou no vestiário e Léo Ceará ingressou na equipe. Com a alteração, o Tigre entrou em campo com gás renovado e logo aos 30 segundos criou uma chance. Michel foi lançado, escorou de cabeça para Jean Lucas, que finalizou de longe e viu a bola sair pela linha de fundo.

No lance seguinte, alívio para a defesa carvoeira. Xuxa venceu a marcação pela esquerda e rolou para trás. Romário chegou desequilibrado para tentar finalizar e não arrematou como queria. A bola foi para fora, sem grande perigo.

Aos 4, enfim o gol. Retomada de bola do Criciúma no campo de ataque, Léo Ceará foi lançado pela esquerda, correu ao fundo e rolou para trás. Livre na marca penal, Michel finalizou no canto esquerdo de Fábio, que se esticou, mas não alcançou. O camisa 9 se redimiu do gol perdido na etapa inicial da melhor forma possível.

A resposta dos visitantes veio apenas aos 7 minutos. Felipe Guedes recebeu na intermediária e decidiu arriscar um chute rasteiro. Atento, Agenor caiu para agarrar. Cinco minutos depois, em novo chute de fora da área, Gustavo Xuxa arriscou. Com força, mas sem direção e a bola passou por cima do gol. 

Aos 14, foi a vez de o Criciúma perder uma bola na defesa. Melhor para Rafael Tavares, que foi lançado em velocidade, fintou Carlos Alexandre e finalizou de pé esquerdo, longe da meta carvoeira.

Dois minutos depois, Michel roubou bola na intermediária, acionou Jean Lucas, que deixou Victor Guilherme na cara de Fábio. Ele finalizou em cima do goleiro, mas viu a jogada ser parada porque estava em posição de impedimento.

Ritmo diminui e Tigre mata o jogo

Em comparação com a etapa inicial, o segundo tempo teve ritmo lento e menos emoções. Precisando do gol, aos 20 minutos, Everton Vanoni decidiu fazer duas mexidas de uma vez só. Vitor Júnior e Romário saíram para as entradas de Lissandro e Gonzalo.

Léo Ceará voltou a aparecer pro jogo aos 22 minutos. Após cruzamento da direita de Andrew, o camisa 18 apareceu livre para finalizar no lado oposto. Ele tentou deslocar o goleiro, mas tirou também do gol e mandou pra fora.

Aos 24, o autor do gol carvoeiro deixou o gramado. Cavalo sacou Michel e promoveu a estreia de Zeca. O centroavante de 23 anos veio emprestado pelo Goiás.

Aos 27, bola na rede mais uma vez. Victor Guilherme cruzou na área, Fábio saiu mal e cortou a pelota nos pés de Andrew, que com a trave aberta só teve o trabalho de rolar para as redes. O camisa 11 foi pra festa para celebrar o 2 a 0.

Agenor voltou a trabalhar aos 30 minutos. Em falta na entrada da área, Rafael Tavares cobrou no canto direito do goleiro carvoeiro. Ele ameaçou sair pro canto contrário, mas voltou em tempo de espalmar a bola pela linha de fundo.

No minuto seguinte, novas alterações no São José. Diguinho e Tcharles saíram para as entradas de Crystopher e Márcio Jonatan. As alterações, porém, não surtiram grande efeito e o jogo ganhou clima morno. Tentando mudar esse ambiente, Cavalo promoveu duas alterações aos 39. Victor Guilherme e Jean Lucas deixaram o gramado para os ingressos de Vitão e Adriano.

Nos últimos suspiros, o Zequinha teve mais uma chance aos 43. O tiro cruzado de Rafael Tavares, da entrada da área, saiu perto da trave esquerda de Agenor.

A última alteração promovida por Roberto Cavalo foi feita nos acréscimos. Aos 47, Foguinho deixou o gramado e Christofer entrou para disputar os minutos finais.

Uma das últimas ações do Criciúma foi aos 48, com Adriano. O volante tentou chute da intermediária e mandou longe do gol. Naquele momento, o gol já não faria tanta diferença e o time carvoeiro pode apenas aguardar alguns instantes para, enfim, celebrar a terceira vitória na Série C.

Com os três pontos garantidos, o Criciúma foca agora na partida contra o Tombense, que está marcada para a próxima quarta-feira, dia 30, às 20h, em Tombos. O jogo é atrasado da 4ª rodada e não foi disputado na data original porque a equipe mineira estava envolvida na disputa das finais do Campeonato Estadual de Minas Gerais.

Ficha técnica para Criciúma 2x0 São José 

Competição: Série C do Campeonato Brasileiro 8ª rodada 

Data: Sexta-feira, dia 25 de setembro 

Local: Estádio Heriberto Hülse 

Horário: 20 horas 

Arbitragem: Apitou o jogo o árbitro Osimar Moreira da Silva Junior, de Goiás. Ele foi auxiliado por Luciano Roggenbaum, do Paraná, e Tiago Gomes da Silva, de Goiás

Cartões amarelos: Eduardo, 29’/2º (CRI); Romário, 35’/1º; Diguinho, 31’/2º (SJO)

Gols: 1x0 Michel (4’/2º); 2x0 Andrew (27’/2º)

Criciúma: Agenor; Victor Guilherme, Carlos Alexandre, Maurício e Bruno Oliveira; Eduardo, Foguinho (Christofer, 47’/2º), Jean Lucas e Alisson Taddei (Léo Ceará, 1’/2º); Andrew e Michel (Zeca, 23’/2º)

Técnico: Roberto Cavalo

São José: Fábio; Tcharles (Chrystopher, 32’/2º), Wagner, Marcão e Marcelo; Diguinho (Márcio Jonatan, 32’/2º), Felipe Guedes; Vitor Júnior (Lissandro, 20’/2º), Rafael Tavares e Gustavo Xuxa; Romário (Gonzalo, 20’/2º)

Técnico: Everton Vanoni