InternetData CenterAssinante

Criciúma chega a quatro jogos sem derrotas no Estadual e Roberto Cavalo comemora evolução

Tigre conquistou quatro pontos nos últimos dois jogos, ambos fora de casa
Criciúma chega a quatro jogos sem derrotas no Estadual e Roberto Cavalo comemora evolução
Foto: Thiago Hockmüller/Arquivo Engeplus
Por Thiago Hockmüller Em 15/02/2020 às 20:06

Aos poucos, o Criciúma está se encontrando na temporada. Tá certo que o futebol ainda não empolga, mas os resultados estão aparecendo. Nas últimas quatro rodadas do Campeonato Catarinense, uma vitória e três empates.  

Na tarde deste sábado, dia 15, o Tigre ficou no 1 a 1 com a Chapecoense, pela sexta rodada do Estadual, e volta para o Majestoso com quatro dos seis pontos disputados longe de casa – venceu o Avaí na Ressacada, pela quinta rodada.   

Depois do confronto na Arena Condá, o técnico Roberto Cavalo lamentou ter sofrido o gol de empate, após largar na frente com Carlos César. 

“Sabemos do equilíbrio do campeonato. Mobilizamos a equipe para jogar contra o Avaí, marcamos forte e fomos felizes. A proposta era a mesma. Com a Chape nesta situação difícil, marcamos forte e buscamos oportunidades de gol. O grupo está chateado, poderíamos ter mantido o resultado, mas futebol é isso aí”, refletiu o técnico. 

O Criciúma está crescendo pouco, mas está crescendo. O Criciúma poderia ter saído com a vitória, mas o detalhe decide. 

Roberto Cavalo, técnico do Criciúma
___________

Desgaste e substituições 

Já na segunda etapa do confronto, quando o Tigre vencia o jogo por 1 a 0, Roberto Cavalo abriu a caixa de ferramentas e resolveu mexer no time. Em cinco minutos, trocou Daniel Cruz por João Carlos, Christofer por Jajá, e depois Carlos César, autor do gol, por Claudevan Pirambu.   

De acordo com o técnico, as alterações aconteceram em função do desgaste da equipe. Ele revelou ainda, que na viagem de Florianópolis para Criciúma, a delegação ficou duas horas parada na BR-101, em Tubarão. 

“É desgaste, o jogo pesado contra o Avaí. O desgaste é normal e precisamos mexer quando pode. Quando você muda é para melhorar. Vamos corrigir o detalhe, a origem do gol da Chapecoense. Um erro pode ser faltal, e foi fatal”, explicou. 

O Criciúma volta a campo somente no dia 1º de março, quando recebe o Brusque no Heriberto Hülse. 

Leia mais

Em jogo fraco tecnicamente, Criciúma e Chape empatam na Arena Condá