InternetData CenterAssinante

Começou bem: na estreia no Catarinense, Tigre vence o Concórdia

Tricolor carvoeiro saiu atrás do placar, mas conseguiu a virada e os primeiros três pontos
Começou bem: na estreia no Catarinense, Tigre vence o Concórdia
Foto: Thiago Hockmüller/Portal Engeplus
Por Lucas Renan Domingos Em 22/01/2020 às 20:58

"Precisamos voltar a vercer diante da nossa torcida", pediu o técnico Roberto Cavalo na véspera da estreia do Campeonato Catarinense. A solicitação foi atendida. Em jogo válido pela primeira rodada do estadual, o Criciúma recebeu o Concórdia no Estádio Heriberto Hülse e venceu o Galo do Oeste pelo placar de 2 a 1, de virada. 

O Tigre saiu atrás do placar depois de um pênalti polêmico a favor do Concórdia. Porém, com gols de Jajá e Carlos Cesar, também de pênalti, o Criciúma virou o marcador e começa o Campeonato Catarinense com vitória.

Intensidade do Criciúma no início

O jogo começou movimentado com ambas as equipes buscando manter a posse de bola e buscando o jogo. Apesar da maior intensidade do Criciúma, foi o Concórdia quem chegou primeiro, aos três minutos. Wesley Jesus recebeu pelo lado esquerdo do ataque e tentou o chute forte da entrada da área. A bola saiu em linha de fundo pelo lado esquerdo da trave defendida por Paulo Gianezini. 

O Tigre não demorou a responder. Aos quatro minutos Jajá ganhou em velocidade pelo lado esquerdo do ataque e cruzou rasteiro na área, mas a zaga do Galo do Oeste cortou o passe, mandando em escanteio. O Criciúma cobrou o escanteio curto. Alisson Taddei invadiu a área e arriscou o chute, que saiu fraco e fácil para o goleiro Eder fazer a defesa. 

Era pressão do Tricolor Carvoeiro. Aos 10 minutos, quase o goleiro do Concórdia é surpreendido. Victor Guilherme recebeu pelo lado direito e tentou o cruzamento. A bola saiu muito aberta e quase encobriu o goleiro Eder. Dois minutos depois, em um erro de Alisson Taddei, o Concórdia quase abriu o placar. O meio-campo do Tigre perdeu a bola no campo de defesa do Galo do Oeste e deu o contra-ataque. A bola chegou no atacante Moisés que bateu colocado e com perigo, quase no ângulo de Paulo Gianezini. 

Concórdia cresce na partida e abre o placar

Pelo lado esquerdo vinham as melhores oportunidades do do Concórdia. Aos 23 minutos, Moisés apareceu bem mais uma vez. Ele deu um lindo drible em Victor Guilherme, que ficou no chão, mas acabou finalizando em cima da zaga do Tigre. Na sequência da jogada, o Criciúma também chegou. Foguinho disparou de fora da área, bateu no marcardor subiu, saindo em linha de fundo. 

E Moisés seguia levando perigo ao gol de Paulo Gianezini. Aos 30 minutos do primeiro tempo, ele abriu pelo lado direito para Léo Itaperuna e correu para área. No cruzamento, o time do Criciúma não marcou Moisés que apareceu sozinho e finalizou, para a sorte do Tigre ele pegou mal na bola e a Rodrigo Milazez fez o corte. 

Em cima, o Concórdia conseguiu abrir o marcador e foi com Moisés. O atacante cobrou falta perto da área e a bola saiu em linha de fundo perto do pé-esquerdo da trave do Tigre. O árbitro central deu o tiro de meta, mas o auxiliar viu o desvio na barreira na mão do jogador do Criciúma e a arbitragem deu o pênalti. Os jogadores da equipe carvoeira reclamaram muito, Foguinho chegou a levar o amarelo, mas não adiantou. Moisés cobrou firme no canto esquerdo do goleiro do Tigre a comemorou, 1 a 0. 

Tigre manda bola na trave

O Criciúma ainda tentou igualar o placar na primeira etapa. E quase conseguiu. Depois de dobraça de escanteio, Rodrigo Milanez subiu mais que todo mundo e testou a bola. A finalização parou no travessão de Eder, para o delírio da torcida carvoeira. Aos 40 minutos, mais uma chegada do Criciúma. Desta vez, com Victor Guilherme, o lateral invadiu a área, deixou dois marcadores para trás e finalizou em cima da marcação. 

Atrás do placar no apito final do primeiro tempo, o Criciúma foi para o intervalo sob vaias da torcida. A arbitragem também foi bastante cobrada pelo lance do pênalti.

Concórdia balança a rede, mas não amplia

Na volta do intervalo, o Criciúma tentava conquistar o empate. Aos seis minutos Edinan, que entrou no lugar de João Carlos, teve a primeira chance. O atacante do Tigre recebeu na área e ia finalizar, quando foi tocado pelo jogador do Concórdia. A torcida pediu o pênalti, mas o árbitro mandou a jogada seguir. 

Indo para cima, o Criciúma dava espaço para os contra-ataques do Galo do Oeste. Jean Lucas apareceu bem na área e tenou finalizar, sendo prensado por Bruno Oliveira. Mas o Tigre também soube aproveitar o contra-ataquel. Com 15 minutos da segunda etapa, Alisson Taddei puxou o ataque, tocou para Jajá, que foi até na linha de fundo e tentou o cruzamento. Andrew chegava na bola, mas ela subiu demais e saiu em lateral. 

O Concórdia balançou a rede pela segunda vez. Depois de cruzamento rasteiro, a bola sobrou para Moisés. O jogador  disparou com força mandou para a rede, mas o árbitro anulou o gol, viu irregularidade no lance. 

Vira-vira do Tigre

Na primeira jogada bem trabalhada que conseguiu fazer, o Criciúma chegou ao empate. Andrew e Foguinho trocaram passes e o volante apareceu bem na área para cruzar com força e rasteiro. Jajá apareceu na pequena área e mandou para a rede. Comemorou a torcida do Tigre, 1 a 1. 

Se o Galo do Oeste abriu o placar com o pênalti, o Tigre teve a mesma oportunidade para virar o marcador. Aos 35 minutos da segunda etapa, Andrew fazia boa jogada na área pelo lado esquerdo, quando foi tocado por Osmar e caiu. O árbitro, em cima do lance, viu a penalidade e apontou para o centro da área. 

Carlos César foi para a cobrança e, com experiência, cobrou rasteiro no canto direito de Eder. Bola para um lado, goleiro para o outro. Criciúma na frente do placar, 2 a 1. 

O Criciúma ainda teve uma última chance. Aos 47, Victor Guilherme arricou o chute de fora e bateu forte. A bola passou por cima do travessão de Eder com perigo, mas foi para fora. Fim de papo. Venceu o Tigre.

Ficha técnico para Criciúma 2 x 1 Concórdia

Competição: Campeonato Catarinense, 1ª rodada

Data: Quarta-feira, dia 22 de janeiro

Local: Estádio Heriberto Hülse

Horário: 19 horas

Público: 2.819 torcedores

Renda: R$ 46.020

Arbitragem: Marcos Vinícius de Oliveira Matias, auxiliado por Johnny Barros de Oliveira e Bruno Müller.

Cartão amarelo: Adenilson, Foguinho e Victor Guilherme (Criciúma), Tetê, Wesley Jesus e Osmar (C0ncórdia)

Gols: Jajá (19'/2º) (Criciúma), Moisés (34'/1º)

Criciúma: Paulo Gianezini, Victor Guilherme, Rodrigo Milanez, Murilo Gomes e Bruno Oliveira, Adenilson, Foguinho e Alisson Taddei (Carlos César), Andrew, Jajá (Lukinha) e João Carlos (Edinan).

Técnico: Roberto Cavalo

Concórdia: Eder, Alison (Osmar), Guilherme Café, Gabriel Peres e Calixto, Tetê, Wesley de Jesus (Neílson), Diego Felipe e Jean Lucas, Moisés e Léo Itaperuna (Wesley Barbosa).

Técnico: Celso Rodrigues