InternetData CenterAssinante

“Assumo meu erro”, diz Roberto Cavalo após eliminação da Copa do Brasil

Técnico do Criciúma diz que esquema com três zagueiros não funcionou e causou a derrota
“Assumo meu erro”, diz Roberto Cavalo após eliminação da Copa do Brasil
Foto: Rafaela Custódio/Portal Engeplus
Por Lucas Renan Domingos Em 05/02/2020 às 19:30

“Assumo um erro meu, eu sou o treinador. A opção de três zagueiros foi porque nós analisamos bastante o adversário”, disse Roberto Cavalo após a derrota para o Santo André pela Copa do Brasil, na tarde desta quarta-feira, dia 5. O Criciúma entrou no gramado do Estádio Bruno José Daniel precisando apenas de um empate para avançar na competição. Mas a escolha do técnico em formar um time com três defensores caiu por terra logo aos três minutos de partida, quando Douglas Baggio abriu o placar para o Ramalhão. A opção pelo esquema tático defensivo foi visto por Cavalo como o principal fator pela derrota.

“Nós estudamos a equipe. Eles forçam muito pelo lado direito. E foi visível, tomamos os dois primeiros gol por ali. Mas o sistema não deu certo. O primeiro gol tomado mudou qualquer situação e aí ficou difícil. Sentimos o baque. A culpa é minha. Nós tentamos orientar, mas foi muito abaixo do que a gente esperava”, disse o técnico.

Cavalo fala constantemente da manutenção de uma equipe dentro de campo para pegar ritmo. Foi assim nos empates para o Atlético Tubarão e Marcílio Dias pelo Campeonato Catarinense. Para a partida pela Copa do Brasil ele optou, mais uma vez, por alterar a formação de seu time, mas voltou a reclamar do pouco tempo de trabalho e a frisar que precisa de reforços.

“Tem faltado qualidade e experiência para alguns jogadores. Não dá para dizer que o time é ruim, mas estamos com uma carência visível. Existe uma preocupação grande, porque não temos uma equipe definida, um padrão de jogo e isso só vai vir com o tempo. Mas estamos no mercado, continuamos buscando reforços”, acrescentou.

Permanência no Criciúma

Com o Criciúma vivendo má fase no estadual, ainda somando a eliminação na Copa do Brasil, torcedores já têm questionado a permanência de Cavalo no comando da equipe. Mesmo não tendo os resultados esperados, ele espera que a diretoria do Tigre lhe dê a chance de permanecer a frente do time.

“Eu vou trabalhar sempre da melhor maneira possível. Estou tendo a oportunidade de fazer um Criciúma melhor. A diretoria, o Jaime Dal Farra me deu essa chance. Tivemos uma queda ano passado, eu cheguei depois, não participei da montagem da equipe e hoje faço parte (da montagem). Quando não tem resultado, vem problemas. Eu passo para a diretoria. Eu espero ficar até o fim, porque é um projeto. Agora depende da diretoria. O que eles definir, estou à disposição sempre”, falou o treinador.