InternetData CenterAssinante

'É um sonho se tornando realidade', afirma Maicon Sisenando, no retorno ao Criciúma

Com 37 anos e duas participações em Copas, lateral deve estrear quinta-feira pelo Tigre
'É um sonho se tornando realidade', afirma Maicon Sisenando, no retorno ao Criciúma
Por Heitor Carvalho Em 15/01/2019 às 17:50 - Atualizado há 9 meses

“É um sonho se tornando realidade”, assim Maicon Sisenando definiu seu retorno ao Criciúma, time que defendeu nas categorias de base. Apresentado pelo clube na tarde desta terça-feira, dia 15, o jogador está treinando com o grupo desde o dia 26 de dezembro, quando se reapresentou com os demais atletas. O lateral-direito deve ser titular na estreia do Tigre no Catarinense, que acontece nesta quinta-feira, dia 17, às 19 horas, no clássico contra o Figueirense, no Estádio Heriberto Hülse.

Durante a categoria de base o jogador passou por Grêmio, Criciúma e Cruzeiro, mas foi no Tigre que o atleta foi praticamente formado, porém não teve a oportunidade de jogar pela equipe profissional. “Sempre comentei com meu pai, familiares e amigos que um dia eu queria voltar a vestir a camisa do Criciúma”, ressaltou o jogador.

Do Tricolor, o jogador foi para o Cruzeiro em 2001, com boas temporadas em Minas, o lateral rumou para a França em 2004, onde vestiu a camisa do Mônaco. Após se destacar na Ligue 1, o jogador transfeiro foi para a Inter de Milão em 2006, e foi defendendo as cores do time italiano que Maicon viveu seus melhores anos, conquistando a UEFA Champions League 2009-2010, temporada inclusive em que foi eleito o melhor defensor pela UEFA.

Atrás de novos desafios, o lateral trocou a Itália pela Inglatera em 2012, para vestir as cores do Manchester City. Na terra da rainha, o jogador não conseguiu se firmar e ao final da primeira temporada voltou a Itália em 2013 - agora para defender a Roma, na esperança de reencontrar o seu bom futebol.

Durante o período em que esteve na Europa, Maicon se dividia entre as conquistas pelos clubes por onde passava e pela Seleção Brasileira. Vestindo a amarelinha o jogador conquistou duas edições da Copa América (2004 e 2007) e duas da Copa das Confederações (2005 e 2009), além de disputar duas edições da Copa do Mundo (2006 e 2010).

Ao fim do seu vínculo com a Roma, o jogador não teve seu contrato renovado e voltou ao Brasil no final de 2016. Sem clube, o jogador seguiu mantendo a forma física no Brasil, usando as dependências do Botafogo. Sem acordo com o time carioca, Maicon acertou com o Avaí e defendeu a equipe da capital em 2017.

Já 2018 foi de descanso para o lateral, que aproveitou o período com a familia e os amigos. “Ano passado eu procurei aproveitar mais os familiares. Na minha carreira eu nunca tive tempo de folga para estar junto dos meus filhos, familiares, então procurei estar ao máximo com eles, fazendo coisas que não podia fazer antigamente, como levar meu filho para a escola", afirmou o lateral-direito.

Um pedido do filho ajudou e muito na decisão de Maicon de retornar ao futebol em 2019 e de defender as cores do Criciúma. “Ele disse que não queria eu levasse ele pra escola, mas que voltasse a jogar bola, porque ele gostava de me ver jogando”.

Quem abriu a apresentação do jogador foi o diretor executivo de futebol, Nei Pandolfo, que falou sobre o quanto a vinda de Maicon engradece o Criciúma. Já o diretor de operações, marketing e relações comerciais do clube, Júlio Remor, que também se fez presente na apresentação, foi o responsável por divulgar o número da camisa do jogador, o 13, que o acompanha desde os tempos de Cruzeiro.