InternetData CenterAssinante

Eventos de grande porte, Copa Davis e Meia Maratona fomentam economia criciumense

Estima-se que US$ 2 milhões tenham sido deixados no município durante a última semana
Eventos de grande porte, Copa Davis e Meia Maratona fomentam economia criciumense
Foto: Thiago Hockmüller/Arquivo Portal Engeplus
Por Thiago Hockmüller Em 17/09/2019 às 12:56

Criciúma viveu no último final de semana um momento mágico na área esportiva. No Mampituba, a Copa Davis se mostrou um sucesso de público e trouxe tenistas renomados e importantes no cenário internacional. Já no domingo, a Meia Maratona recebeu mais de mil corredores e trouxe ao município o medalhista olímpico Robson Caetano. 

Para o presidente da Fundação Municipal de Esportes (FME), Nícola Martins, este é um novo nicho econômico a ser prospectado no município. Além do mais, movimenta modalidades alternativas ao tradicional futebol. "Criciúma sempre teve o esporte muito forte, faltava um algo a mais, um passo a mais. Esse fim de semana foi mágico para a cidade. Temos que trazer mais eventos desse nível para contribuir com a economia do município”, explica. 

A Copa Davis, que recebeu duelos entre as seleções de Brasil e Barbados, é reflexo deste crescimento. Vale lembrar que a Sociedade Recreativa Mampituba recebe desde 2016 o Banana Bowl, competição juvenil e que reúne tenistas de todos os cantos do mundo. Em fevereiro de 2020 existe a perspectiva que o evento se habilite entre os cinco melhores torneios da categoria, isso a nível mundial e mais uma vez sediado no Mampi. 

O contrato com o Banana Bowl encerra no próximo ano e a possibilidade de renovação não está descartada. Já a Copa Davis, que trouxe para Criciúma tenistas como Marcelo Melo, Bruno Soares e Thiago Monteiro, alavanca o município como rota de grandes competições esportivas, além das promovidas no futebol. “O Banana Bowl já está entre os 20 melhores torneios do mundo e deve ficar entre os cinco melhores. A Copa Davis é a cereja do Bolo. É uma satisfação pessoal minha e estou muito feliz pelas pessoas terem gostado. Entregamos um evento internacional e de grande quilate para Criciúma”, pondera o presidente da Federação Catarinense de Tênis (CBT), Alexandre Farias.  

Leia mais

Pela Copa Davis, deu Brasil no Mampituba

Meia Maratona de Criciúma reúne mais de mil participantes neste domingo

Economia em movimento 

Estima-se que o movimento econômico girado em função da Copa Davis e da Meia Maratona se aproxime de US$ 2 milhões. Dinheiro arrecadado em hotéis, restaurantes, por motoristas de aplicativo e taxistas, além de farmácias e comércio em geral.  

“Temos que entender que o esporte vai muito além da própria modalidade. Tivemos quase toda a rede hoteleira da cidade ocupada por causa dos dois eventos, tem o comércio, o serviço, como bar, farmácia, transporte. O esporte e os eventos são economias limpas. Criciúma tem muito mais turismo de negócios e estamos criando o turismo de eventos por conta do esporte. Isso é essencial e foi provado neste final de semana’, argumenta o presidente da FME. 

Um grande aliado para este movimento é o Projeto Rua da Gente, recebido na rua José Henrique Mezzari, ao lado do Parque das Nacões. Aos poucos, o projeto vem caindo no gosto popular e também entrando no calendário do município com grandes eventos. Exemplo disso é a Meia Maratona que teve toda a estrutura montada ali mesmo, sendo ponto de largada e chegada da competição. 

“Quando foi criada a rua José Henrique Mezzari e o projeto Rua da Gente, para fechar ela aos domingos, foi pensando nisso, em trazer os grandes eventos da cidade para acontecerem neste local. Tivemos o desfile de 7 de Setembro, a Meia Maratona, semana que vem tem o duathlon. Temos que fomentar e trazer cada vez mais eventos. Quando temos uma rua deste nível, estamos fomentando o esporte. Não é um gasto, é um investimento. Essa rua tem que se consolidar como uma área esportiva e está caindo no gosto das pessoas aos domingos. Outro dia passei aqui e tinha quase 200 pessoas andando de bicicleta, patins, os pais com cadeira de praia, chimarrão e os filhos curtindo a rua”, afirma Martins. 

A prova de 21k feminino foi vencida pela corredora Daiane Marangoni Furlan, com tempo de 1 hora 31 minutos e 49 segundos, seguida por Tatiane Gomes Marcos (1h34m51s) e Tayrini da Silva Marcelino (1h39m33s). Na prova masculina o primeiro lugar ficou com Jurandir Reinaldo, com tempo de 1h14m46s, seguido por Patricio Macedo dos Santos (1h16m22s) e Washignton Agenor Rodrigues de Freitas (1h16m35s). 

Leia mais sobre: