InternetData CenterAssinante

Criciúma arranca empate no final e depende de combinação de resultados para seguir vivo na Série B

Tigre depende de tropeços de Londrina e Figueirense para não terminar a rodada rebaixado
Criciúma arranca empate no final e depende de combinação de resultados para seguir vivo na Série B
Foto: Rafaela Custódio/Portal Engeplus
Por Thiago Hockmüller Em 19/11/2019 às 21:26

O Criciúma lutou, criou chances, mas ficou no empate com o Paraná e agora depende de combinação de resultados para não ser rebaixado ao final desta 37ª rodada da Série B. A partida aconteceu na noite desta terça-feira, dia 19, no estádio Heriberto Hülse, e teve contornos de drama. Drama porquê a equipe de Roberto Cavalo perdia até os 50 minutos da etapa final, quando empatou com Léo Gamalho e ainda criou mais três chances para virar. O gol paranaense foi marcado aos 33 do primeiro tempo, com uma bonita finalização de Guilherme Santos. 

Com o empate, o Criciúma pode ser rebaixado na quinta-feira, em caso de vitória do Londrina contra o São Bento. E também na sexta, caso o Figueira não perca para o CRB, em Maceió. Na última rodada, o Tigre visita o Oeste, sábado, dia 30. Já o Paraná encerra sua participação no campeonato duelando em casa com o Botafogo (SP). 

Com 90% de risco de rebaixamento, o Criciúma entrou em campo para jogar contra os números e contra o tempo. O time carvoeiro buscou a todo instante acelerar a partida e criar situações, sobretudo pelos lados. A tentativa era aproveitar a correria promovida por Andrew e Reis.  

Nos primeiros minutos o Tigre demorou para se encontrar e o Paraná criou a primeira oportunidade. Aos 12 minutos, os visitantes trocaram passes pela direita, Éder Sciola entrou na área e com um bonito chute, buscando o canto esquerdo, obrigou Gianezini a realizar uma grande defesa. 

Blitz carvoeira 

O Tigre respondeu aos 14, com um chute de Foguinho. Ele recebeu passe de Eduardo e da intermediária atirou alto, pela linha de fundo. Logo depois, em cruzamento na área, Derlan dividiu com o goleiro e reclamou pênalti no lance, mas o árbitro gaúcho mandou o jogo seguir. O zagueiro alegou ter sido chutado pelo goleiro Thiago Rodrigues. 

Com 63% de posse de bola e volume de jogo, o Criciúma promoveu uma blitz nos minutos seguintes. E por um detalhe não abriu o placar. Foguinho recebeu dentro da área e tentou finalizar, a bola bateu na defesa e sobrou para Marlon, na entrada da área. Ele tirou do marcador e cruzou na cabeça de Léo Gamalho, que venceu o zagueiro e cabeceou no travessão. A pressão seguiu e Foguinho cabeceou na direção do camisa 9, que tocou de volta, mas o volante não entendeu a jogada e a bola ficou com os paranaenses. 

No contra-ataque, Paraná castiga o Tigre 

Com amplo domínio e com necessidade de construir a vantagem, o Criciúma deixou espaços preciosos em seu campo defensivo. E o Paraná soube aproveitar. Aos 20, o time treinado por Matheus Costa chegou pela ponta esquerda de ataque. Jhemerson invadiu a área e bateu cruzado, só que Gianezini foi buscar. 

A partir deste lance, o jogo ficou ainda mais nervoso. Aos 30, Marlon tentou cruzar, a bola tomou a direção do gol e quase surpreendeu o goleiro Thiago Rodrigues. O camisa 1 não quis se complicar e espalmou para escanteio. 

Após sofrer uma pequena pressão dos mandantes, o Paraná foi efetivo. Aos 33, subiu forte ao ataque com Guilherme Santos. Ele tabelou com Bruno Rodrigues, bateu sem chance para Gianezini e abriu o marcador.  

Mesmo após o gol, a torcida seguiu apoiando. E o Tigre ainda tentou empatar em cruzamentos, mas faltou efetividade para encostar no placar. Após o final da primeira etapa, os torcedores pediram raça aos atletas.

“Tem que correr o risco no final do jogo. Precisava ficar mais atento nessas bolas enfiadas. Tomar um gol assim em casa é complicado, na situação que a gente está. Temos 45 minutos, acredito que podemos virar o jogo”, planejou o goleiro Gianezini, na descida para os vestiários. 

Jogo truncado 

Atrás no placar e sendo rebaixado para a Série C, Roberto Cavalo não teve alternativa a não ser abrir o time. Já na volta do intervalo trocou o lateral-direito Carlos Eduardo pelo meio-campista Daniel Costa. 

A mudança povoou o meio-campo tricolor, mas o time demorou para se encontrar. Aos 7, Andrew avançou pela ponta direita e cruzou rasteiro. A bola atravessou a área e não encontrou ninguém de preto, amarelo e branco e caiu nos pés do time paranaense. 

Sem ter o resultado desejado, Roberto Cavalo queimou a segunda alteração aos 11. Vaiado, Reis deixou o campo para a entrada de Reinaldo. Aos 18, Daniel Costa teve grande oportunidade de mudar o quadro do Criciúma no duelo. Léo Gamalho tentou o giro na entrada da área e foi derrubado. O árbitro gaúcho marcou falta. O meia foi para a cobrança, a bola passou em cima da barreira, mas ganhou altura e saiu pela linha de fundo.  

Tigre inteiro no campo de ataque 

O lance animou o Criciúma, que se jogou inteiro ao campo de ataque. Forte no jogo aéreo ofensivo, Sandro virou praticamente um atacante. Aos 20, Daniel Costa cobrou falta na área, a zaga afastou. Logo depois, Sandro trombou com o adversário e sofreu cartão amarelo. 

Bem postado em campo e com o placar a favor, o Paraná aproveitou a tensão no Heriberto Hülse para criar suas oportunidades, sempre em contragolpes. A cada bola perdida do Tigre ou investida do adversário, a torcida do Criciúma não escondia a sua frustração pedindo reação aos atletas. 

No sufoco, o empate 

Aos 29, Matheus Anjos recebeu na área e cruzou para o meio buscando Jenison. Livre, o camisa 9 escorou no canto esquerdo e Gianezini buscou mais uma.   

A última cartada de Roberto Cavalo, para se manter vivo na Série B, foi trocar Wesley por Luquinha. O Tigre seguiu buscando na bola área o seu gol de empate. Após pressionar o adversário com trocas de passes, Eduardo carimbou o marcador e ganhou escanteio. Na cobrança, Derlan e Luiz Otávio ficaram caídos, Foguinho chutou em cima do marcador e Léo Gamalho estufou as redes. Depois do gol, muita reclamação dos paranaenses, que pediram falta em Luiz Otávio. Por reclamação, o zagueiro Rodolfo foi expulso. 

Ainda precisando de um gol para avançar na tabela, o Criciúma pressionou nos minutos finais. O torcedor também fez a sua parte e jogou junto. Com sete minutos de acréscimos, a bola rondou a área do Paraná. Aos 50, quase um golaço de Foguinho. Dentro da área, ele puxou uma bicicleta e chutou no canto direito do goleiro, que foi buscar.  

No lance seguinte, Andrew arrancou para invadir a área e foi derrubado. O árbitro expulsou Fabrício e o Paraná terminou o jogo com nove em campo. Na cobrança da falta, Marlon mandou rasteiro, buscando o canto esquerdo, mas o goleiro defendeu. Antes do apito final, deu tempo para mais uma tentativa. Reinaldo avançou pelo setor esquerdo de ataque e cruzou para Léo Gamalho. O centroavante se atirou em direção à bola, mas não encontrou a redonda e o Tigre ficou no empate e respirando por aparelhos na Série B. 

Ficha técnica para Criciúma 1x1 Paraná 

Competição: Campeonato Brasileiro da Série B, 37ª rodada. 

Data: Terça-feira, dia 19 de novembro. 

Local: Estádio Heriberto Hülse. 

Horário: 19h15min. 

Público: 7.759 torcedores 

Renda: R$ 119.480 

Arbitragem: Daniel Nobre Bins apitou a partida auxiliado por Leirson Peng Martins e Fabricio Lima Baseggio. O trio é do Rio Grande do Sul. 

Cartão amarelo: Foguinho, Sandro, Derlan (CRI); Itaqui, Fabrício (PAR). 

Cartão vermelho: Rodolfo e Fabrício (PAR). 

Gols: Guilherme Santos (33’ 1ºT) (PAR); Léo Gamalho (50’ 2ºT) (CRI). 

Criciúma: Paulo Gianezini; Carlos Eduardo (Daniel Costa), Sandro, Derlan e Marlon; Eduardo, Foguinho, Wesley (Luquinha); Andrew, Léo Gamalho e Reis (Reinaldo).  

Técnico: Roberto Cavalo. 

Paraná: Thiago Rodrigues; Éder Sciola, Rodolfo, Fabrício e Guilherme Santos; Luiz Otávio, Itaqui (Jhony Douglas), Matheus Anjos (Vitinho Mesquita) e Jhemerson (Alesson); Bruno Rodrigues e Jenison. 

Técnico: Matheus Costa