InternetData CenterAssinante

Após tragédia no Rio de Janeiro, Tigre atesta segurança no CT

Criciúma realizou a última revisão no local no mês passado
Após tragédia no Rio de Janeiro, Tigre atesta segurança no CT
Foto: Fernando Ribeiro/CEC/Arquivo
Por Mateus Mastella Em 08/02/2019 às 19:14

A tragédia no Centro de Treinamento Ninho do Úrubu, ocorrida na madrugada desta sexta-feira, vitimou 10 pessoas e deixou outras três feridas. A situação deixou muita gente em alerta e uma pergunta no ar. Como estão as manutenções dos CTs pelo Brasil? No Criciúma, o Centro de Treinamento Antenor Angeloni é referência em estrutura e alojamento. Além disso, o local também é referência na questão de segurança.

Hoje, a garotada está de férias, voltando nas próximas semanas. Em atividades, atualmente 64 atletas moram no CT. Além disso, a estrutura de mais de 3 mil metros quadrados obedece todas as normas dos Corpo de Bombeiros. No último mês de janeiro, foram realizados as revisões gerais, que venceria em fevereiro - no Estádio Heriberto Hülse a revisão foi realizada no mês de setembro.

Há 10 dias, foram vistoriados todos os 56 aparelhos de ar-condicionados. “Fizemos este investimento porque prezamos pela segurança”, destaca o superintendente, Robson Izidro.

O CT chega a receber jogos da categoria de base para um público de quase 1,5 mil pessoas. De momento, atende 180 meninos e meninas e serve até de 5 mil refeições por mês. O investimento de mais de R$ 10 milhões e mais de 3 mil metros quadrados de área construída já reflete como um dos mais modernos e equipados do pais.

Confira: Tigre decreta luto de três dias por tragédia no CT do Flamengo

Confira: ‘Foi livramento de Deus’, diz pai de ex-jogador do Criciúma que não foi alojado no CT do Flamengo