InternetData CenterAssinante

Uma paixão sem barreiras pelo Tigre

Edvaldo, que conheceu o ídolo Luiz, superou dificuldades da vida para vibrar pelo Tigre
Uma paixão sem barreiras pelo Tigre
Foto: Reprodução Dante Bragatto Neto/Facebook
Por Mateus Mastella Em 13/03/2018 às 11:51

“Se o Tigre cair, o seu Edvaldo vai lá e vai juntar o Tigre”. Poderia ser uma frase de mais um torcedor fanático acreditando que o Criciúma nem vai passar dificuldades no Catarinense. Poderia. Mas a história de Edvaldo Tarso Santos Correa é de superação, de quem resolveu sair do sofá de casa para ir ao Majestoso, ou a Toca do Tigrão como ele gosta de falar, e empurrar o Criciúma, mesmo com algumas limitações.

Com a visão bastante prejudicada por conta da diabetes, ele senta na arquibancada e deixa a imaginação aflorar, aliada ao poder do rádio para gritar e incentivar o time do coração. No último sábado, a emoção ultrapassou todos os limites possíveis de sua consciência ao ter contato direto com o goleiro Luiz. O fanático torcedor e o capitão, que encoraja Edvaldo e faz do homem de 57 anos ganhar forças para superar os desafios do dia a dia, tiveram os caminhos cruzados no último treino antes do jogo contra o Atlético-Tubarão.

Um breve contato, mas suficiente para Edvaldo nunca mais esquecer o dia 10 de março de 2018. “Ele é a minha motivação, o meu ídolo, é a minha inspiração para viver cada dia com muita intensidade. Ele representa o meu Criciúma”, disse emocionado. Luiz conversou com ele, perguntou se estava tudo bem e ainda autografou a sua camisa do Criciúma escrevendo “meu amigo Edvaldo, com amor e carinho, Luiz”. “A minha adrenalina estava muito alta, eu estava muito nervoso. Nem queria mais dormir, porque tinha medo de acordar e achar que tudo era um sonho”, temia.

O orgulho e o sentimento de dever cumprido definem muito bem o sócio do Criciúma. Não deixa qualquer dificuldade que a vida lhe impôs para gritar e ecoar aos quatro cantos do Heriberto Hülse o seu amor pelo Tigrão. A reportagem conversou com ele por quase 20 minutos e a voz rouca era o retrato do seu apoio para o time no último domingo, no empate ante o Atlético-Tubarão. “Quando eles pisam no gramado, quando começa a partida e até o apito final não paro um minuto. Mas até sexta a voz volta a ficar boa”, garante.

Um carinho por Dante Bragatto Neto

Antes do sofá de casa para as arquibancadas do Majestoso, uma pessoa tem influência direta nesta caminhada: o narrador da Rádio Eldorado, Dante Bragatto Neto. “Dante é meu amigo. As palavras dele no rádio me fortalecem. Poderia ser com qualquer outra pessoa, mas coincidiu na hora de escutá-lo, fazendo com que eu voltasse ao estádio. Quando transmitem, a gente pega aquilo para a gente”, declara.

Edvaldo está em casa se recuperando e torcendo para ter uma melhora na visão em breve. Caso isso venha acontecer, ele garante incorporar a musica cantada pela torcida “Os Tigres” e ‘estar com o Tigre onde ele estiver’. “É um desejo, é um sonho. Só deixa eu me recuperar e vou junto com o time do meu coração”, planeja.

Anúncio