Esportes

Criciúma EC

Torcedores protestam e atiram pedras no carro do atacante Zé Carlos

O presidente Jaime Dal Farra e a diretoria do clube também foram alvo dos xingamentos

16
MAI
2018
| 01h45
01h45
Rafaela Custódio
Jornalista | Portal Engeplus
Escreva para a redação referente a esta matéria
Enviar mensagem

Este contato será envido de modo restrito para o jornalista.
Contribua com a matéria
Dúvidas, sugestões ou contribuições
MATEUS MASTELLA

O término da partida sem gols entre Criciúma e Juventude, na noite dessa terça-feira, 15, trouxe ainda mais revolta e violência ao pátio do estádio Heriberto Hülse. Revoltados com a campanha do clube no Campeonato Brasileiro da Série B, alguns torcedores protestaram com cânticos contra a diretoria e o presidente Jaime Dal Farra.

Os jogadores começaram a deixar o Majestoso e os torcedores continuaram protestando, porém, no momento em que o atacante Zé Carlos deixava o estádio com sua família no seu veículo, um grupo de torcedores cercou o automóvel e tocaram pedras nos vidros do carro. O atleta carvoeiro desceu da camionete e foi em direção ao grupo, com isso, uma briga iniciou.

Uma pessoa próxima ao atleta também estava no local e tentou acalmar o jogador. Os torcedores e Zé Carlos chegaram a trocar socos e chutes. Em seguida, o centroavante voltou ao estádio com sua família e realizou um Boletim de Ocorrências com a Polícia Militar (PM) que estava no Majestoso.

Após a confusão, a família de Zé Carlos ficou no pátio junto do jogador e da PM. Um dos filhos do atleta estava bastante assustado e chegou a chorar em alguns momentos. As pessoas envolvidas foram identificadas.


 

Fala Leitor
Se você possui uma sugestão de pauta, artigo ou um fato que deseja noticiar, entre em contato conosco pelo Fala Leitor.
imagens recentes no Portal
Nações Shopping apresenta Exposição Internacional DragõesProtestos no Sul causam desabastecimento Atletismo reúne cerca de 200 estudantes na pista da Unesc e encerra JescFuncionária de laboratório criciumense fez parte de esquema de falsificação'Não saí de minha empresa para ser coadjuvante', Flavio Rocha em CriciúmaA Bela e a Fera no palco do Teatro Elias Angeloni, em Criciúma