InternetData CenterAssinante

Somente duas pessoas leram o contrato da GA

Justificativa é que conversa entre conselheiros esclareceu muitas dúvidas
Somente duas pessoas leram o contrato da GA
Foto: Foto: Fernando Ribeiro/CEC
Por Mateus Mastella Em 02/07/2018 às 16:40

Uma semana após a reunião dos conselheiros do Criciúma Esporte Clube, na Associação Empresarial de Criciúma (ACIC), apenas dois sócios patrimoniais foram ao Centro de Treinamento Antenor Angeloni para lerem o contrato da Gestão de Ativos (GA). A justificativa do pequeno número é simples: as dúvidas foram esclarecidas na última reunião. “Respondemos os questionamentos, o que muitos tinham, por isso a baixa procura”, relata o presidente do Conselho Deliberativo, Carlos Henrique Alamini.

Uma das pessoas de frente do Grupo Apenas Criciúma, Augusto Teixeira da Silva, o Guto Silva, também segue a mesma linha de raciocínio. “Foi quase tudo esclarecido”, afirma. “Mas o contrato está lá a disposição”, relembra. Ele já teve a oportunidade de ler o contrato e considera que tudo está dentro da normalidade.

"Contrato foi muito bem feito e que ele favorece e muito a empresa que gere o futebol.  Mas sob possibilidade nenhuma deve ser permitido que se renove ou se repita. Ao clube resta se organizar para que ao final deste acordo tenha uma geração preocupada em gerir o clube”, revela. “Falta mesmo é uma gestão melhor dos recursos do clube no futebol. No mais, é respeitar o contrato, em quanto às obrigações estejam sendo cumpridas e fiscalizar sempre”, finaliza.

Das polêmicas da última reunião, ficou esclarecido que as dívidas ficam todas com a GA, existe uma multa rescisória de R$ 10 milhões - caso não ocorra o aviso-prévio de 6 meses antes do término do fim da competição - e que o vínculo vai até o dia 19 de março de 2022.