Esportes

Criciúma EC

Dirigentes se manifestam quanto às polêmicas do Criciúma

Nei Pandolfo e Robson Izidro falaram após o jogo contra o Juventude

16
MAI
2018
| 10h43
10h43
Rafaela Custódio
Jornalista | Portal Engeplus
Escreva para a redação referente a esta matéria
Enviar mensagem

Este contato será envido de modo restrito para o jornalista.
Contribua com a matéria
Dúvidas, sugestões ou contribuições
Divulgação

O início turbulento de Série B é razão de preocupação no Criciúma e fez com que a diretoria do clube se manifestasse. Em seis rodadas foram cinco derrotas e um empate.

"Esperamos que essa reconstrução seja feita aos poucos”, afirma o executivo de futebol do Criciúma, Nei Pandolfo.

O dirigente ainda comentou sobre os protestos realizados pela torcida após o empate sem gols contra o Juventude, na noite dessa terça-feira, dia 15. Para o executivo, as reclamações podem acontecer, mas com restrições. 

“Protestar é muito justo. Não podemos tirar essa questão da torcida, desde do limite da agressão física. Aí já passa para outro patamar que é muito perigoso”, ressalta. 

Contratações

Pandolfo atualizou ainda a situação de futuras contratações. Ele explica que elas já estão encaminhadas. “Já fizemos alguns avanços. Mas o próprio Mazola (Junior, treinador) pediu que esperasse passar esse jogo. Mas, paralelamente, já vínhamos apontando os nomes”, esclarece. 

Existiam especulações quanto aos retornos do zagueiro Raphael Silva e do atacante Lucão, ambos do Goiás, entretanto, Pandolfo comunica que o clube goiano não quer liberar os atletas. “O futebol é muito dinâmico nesse aspecto. Na semana anterior quando tivemos uma investida, não foi possível negociação, o Goiás não teve interesse. Mas o futebol é muito rápido e muda”, cita. 

“Certamente não foi de torcedor”, comenta Robson Izidro sobre fato com Zé Carlos.

O clima ainda era quente no pátio do Heriberto Hülse após a confusão envolvendo os torcedores e o atacante Zé Carlos, quando o superintendente Robson Izidro chegou para conversar com a imprensa e opinar sobre os fatos que aconteceram. 

“Ninguém queria que acontecesse essas coisas. Nós trabalhamos a semana inteira para fazer um bom jogo. É normal essa pressão. Eu agradeço a torcida por ter feito um protesto em silêncio (durante o jogo) nenhum problema de agressões. O time lutou muito durante o jogo”, declara.

“Certamente não foi de torcedor que fez isso, foi uma pessoa insana”, disse Izidro em relação ao fato entre torcida e o centroavante carvoeiro. 

Segundo Izidro, a direção do clube ficará ao lado do atleta. “Vamos conversar com ele. Vamos ficar ao lado dele. Foi uma atitude isolada de um vândalo. Ele vai continuar com certeza”, ressalta. 

“Não foi uma ação do torcedor do Criciúma. Aquele que ama o Criciúma, não vai tomar uma ação dessa”, finaliza.

Fala Leitor
Se você possui uma sugestão de pauta, artigo ou um fato que deseja noticiar, entre em contato conosco pelo Fala Leitor.
imagens recentes no Portal
Nações Shopping apresenta Exposição Internacional DragõesProtestos no Sul causam desabastecimento Atletismo reúne cerca de 200 estudantes na pista da Unesc e encerra JescFuncionária de laboratório criciumense fez parte de esquema de falsificação'Não saí de minha empresa para ser coadjuvante', Flavio Rocha em CriciúmaA Bela e a Fera no palco do Teatro Elias Angeloni, em Criciúma