Esportes

Natação

Criciumense conquista três medalhas nos Jogos Universitários Paralímpicos

João Paulo Santiago Gregorine trouxe ouro, prata e bronze para casa

15
MAI
2018
| 09h15
09h15
Rafaela Custódio
Jornalista | Portal Engeplus
Escreva para a redação referente a esta matéria
Enviar mensagem

Este contato será envido de modo restrito para o jornalista.
Contribua com a matéria
Dúvidas, sugestões ou contribuições
Divulgação

O criciumense João Paulo Santiago Gregorine, nadador de 18 anos, voltou a brilhar nas piscinas nesse fim de semana nos Jogos Universitários Paralímpicos, realizado em São Paulo. 

Em sua primeira participação nos jogos, Gregorine trouxe para casa três bons resultados. Ele foi medalha de prata nos 100 metros livre, conquistou o bronze nos 100 metros peito - melhor marca da carreira – e alcançou o ouro nos 100 metros costas. 

Com o primeiro lugar nos 100 metros costas, Gregorine conseguiu a vaga para a Seleção Brasileira Universitária, o que lhe dá direito de competir nos Jogos Parapan-americanos, que iniciam em julho. “Estava treinando bem, mas alguns tempos foram surpreendentes”, festeja. 

O objetivo principal de Gregorine é chegar na Paralimpíada de Tóquio 2020. Para isso, o paratleta chega à seleção universitária e agora precisa buscar a seleção principal. “Espero logo com muito trabalho chegar à principal”, comenta. 

Mudança de cidade 

Nesse fim de semana, Gregorine mudou toda sua vida para buscar melhores resultados e ter treinos ainda mais qualificados. O paratleta foi morar em Florianópolis. “Será uma experiência de três meses. Vim com minha mãe e um técnico que eu já conhecia”, finaliza.

Fala Leitor
Se você possui uma sugestão de pauta, artigo ou um fato que deseja noticiar, entre em contato conosco pelo Fala Leitor.
imagens recentes no Portal
Nações Shopping apresenta Exposição Internacional DragõesProtestos no Sul causam desabastecimento Atletismo reúne cerca de 200 estudantes na pista da Unesc e encerra JescFuncionária de laboratório criciumense fez parte de esquema de falsificação'Não saí de minha empresa para ser coadjuvante', Flavio Rocha em CriciúmaA Bela e a Fera no palco do Teatro Elias Angeloni, em Criciúma