navegue nos blocos da capa

Esportes

Copa do Brasil

Deivid: Priorizou a vitória, e venceu!

Empate bastava, mas o Criciúma foi ofensivo e bateu o Santo André

16
FEV
2017
| 21h27
21h27
Denis Luciano
Jornalista | Portal Engeplus
Escreva para a redação referente a esta matéria
Enviar mensagem

Este contato será envido de modo restrito para o jornalista.
Contribua com a matéria
Dúvidas, sugestões ou contribuições
Caio Marcelo / Criciúma EC

Seria clichê dizer que o Criciúma foi a Santo André para vencer. Mas foi mesmo. E venceu. E olha que o empate no estádio Bruno José Daniel bastava para que o Tigre eliminasse o Santo André e avançasse à segunda fase da Copa do Brasil. 

“Fizemos uma grande partida, e poderíamos ter feito mais gols”, avaliou o técnico Deivid, depois do 1 a 0 desta quinta-feira. “A gente tem que jogar futebol e esquecer o resultado. Jogamos do mesmo jeito, do primeiro ao último minuto, buscando o gol. Não viemos para empatar, viemos para ganhar”, comentou. 

Mas, novamente, faltou constância no jogo. O time oscilou de um tempo para outro.  “Fiquei feliz pelo segundo tempo. No primeiro tempo não, entramos devagar, na morosidade deles. Time que pensa grande precisa jogar do mesmo jeito nos dois tempos”, sinalizou. 

As novidades
aprovaram

Deivid lançou mão de duas novidades na escalação: fez de João Henrique e Caio Rangel os novos titulares, nos lugares de Alex Maranhão e Pimentinha. E não se arrependeu. “As entradas do João e do Caio foram muito boas, do Valdívia também, o Pimentinha fez o que a gente pediu, e o Maranhão que fez o gol, não desanimou. Estou feliz”, resumiu. Levantando o tom dos elogios, Deivid deixou claro que João Henrique e Caio Rangel continuarão titulares.

O esquema mudou no decorrer da partida. Mas não quer dizer que a mudança vá perdurar para os próximos jogos. “Eles estavam ganhando o meio. Centralizei o Pitbull e, com o Caíque no lugar do Jheimy, equilibramos o meio”, contou o técnico.

Crítica à
fórmula

A nova fórmula da Copa do Brasil foi criticada por Deivid. “É muito arriscada. Caíram treinadores por causa dessa fórmula. Em 40 dias você não consegue colocar o seu conceito e metodologia em prática”, destacou, fazendo menção indireta a Marquinhos Santos (Figueirense), Gilmar Dal Pozzo (Ceará) e Hemerson Maria (Fortaleza), que caíram após desclassificações nesta rodada da competição.

E a maratona de fevereiro continua. Domingo, o Tigre volta a campo pelo Campeonato Catarinense, contra o Almirante Barroso. Na quarta-feira, 22, pela Copa do Brasil, recebe o Altos, do Piauí. No dia seguinte, tem o Internacional, no Majestoso, pela Primeira Liga. E no sábado de Carnaval, fechando o mês, o Metropolitano vem a Criciúma. “E haja perna. Se precisar, vamos revezar times de novo”, concluiu.

Leia mais sobre:
Fala Leitor
Se você possui uma sugestão de pauta, artigo ou um fato que deseja noticiar, entre em contato conosco pelo Fala Leitor.
imagens recentes no Portal
Mais torcida do Inter, mais dinheiro para o TigreNa última vez, Beto Campos foi campeão contra o InterBoas notícias para o futuro do RincãoSebrae abre as portas para novos negócios na feiraTurismo de eventos e negócios em pautaSicredi inaugura nova agência com horário de atendimento ampliado