InternetData CenterAssinante

Criciumense conquista o 3º lugar no Campeonato Brasileiro de Othello

Paulino ainda não havia nascido quando seus adversários mais fortes já conheciam o Othello
Criciumense conquista o 3º lugar no Campeonato Brasileiro de Othello
Por Redação Engeplus Em 09/12/2020 às 10:49

No Bairro São Simão, em Criciúma, mora o adolescente Paulino Acácio Vieira Junior. Ele participou do Campeonato Escolar Brasileiro de Othello. Apesar de ser direcionado para estudantes, não havia restrições, entre os 93 inscritos estavam competidores experientes. Na última sexta-feira, Paulino venceu Adegar Alves e garantiu o terceiro lugar na categoria geral. Os paulistas Lucas Cherem e Marcos Paulo Briante Pires, conquistaram respectivamente o primeiro e o segundo lugar.

“Como o Paulino foi classificado para disputar a categoria geral junto com os adultos, atrasamos a final dos estudantes para não sobrecarregá-lo com as partidas. Nos próximos dias finalizaremos a categoria estudante que conta com sete competidores de Criciúma entre os oito finalistas”, explicou o presidente da Federação Brasileira de Othello, Moisés Correia Junior.

Paulino ainda não havia nascido quando seus adversários mais fortes já conheciam o Othello. Ele é um dos membros do Clube de Matemática Ponto Secreto da escola Padre José Francisco Bertero. Começou vencendo um campeonato da própria escola. Em 2019 venceu a gincana dos clubes da rede municipal. Recentemente foi campeão do 1º Torneio Interclubes de Othello Online de Criciúma. “O Paulino foi o competidor que mais evoluiu neste ano, é uma revelação, tem muito talento. Em breve ele será o primeiro colocado nos torneios,”, profetisou K-marão, um dos melhores competidores do Brasil.

O advogado Lucas Cherem, 43 anos, começou a jogar em 2004. Já participou de quatro campeonatos mundiais na Islândia (2005), em Roma (2010) e Nova Iorque (2011) e Japão (2019). É Campeão Brasileiro e Pan-americano e um dos fundadores da FBO.

Marcos Paulo Briante Pires, conhecido como K-marão, descobriu o jogo de forma online, em 1998, quando cursava o segundo ano de Psicologia na Universidade Paulista – UNIP. Aos 43 anos, tem em seu currículo conquistas importantes. Em 2017 ficou em 4º lugar no Panamericano, realizado na cidade de Indaiatuba, em São Paulo. Já foi campeão brasileiro por equipes representando São Paulo e no ano passado se destacou como vice-campeão brasileiro. Comecou a jogar com o objetivo de conhecer pessoas. Dentre os amigos que fez está Lucas Cherem com quem trocou muitas ideias para criar torneios, realizar encontros presenciais e aprender estratégias.

Adegar Alves saiu do Espírito Santo, onde nasceu, quando tinha oito anos de idade. Há 30 anos mora em Medicilândia, no Pará. Trabalha no comércio de cacau, é casado e tem três filhas. Muito antes de ser pai, conhecia o Othello. Começou a jogar em 2002 quando descobriu o jogo num CD da revista CDRom. Depois de jogar muito contra o computador, não se sentia satisfeito porque queria competir contra pessoas. Pesquisando na internet, que também era novidade na época, descobriu um site chamado Atrativa com vários games. Em junho de 2005 fez um cadastro no site Kurnik, hoje chamado Play Ok, onde são realizados os campeonatos. “Assim que começou a internet wi-fi na minha cidade passei um fim de semana jogando e conversando. Comecei na sexta à noite, o sábado dia todo e fui até o domingo à tarde. Não dormi. Só levantava para tomar água e comer alguma coisa”, lembrou Alves.

Os quatro semifinalistas na categoria masculino (Paulino Acácio Vieira Jr, Luigi Ronsani, Fabrício de Jesus Satiro e Leonardo Gaspar Viana) e três finalistas no feminino (Karoline Búrigo Dias, Vitória Comin Cechinel e Isabelli de Aguiar Cardoso) são alunos da Rede Municipal de Educação de Criciúma. A estudante Evelyn Caroline dos Santos da Silva, de Indaiatuba/SP, também continua na disputa. Durante esta semana estarão realizando as partidas online.

Segundo a coordenadora dos Clubes de Matemática, Karine Calegari Mrotskoski, o sucesso dos alunos é resultado de um trabalho desenvolvido em parceria com a Federação Brasileira de Othello. “Os melhores jogadores do país participaram do nosso projeto como técnicos. Eles ensinaram técnicas, mostraram dicas, acompanharam os jogos online e deram orientações”, informou Karine.

Colaboração: Ana Lúcia Pintro

Leia mais sobre: