navegue nos blocos da capa

Esporte Amador

Regional da LARM

AEC sonha alto e quer mais em 2019

12
SET
2017
| 14h33
14h33
Denis Luciano
Jornalista | Portal Engeplus
Escreva para a redação referente a esta matéria
Enviar mensagem

Este contato será envido de modo restrito para o jornalista.
Contribua com a matéria
Dúvidas, sugestões ou contribuições
Arquivo Engeplus

Os pés estão no chão, mas o sonho já alcança uma meta em 2019. O Araranguá chega na edição 2017 do Regional da LARM / Taça Carvão Mineral com pinta de ser a terceira força, depois dos sempre favoritos Metropolitano e Caravaggio. “Respeitamos todos, são todos muito difíceis”, pontua o presidente Filippe Sasso, que já foi jogador do clube e desde março está na direção. Mas os objetivos são arrojados. “Queremos fazer um bom Regional agora, um ótimo em 2018 e voltar ao futebol profissional em 2019”, projeta.

Voltar depende de estádio

O reingresso do Araranguá no profissionalismo é o assunto que domina as rodas na cidade. “Todos aqui querem, a cidade se envolve muito com o time”, afirma Sasso. Mas o dirigente concorda que é necessário um respaldo maior. “Só o entusiasmo não basta, precisamos de mais apoio e de um estádio também”, lembra.

Neste sentido está em construção o Estádio Municipal de Araranguá, com recursos captados pelo poder público municipal e que vai servir ao AEC. O projeto foi aprovado em 2015 pela Caixa Econômica Federal e as obras começaram em junho daquele ainda. “Esperávamos que ficasse pronto no final desse ano, mas vai ser no fim de 2018”, comenta o presidente.

O investimento é de R$ 4,2 milhões, sendo R$ 3,1 milhões de emenda do deputado federal Jorge Boeira (PP) e R$ 1,1 milhão de contrapartida da prefeitura. O futuro estádio localiza-se no antigo campo de aviação, na zona Sul de Araranguá, e terá capacidade para 1,2 mil torcedores e um gramado de 100 x 65, mais vestiários, pista atlética e salas de apoio.

Na era profissional, o AEC foi campeão catarinense da Segunda Divisão em 1988 e jogou a elite estadual cinco anos consecutivos. Em 1991 obteve sua maior façanha, o título da Copa Santa Catarina contra o Figueirense no Orlando Scarpelli. Em 1995 o clube licenciou-se, retornando no futebol amador em 2014 com a conquista da Segunda Divisão da LARM.

Fabiano, ex-Tigre, é o camisa 1

E se todo bom time começa por um grande goleiro, o AEC entende que buscou o melhor da região. Fabiano Borges, 34 anos, ex-Criciúma, é o capitão e referência do Araranguá para o Regional. “Sim, para nós ele é o melhor goleiro da região, é daqui da terra, está muito empolgado e empenhado no nosso projeto”, afirma o presidente.

Outro destaque do Araranguá é o experiente meia Maicon Ermo. “Montamos um grupo qualificado, mantemos alguns da base local e buscamos jogadores com experiência”, explica Sasso. O técnico é, novamente, Geraldo Spricigo, que já trabalhou na base do Criciúma.

O time faz uma fase de preparação com três treinamentos por semana. No principal amistoso, derrotou o Caravaggio por 4 a 2. A estreia no Regional será sábado, fora de casa, contra o Turvo.No último sábado, o clube fez o lançamento das suas camisas para a temporada em ato no Centro da cidade.

Fala Leitor
Se você possui uma sugestão de pauta, artigo ou um fato que deseja noticiar, entre em contato conosco pelo Fala Leitor.
imagens recentes no Portal
Geninho, Cavalo, Jorginho e Dado na lista do TigreCaravaggio e Metro na frente nas semifinaisSantos Dumont na lista da usina de asfaltoMais um título para o vôlei de base de ForquilhinhaGovernador encerra congresso de despachantes em CriciúmaHSJ ganha reforço de doze leitos em dezembro