InternetData CenterAssinante

Soul Vet: um jeito especializado de cuidar dos pets

Nascido no RS, Leandro Pereira escolheu Criciúma para inovar no ramo veterinário
Soul Vet: um jeito especializado de cuidar dos pets
Foto: Lucas Renan Domingos/Portal Engeplus
Por Lucas Renan Domingos Em 24/01/2020 às 18:15

O mercado do mundo dos animais domésticos, também conhecidos como pets, vem crescendo a cada novo ano. O Brasil, por exemplo, é a segunda maior potência mundial no assunto, ficando atrás somente dos Estados Unidos. Em 2020, a previsão é de que as empresas brasileiras do ramo faturem mais de R$ 20 bilhões. Somente no país, o IBGE calcula que haja mais de 132 milhões de bichos de estimação. Esse crescimento também tem se tornado a oportunidade para o surgimento de novos negócios, como é o caso da Soul Vet, fundada em Criciúma pelo veterinário Leandro Pereira.

Enxergando um novo nicho de mercado, ele criou a Soul Vet para ser um centro de diagnóstico por imagem e especialidades. “Não somos uma clínica e nem um hospital veterinário”, pontuou Pereira. Ele garante que a proposta é diferente e com nicho específico. “Somos uma estrutura de apoio para outros veterinários com atendimentos segmentados e focado em oferecer um serviço que vai gerar qualidade de vida para os animais e seus tutores”, emendou.

Em síntese, de acordo com o veterinário, a Soul Vet nada mais é do que um suporte inovador para profissionais que identificam o valor de diagnósticos precisos e especialidades exclusivas. “Nosso foco é ter os próprios veterinários, domiciliares ou não, e as clínicas como principais clientes. Porque aqui eles podem encaminhar seus pacientes para realizar exames que muitas vezes eles não possuem equipamentos ou conhecimento aprofundado para realizar. Fazemos o diagnóstico e depois o animal é liberado. Nem internação nós temos”, salientou

Mas isso não quer dizer que os donos dos pets também não possam buscar atendimento diretamente no espaço. “Desde que o animal já tenha algum acompanhamento ou histórico, pode vir diretamente aqui que iremos atender”, disse Pereira.

Estrutura e especialidades

Atualmente a Soul Vet conta com 20 especialidades. Para atender essa demanda, a estrutura onde o centro está localizado possui mais de 300 metros quadrados. O local conta com quatro consultórios, bloco cirúrgico, sala de esterilização, sala de recuperação, sala de fisioterapia, consultório somente para felinos, sala de raio-x, sala de ultrassom e a tomografia.

“Somos o primeiro centro de diagnóstico por imagem para animais que conta com a tomografia entre as capitais Florianópolis e Rio Grande do Sul”, destacou o veterinário. São 18 veterinários parceiros da Soul Vet para atender toda a demanda, entre eles há radiologista, cardiologista, dermatologista, ortopedista, fisioterapeuta, neurologista, dentista e outros. Tudo focado em tratar os pets.

“Hoje em dia a veterinária está cada vez mais parecida com a medicina humana, claro, com uma demanda muito menor. Mas, pelo fato dos animais estarem fazendo cada vez mais parte das famílias, as pessoas têm dado maior atenção para o cuidado com os pets e buscado especialidades. É este público que desejamos atender. É nós, que somos prestadores desses atendimentos, precisamos nos adaptar ao mercado. Por isso optamos por ser referência em especialistas”, sublinhou.

O proprietário do centro afirma ainda que o espaço busca promover novos veterinários. “Nós alugamos os consultórios, o bloco cirúrgico. Então os veterinários que não tem onde atender seus clientes podem vir aqui e trabalhar em nossa estrutura, utilizando o nosso material ou o dele próprio”, comentou.

Ramo que também cresce em Criciúma

Nascido no Rio Grande do Sul, Pereira não escolheu morar e investir em Criciúma somente por ser casado com uma criciumense, mas também por vislumbrar na cidade, um local com potencial crescimento no ramo dos pets, acompanhando a tendência nacional.

“Lembro que quando aqui cheguei, em 2014, eu era o único radiologista com raio-x digital entre Florianópolis e Porto Alegre. Hoje, somente na nossa região, já surgiram pelo menos 15 novos equipamentos iguais. Agora fomos ousados e trouxemos para cá uma tomografia, quem sabe mais pra frente uma ressonância magnética e assim vamos dando cada vez mais opções para o tratamento dos pets aqui na nossa região e a demanda crescendo. O resultado disso é mais qualidade nos atendimentos e mais assertividade nos diagnósticos”, pontuou.