InternetData CenterAssinante

SOS Home Care: a humanização do atendimento domiciliar à pacientes com doenças crônicas

Empresa de Criciúma existe há dois anos e é especializada em assistência médica domiciliar
SOS Home Care: a humanização do atendimento domiciliar à pacientes com doenças crônicas
Foto: Unsplash/Ilustrativa
Por Rafaela Custódio Em 16/05/2020 às 10:12

Oferecer conforto, atendimento humanizado e assistência médica domiciliar são os objetivos da empresa SOS Home Care, que existe há dois anos. Atualmente, o empreendimento conta com 65 funcionários, entre técnicos de enfermagem, fisioteurapeutas, fonoaudiólogos, enfermeiros, médicos, e também presta serviço de ambulância. 

O principal serviço da SOS Home Care é permitir a desospitalização precoce de pacientes com doenças crônicas e com dependência para cuidados diários. Atualmente, a equipe conta com oito pacientes que são assistidos 24 horas. 

A fundadora da empresa, Larissa Alves, é enfermeira e conta que o empreendimento iniciou após ela perceber que seus pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) lhe procuravam depois do horário de trabalho para pedir ajuda com curativos, sondas e orientações. “No começo eu atuava de graça. Não me importava muito com os gastos que eu tinha. Saía com meu carro, gastava gasolina e tempo. Porém comecei a perceber que poderia criar uma empresa especializada neste tipo de serviço, e assim fiz”, relata. 

“Antes de a empresa nascer, eu briguei muito com meu marido. Levei muitos pacientes com meu carro para o hospital. Trabalhei durante horas por livre e espontânea vontade e notei que esse serviço não era oferecido na região. Hoje, atuamos em Criciúma, Içara e Siderópolis, mas até o fim de 2020 estaremos atendendo toda a Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec)”, garante. 

A SOS Home Care foi criada em janeiro de 2018. Larissa cita que a intenção do projeto é trazer conforto, autonomia e apoio multiprofissional ao paciente e familiares. “Contamos hoje com oito pacientes de 22 a 73 anos. Mas antes de começarmos a atender essas pessoas, os profissionais que atuam na empresa passam por treinamentos, pois ficamos 24 horas com a pessoa, ou seja, necessitamos entender toda a rotina da família e saber que a partir do momento em que entramos na casa estamos fazendo parte do ciclo de vida deles”, destaca. “A cada 22 pessoas que fizemos entrevista, um trabalhador entra para a equipe da empresa. Não é fácil e temos que pensar em diversos fatores, não apenas no lado do profissional. Tem todo um contexto, justamente por trabalharmos em casa de famílias”, completa. 

Além de um trabalho: a formação de uma família 

Larissa comenta que todos os oito pacientes que os profissionais de saúde cuidam já são, de alguma maneira, parte da família. “Nós estamos com eles 24 horas por dia. Estamos na casa dessas pessoas, acompanhamos o dia a dia e isso faz com que sejamos, sim, parte da família. Nós necessitamos adquirir a confiança dos familiares e também do paciente. Por isso gostamos de estudar cada detalhe das pessoas que cuidamos”, conta. 

“A principal diferença do nosso trabalho é a continuidade do cuidado. Não é só dormir uma noite com o paciente. Damos segurança para as famílias e discutimos muito sobre o paciente com a equipe”, revela. 

Larissa explica que os serviços da SOS Home Care são uma continuação dos cuidados hospitalares. “Após uma internação, o paciente continuará sendo acompanhado por uma equipe multidisciplinar, com médico, enfermeiro, técnico de enfermagem, fonoaudióloga e fisioterapeuta. Isso faz com que a família tenha mais segurança e veja seu parente se recuperar de uma maneira mais correta”, detalha. 

Futuro da empresa

A proprietária da empresa revela que, recentemente, fechou parceria com o médico Alexander Araldi de Oliveira. “Desde novembro de 2019 ele é meu sócio na empresa. Somos pioneiros neste serviço na região carbonífera. Por isso, queremos ampliar a cada dia o nosso trabalho. Nossa intenção é ajudar as pessoas por meio de um serviço completo de saúde”, afirma. “Até o final deste ano queremos estar com 20 pacientes e estamos trabalhando para isso”, acrescenta. 

Na visão de Larissa, o atendimento domiciliar será o futuro da saúde. “O atendimento em casa causa menos infecção do que em um hospital. Conseguimos mudar o cenário dos pacientes com o atendimento domiciliar. Os países mais desenvolvidos já estão realizando esse tipo de serviço e dando um pouco mais de atenção para esse tipo de trabalho”, analisa. 

“Um técnico de enfermagem cuida de mais de dez pacientes em um hospital. Em um atendimento domiciliar esse profissional se dedicará exclusivamente a um paciente Isso tem muita diferença. As Unidades Básicas de Saúde (UBS) oferecem esse serviço, porém só até às 17 horas e de segunda a sexta-feira”, compara.  

SOS Home Care em números:

Serviço de ambulância 
52 técnicos de enfermagem
4 fisioterapeutas 
2 fonoaudiólogas 
2 enfermeiras 
1 secretária 
4 médicos 
8 pacientes cuidados durante 24 horas 

A empresa está localizada no Centro Executivo Nereu Guidi, na rua João Sônego, no bairro Ceará, em Criciúma. Telefone para contato: 3445-0000