InternetData CenterAssinante

Casal vê impacto nos negócios e se reinventa em novo nicho de mercado

Parcerias e delivery trouxeram expansão de negócio para outros municípios e regiões
Casal vê impacto nos negócios e se reinventa em novo nicho de mercado
Foto: Divulgação
Por Jessica Rosso Em 10/06/2020 às 13:29

O projeto ainda é novo, mas os proprietários da Pop Grão Katiuscia Pereira Eusébio e Josemir Hoepers perceberam, diante de uma crise, uma oportunidade de alavancar seu negócio de pipoca e algodão doce. Eles foram diretamente impactados com a quarentena por conta da Covid-19, que resultou no fechamento temporário dos shoppings em Santa Catarina. Isso porque eram em alguns desses locais, na região da Amrec e Amesc, que eles costumavam ter seus pontos e consumidores, além da presença em feiras como, por exemplo, a Agroponte e Casapronta (Tubarão e Criciúma).

Investir em parcerias e delivery trouxe ao casal a expansão de seu negócio para outros municípios e regiões, sendo assim, uma forma de alcançar um número maior de público. "É um projeto bastante novo, então, ainda não estamos colhendo os frutos dele, mas plantamos uma boa semente. A gente percebe que vai ter um bom futuro, então estamos apostando muito nele. Hoje claro que tudo está mais fraco por causa da pandemia, está mais ponderado, digamos assim, mas percebemos pela reação de mercado, que ele oferece, que vai ser um nicho de serviço âncora, que vai render muito", disse Hoepers.

 

 

A qualidade, o sabor, e a certeza do sucesso

Quem aí não gosta de Leite Ninho? Ingrediente que faz o maior sucesso em pratos doces está, também, presente nas pipocas gourmet da Pop Gão. E utilizar os produtos verdadeiros que correspondem à qualidade que o cliente espera é o segredo do sucesso, acredita o proprietário. 

Para ele, o sabor é o que fideliza o cliente. "É interessante poder falar dessa questão do sabor, que trabalhamos com os verdadeiros produtos. O creme de avelã é feito com a Nutela, o leite em pó é do verdadeiro Leite Ninho, a qualidade crocante, quem prova realmente não deixa de comprar novamente e consumir, se torna cliente". Ele comenta que suas pipocas são assim. "Basta a pessoa provar que ela vai se tornar cliente", afirma. Ele explica que o sucesso tem relação com isso. Que o produto final remete aos produtos usados, aos verdadeiros produtos, como ele menciona, e o resultado disso é o  sucesso. 

Hoje o carro chefe da empresa é o Leite Ninho na pipoca gourmet, e o algodão doce no pote - tanto o de marshmallow quanto o de confete. São os produtos de maior venda, afirma. 

 

Empreender x tempo  

A empresa Pop Grão tem um ano de funcionamento. Veio com uma proposta diferenciada, mas levou anos para que a ideia fosse aprimorada: o projeto iniciou há quase quatro anos.

O proprietário conta que a vontade de empreender apareceu para ele e a esposa. Primeiro, eles pensaram em trabalhar com fondue. "Mas como é um produto de época, resolvemos mudar. Surgiu a ideia da pipoca e começamos a aprimorar ela até ela chegar no que é hoje", conta.

A distribuição, até pouco antes da pandemia, funcionava apenas com pontos comerciais em shoppings. Com o fechamento, ele conta que tudo mudou. O impacto foi imediato."Sofremos o primeiro impacto e foi onde começamos a trabalhar, colocando produtos de delivery, fazendo parcerias com revendas. 

Ele relata que a intenção é voltar com os projetos que já tinha antes da pandemia. Mas que os planos também são de aprimorar e aproveitar o novo mercado que se abriu para a empresa. Os sonhos também cresceram. A ideia é expandir no futuro para a região da Amurel. Mas, a pretensão é chegar a nível estadual. 

Hoje, quem deseja conhecer os produtos encontra-os em parceiros, como a Panificadora e Confeitaria Casa do Pão, em Siderópolis, em algumas mercearias em Criciúma, ou pode solicitar os serviços pelo Instagram: @popgrao.