InternetData CenterAssinante

Suprema Corte Cervejeira: o lazer que virou oportunidade de negócio

Formado em Direito, Yago Strobel escolheu a produção de cerveja como sua nova profissão
Suprema Corte Cervejeira: o lazer que virou oportunidade de negócio
Foto: Lucas Renan Domingos/Portal Engeplus
Por Lucas Renan Domingos Em 16/12/2019 às 13:34

Graduado em Direito, Yago Coradini Strobel tem como paixão a produção de cerveja. Desde 2011, ainda em casa, sempre acompanhado de um amigo, adotou como hobby a fabricação da bebida. De modo bem artesanal, utilizando panelas, um fogareiro e fazendo a circulação (uma das etapas do processo) com jarras, produzia em média 40 litros para consumir e dividir com colegas. A atividade de lazer era o início de mais uma cervejaria que estaria para surgir em Criciúma anos depois. Em maio deste ano, ele inaugurou, no bairro Pio Corrêa, seu novo negócio, a Suprema Corte Cervejeira.

O nome do brewpub, como são chamados os bares que produzem a cerveja que vendem, não por acaso, tem tudo a ver com a formação de Strobel. “Às vezes soa como algo de supremacia, de melhor cerveja, mas o nome não foi escolhido com esse objetivo. Na verdade, ele foi meio por acaso”, conta.

“Quando estávamos pensando um nome, era uma época em que o STF (Supremo Tribunal Federal) estava em alguma decisão importante. E quem acompanha sabe que às vezes os debates que lá acontecem são engraçados, as decisões mudam o tempo todo. É uma piada pronta. Tem hora que é tanta bagunça que parecem que os ministros estão bêbados. Eu como advogado resolvi fazer essa brincadeira com isso. E não tem lugar melhor para discutir esses assuntos que em uma roda de amigos tomando cerveja”, revela. A sátira está ilustrada em uma das paredes do pub, onde há o grafite de um ministro embriagado tomando um copo de cerveja.

Estudos e início da produção

Apesar de ter concluído a faculdade, para abrir seu próprio estabelecimento, Strobel teve que deixar de lado a advocacia. Em 2017 delegou os cuidados do seu escritório para o sócio e foi para Blumenau se especializar na produção da cerveja. “A advocacia não é uma profissão simples e de resultados rápidos. E isso me incomodava um pouco. Parei para pensar e vi que deveria fazer outra coisa que me desse um retorno financeiro de forma mais imediata e como já gostava desse mundo de produção de cerveja, resolvi arriscar”, diz.

Durante um ano, estudou sobre a ciência da cerveja, estagiou em grandes produtoras da bebida no estado e no país e resolveu colocar seus desejos em prática. “Em 2018 sentei para estruturar meu pub. Elaborei meu plano de negócios e planejei a reforma do local onde seria o bar, já que era uma residência”, lembra.

A produção, que antes era de 40 litros para divivir com os amigos passou para aproximadamente mil litros por mês. O espaço também conta com cozinha, onde é servido um cardápio preparado pelas mãos do próprio Strobel. “Nós temos bastante rotatividade dos estilos de cervejas que servimos. Tentamos manter sempre uma pilsen, uma ipa, mas o resto vamos trocando sempre. Então se o cliente vem em uma semana, ele prova cervejas que não vai encontrar mais na semana seguinte”, comenta o empresário.

Pensamento nas próximas ações

A inauguração da Suprema Corte Cervejeira aconteceu em maio de 2019. Mesmo com apenas seis meses de casa aberta, Strobel já planeja os próximos passos para ampliar o seu negócio. “Temos os pés no chão. Ainda estamos iniciando, então a ideia principal é consolidar o nosso bar. Ao mesmo tempo estamos com algumas propostas para ano tentar colocar em prática para o ano que vem”, planeja.

Umas das intenções do empresário é começar a envasar suas produções. “Hoje tudo o que é feito é servido apenas nas torneiras. Ano que vem queremos estar presentes em mais locais fora daqui, vender em outros bares. Queremos dar mais giro a nossa produção. Quem sabe uns três rótulos envasados para começar seria interessante”, analisa.

A Suprema Corte Cervejaria atende seus clientes de quarta a domingo, das 17 horas à meia-noite. Strobel promete que a visita ao estabelecimento será bem atendido. “Quem bebe quer comer. Quem come, quer beber. E acho que aqui é um local para isso. Quem vier até aqui vai comer e beber bem, além de aproveitar um ambiente aconchegante e com pessoas bacanas” completa o empreendedor.