InternetData CenterAssinante

Surgimento de cidades e bairros inteligentes contribui para promover o ensino de qualidade

As 'smart cities' são parte do movimento Educação para o Futuro, lançado pelo Lide SC
Surgimento de cidades e bairros inteligentes contribui para promover o ensino de qualidade
Foto: Divulgação
Por Lucas Renan Domingos Em 23/09/2021 às 18:41

No dia 14 de setembro, o Grupo de Líderes Empresariais de Santa Catarina (Lide SC), lançou o movimento Educação para o Futuro. O foco é promover a conexão da sociedade com empresas, governos, startups e demais instituições interessadas em contribuir com a criação de ambientes sustentáveis por meio de ações educacionais.

Uma das verticais que o Lide SC acredita ser fundamental para a desenvolver esse ecossistema é a construção de cidades ou bairros inteligentes, como são chamados os espaços que buscam otimizar a utilização dos recursos para servir melhor os cidadãos. Para isso, o grupo conta com a parceria de empresas associadas.

“As smart cities são pensadas para promover a região onde elas estão inseridas. É o ponto de destrave o crescimento de um bairro, de uma cidade, sempre visando o bem-estar, o empreendedorismo e também a educação”, diz Fernando Weber, CEO da Weber Empreendimentos, uma das empresas embaixadoras do movimento Educação para o Futuro.

Crescimento impulsionado pela educação

Foi a partir de um dos empreendimentos da Weber que o movimento Educação para o Futuro surgiu. Em 2018, a empresa lançou em Araranguá o bairro Cidade Universitária, considerado o primeiro ecossistema de transformação e tecnologia do Brasil. A proposta agora entra em uma nova fase, a de fazer o local funcionar conforme foi projetado.

“Nós não construímos o empreendimento apenas para comercializar um terreno. O bairro Cidade Universitária foi edificado pensando para receber infraestruturas que impulsionarão o desenvolvimento daquela região”, conta Weber. “A vertente da educação sempre esteve presente na nossa empresa. Em 2016 criamos também em Braço do Norte o ambiente educacional mais eficiente do Brasil, tendo uma parceria com a Unisul, Colégio Dehon e Senai”, acrescenta o CEO.

E este trabalho vem sendo executado em Araranguá. Nos próximos meses vai começar a funcionar no bairro Cidade Universitária a Unisul. O Colégio Dehon está indo para lá. Já há um polo de inovação e centro de tecnologia. “Neste polo nós já temos a Strive, que é um local onde acontece o design de negócios, desenvolvendo startups e novas empresas. Conseguimos um aporte inicial de dez milhões de reais para investir em empresas que solucionem problemas do bairro e das cidades, como um problema de mobilidade, por exemplo”, salienta Weber.

Cidades inteligentes para cidadãos inteligentes

O CEO da Strive, Claiton Pacheco Galdino, destaca a necessidade de formação de cidadãos para habitar os bairros e cidades inteligentes. “A gente pensa em um longo prazo. Não adianta você criar um bairro com câmeras com reconhecimento facial, postes inteligentes, ambientes inovadores sem que as pessoas que lá estarão saibam como aproveitar tudo isso. É aí que entra a educação”.

“Nós trabalhamos com o conceito de vida em 15 minutos. Onde tudo o que você precisa para viver bem, você encontra em um raio de até 15 minutos da sua casa. Ali vai ter supermercado, posto de gasolina, faculdade, escolas. Tudo é integrado, criando esse ecossistema sustentável”, fala Galdino.

Um empreendimento com a mesma proposta do Cidade Universitária, em Araranguá, será construído em Criciúma. O Cidade Inteligente impactará pelo menos 100 mil pessoas ainda na primeira fase, que versa justamente sobre a criação do novo anel viário, entre o Rio Maina e a Primeira Linha. O Cidade Inteligente Criciúma foi concebido como um centro de inovação, no qual as pessoas poderão viver, trabalhar, estudar, ter acesso a serviços, comércios e lazer.