InternetData CenterAssinante

Alunos de Cocal do Sul são medalhistas da Olimpíada Brasileira de Astronomia

Ao todo foram 11 medalhas entregues aos estudantes
Alunos de Cocal do Sul são medalhistas da Olimpíada Brasileira de Astronomia
Por Redação Engeplus Em 06/12/2021 às 17:25

O município de Cocal do Sul foi destaque na 24ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). Ao todo, foram 11 medalhistas de ouro, prata e bronze. A olimpíada acontece todos os anos através de uma prova, onde os alunos de todo o país do Ensino Fundamental testam seus conhecimentos. O resultado é o reconhecimento da qualidade de ensino realizado na rede municipal de ensino.

Além dos alunos, os professores e diretores também foram homenageados e receberam medalhas. A cerimônia de entrega aconteceu no gabinete do prefeito Fernando de Fáveri. O município teve medalhistas das escolas Cristo Rei, Demétrio Bettiol, José Perucchi e Colégio Maximiliano Gaidzinski. Ao todo, foram quatro medalhas de ouro, três de prata e quatro de bronze.

“As escolas são a mola propulsora para impulsionar o sonho de cada aluno; a astronomia, as ações que temos no planeta, vêm dos resultados dos nossos cientistas, graças a tantos estudos. Espero que nossas crianças tenham um futuro brilhante, estudem, aproveitem, e em nome do município de Cocal, parabenizamos a cada um”, declara o prefeito.

A aluna Kerolyn Rosseti, de 12 anos, está atualmente no 6º ano e recebeu medalha de ouro, algo que não é tão comum visto que a prova é a mesma para todos os alunos e, no 6º ano, é mais difícil de sair uma medalha de ouro. “Eu não imaginava que ia conseguir ganhar ouro, porque a prova foi muito difícil e foi a minha primeira vez fazendo a prova; eu estudei bastante e me dediquei muito”, comenta.

O professor Robson Delfino, foi um dos docentes que esteve à frente da preparação dos os alunos do Cristo Rei, José Perucchi e Demétrio Bettiol. “Eles tiveram aulas extracurriculares, não esperávamos tantas medalhas, ficamos muito felizes com os resultados”, declara.

Na escola Cristo Rei, o aluno Kauã Ghellere, do 5º ano, ficou muito satisfeito com a experiência. “Desde que a professora anunciou que teria a prova eu comecei a me preparar, estudei bastante e pretendo continuar estudando essa área”, frisa. Já na escola Demétrio Bettiol, a estudante Eduarda Rodrigues, do 5º ano, conta que estudou muito para a prova. “Eu ganhei medalha de bronze, gostei de ter participado dessa prova, vou continuar estudando”, diz.

Gabriel Bonetti, de 17 anos, que estuda no Colégio Maximiliano Gaidzinski, comenta que sempre gostou de Física e Astronomia e atualmente faz curso de Eletromecânica. “Eu quero seguir nessa área, pretendo continuar estudando Física”, salienta.