InternetData CenterAssinante

Profissionais da Unesc conhecem a realidade de quem convive com a fibromialgia

Rosimar da Silva compartilhou sua história com profissionais da Unesc
Profissionais da Unesc conhecem a realidade de quem convive com a fibromialgia
Foto: Divulgação
Por Redação Em 25/08/2020 às 19:27

Feliz, dedicada ao trabalho e sorridente. Assim Rosimar da Silva descreveu sua vida antes da fibromialgia. Há 15 anos tudo mudou, ela passou a sentir dores diárias, cansaço físico extremo e uma grande pressão psicológica. Toda sua história foi compartilhada, na tarde desta terça-feira, dia 25, com a equipe do CER (Centro Especializado em Reabilitação) da Unesc, composta por profissionais que atuarão no Ambulatório de Atenção à Saúde da Pessoa com Fibromialgia.

Com um diálogo de fortes colocações e relatos de dores no corpo desde o momento que acordou, o dia de Rosimar foi marcado por uma conquista: ter uma sala repleta de profissionais dispostos a ouvi-la, entendê-la e, posteriormente, dedicar todo conhecimento absorvido no tratamento de outras pessoas. “Estou aqui hoje, mas sinto dores em toda as partes do meu corpo. Ainda assim fiz questão de estar presente e contar que, há muitos anos, a fibromialgia roubou minha vida. Eu era uma mulher feliz, que ria o tempo todo e trabalhava muito”, contou.

O momento foi evidenciado com tanta importância e admiração por parte da equipe do CER, que até quem estava em férias decidiu participar. A psicóloga Suzamara Vieira se fez presente via Google Meet, com ajuda dos colegas que transmitiram a conversa. “É muito importante ter este contato. Uma oportunidade para aprender e estarmos preparados para o futuro”, frisou.

E a proposta destacada por Suzamara foi de fato o objetivo do momento. A Unesc e o poder público de Criciúma, por meio da Câmara de Vereadores e da Secretaria Municipal de Saúde, concretizaram no início de agosto a implantação do Ambulatório de Atenção à Saúde da Pessoa com Fibromialgia, previsto para estar em atividade em setembro. “Antes de iniciarmos esses atendimentos, acreditamos na importância de conhecer um pouco mais sobre a realidade de quem convive com a fibromialgia. A ideia desta oportunidade é realmente de uma roda de conversa, para entender e compartilhar conhecimentos e ofertar um serviço de alta qualidade”, explicou fonoaudióloga Leyce da Rosa, que conduziu a tarde. 

Tita Belolli foi o vereador que propôs a implantação do Ambulatório, após rosimar procurá-lo na Câmara. O líder do legislativo foi convidado para participar do evento, e evidenciou a importância do momento. “É um projeto pioneiro em Santa Catarina e que será referência para o Brasil. Estamos muito felizes de participar e presenciar do nascimento de mais uma iniciativa da nossa Unesc, além de outras várias ações positivas desenvolvidas em nossa região”, afirmou.

Pela complexidade da síndrome que afeta também a saúde mental, o serviço, único no Sul catarinense, poderá usufruir da estrutura e expertise da Unesc em todas as etapas do tratamento - Fisioterapia, Nutrição, Psicologia e outras áreas. “Tudo que o fibromiálgico precisa é um pouco de carinho. Ele acorda todos os dias pensando se vale a pena viver, se está atrapalhando a vida das outras pessoas. Tenho certeza que este espaço proposto na Unesc terá impactos positivos e relevantes na vida destas pessoas”, comemorou Rosimar.

Colaboração: Assessoria de Imprensa Unesc - Aicom - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing