InternetData CenterAssinante

Jornada da Saúde da Unesc encerra com palestra do deputado federal Osmar Terra

Pandemia da Covid-19 e a retomada da economia foram temas abordados
Jornada da Saúde da Unesc encerra com palestra do deputado federal Osmar Terra
Foto: Divulgação
Por Redação Em 23/05/2020 às 08:40

Após cinco dias de evento com uma programação 100% online e gratuita, a 4ª Jornada Integrada da Saúde da Unesc encerrou na noite desta sexta-feira, dia 22, com a participação do médico e deputado federal Osmar Terra. O evento, que iniciou nesta segunda-feira, dia 18, teve a participação de um público expressivo. Mais de 2.500 pessoas se inscreveram para acompanhar as atividades, que trouxeram profissionais e pesquisadores em mais de 50 lives e palestras para compartilhar conhecimento sob o tema central “Pandemia Covid-19: uma questão de saúde pública”.

O evento foi todo transmitido pelo canal do YouTube da Unesc TV e a programação teve 77 mil visualizações. Segundo a reitora, Luciane Bisognin Ceretta, a Jornada foi um sucesso graças ao empenho e dedicação especialmente dos acadêmicos. “Quero agradecer aos cursos da área da saúde que são protagonistas desse lindo evento que foi concluído hoje. Vocês nos mostraram como conduzir um evento ao formar uma rede solidária que trabalhou com o espírito de coletividade”, afirma.

Para Luciane, a missão da Universidade é promover sempre, novas e diferentes possibilidades do acesso ao conhecimento. A reitora ainda agradeceu ao deputado Osmar Terra pelo aceite do convite para participar do evento. “Na universidade precisamos apresentar os diferentes olhares. Diversidade e respeito são sempre absolutamente necessárias em uma instituição como a nossa”, reforça.

A presidente da comissão organizadora da Jornada da Saúde e presidente do Centro Acadêmico de Farmácia, Gabrielly Ricken, afirma que o evento superou as expectativas tanto em público quanto em integração. “Estamos muito felizes por tudo que aconteceu, pelas pessoas que se disponibilizaram a realizar as palestras e por aqueles que se disponibilizaram a ouvir. O evento superou todas as possíveis expectativas existentes. Sou pura gratidão por cada membro da comissão que se dedicou para esse momento acontecer”.

A chefe de Gabinete da Reitoria, Caroline Bortot também saudou os participantes do evento e foi a responsável pela apresentação do palestrante. O professor doutor da Unesc, João Quevedo, foi o mediador da palestra desta sexta-feira.

 

Isolamento social 

“A pandemia de coronavírus no Brasil e a retomada econômica”, foi o tema abordado pelo médico e deputado federal Osmar Terra na palestra que marcou o encerramento da Jornada da Saúde da Unesc. Em sua fala, o deputado federal chamou a atenção para dados relativos à pandemia de Covid-19 no Brasil e no mundo e reforçou sua posição de a respeito da quarentena.

Segundo ele, o coronavírus mata um pessoa em cada mil, a mesma proporção da gripe em idosos. Ele afirma que a quarentena dá uma falsa sensação de segurança e que a possibilidade de ser infectado estando em casa é de 16%, enquanto que se locomovendo com proteção na rua, é de quase 0%. Ele afirma que não há trabalho científico mostrando que o isolamento social tenha eficácia. “A quarentena está sendo imposta e está se trabalhando com o medo. Pessoas estão morrendo fechadas em casa sem poder trabalhar, andar. Todas as epidemias têm uma curva, que é a natural. Aumenta o número de casos até chegar o momento em que as pessoas têm anticorpos e o contágio começa a diminuir. Força um efeito de imunidade coletiva, já que não se tem remédio ou vacina. Todas as epidemias virais começam e terminam desse jeito, em 13 a 14 semanas”.

Terra apresentou dados sobre a curva de Covid-19 no mundo e segundo ele, todos os países tiveram pico sem achatamento, tendo feito quarentena ou não. Em Nova Iorque, nos Estados Unidos o deputado federal afirma que 84% das pessoas internadas em estado grave ou que morreram eram idosos que estavam em quarentena, especialmente em Instituições de Longa Permanência. 

“As pessoas que morreram estavam em isolamento e foram infectadas. Pessoas que trabalham com idosos devem fazer teste regular, assim como a família que tem contato com esse idoso. A pessoa idosa deve caminhar com máscara, pegar sol, ser bem cuidado, bem alimentado. Deve ter um protocolo de como cuidar dessa população dentro de casa. Além disso, as empresas deveriam comprar testes e fazer em seus empregados”, sugere.

Sobre a economia, o palestrante salientou que a preocupação é com o desemprego gerado com a paralisação das atividades impostas pelo período de isolamento social e com os pequenos proprietários, que têm uma grande chance de ter que fechar seu negócio. Apontou a China como um exemplo de país que não decretou lockdown e em pouco mais de 70 dias controlou a epidemia. “ Como acredito na ciência e que as epidemias têm padrões, vamos em junho estar com essa terminando. O país tem que se recuperar. Todos os países que fecharam foi uma tragédia”.

Terra respondeu a perguntas e também falou sobre a necessidade de fiscalização maior sobre as compras de aparelhos em prol da saúde da população. “Quem faz isso em uma calamidade, epidemia é crime hediondo e a população precisa ficar atenta e fiscalizar”.

 

Saiba mais

O conhecimento compartilhado ao longo dos dias por professores e convidados tem foco na temática “Pandemia Covid-19: uma questão de saúde pública”, sob olhares diferenciados a partir das áreas de Biomedicina, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Medicina, Nutrição, Odontologia e Psicologia.

Se você não conseguiu acompanhar as lives e palestras, pode ter acesso gratuitamente a todas elas pelo canal Unesc TV no Youtube

https://www.youtube.com/channel/UCXS9StZfctFfZxbuzttkIHA

Colaboração: Assessoria de Imprensa Unesc- Aicom - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing