InternetData CenterAssinante

O prazer de brincar: crianças aproveitam os espaços ao ar livre na Satc

Brincadeiras em ambientes externos proporcionam um contato maior com a natureza
O prazer de brincar: crianças aproveitam os espaços ao ar livre na Satc
Foto: Divulgação
Por Redação Em 04/08/2019 às 12:30

Na era da tecnologia, é comum ver cada vez menos crianças brincando em espaços ao ar livre. Mas nas aulas da educação infantil e ensino fundamental I da Satc, os pequenos aproveitam ambientes externos para se divertir nas brincadeiras livres e dirigidas, além de sentir a natureza. Seja no campo ou no parque, é uma oportunidade para conhecer e vivenciar o meio ambiente.

Na infância, utiliza-se o lúdico para fazer os pequenos interagirem entre si e com o mundo ao redor. A brincadeira livre é quando os alunos têm a liberdade de explorar o ambiente como desejam. “Ali as crianças desenvolvem os sentidos, aprendem sobre preservação da natureza e exploram a criatividade. Um graveto pode se tornar uma lupa ou uma varinha mágica para eles”, destaca a professora da educação infantil, Giovana Pagani Daleffe.

Já as brincadeiras dirigidas são quando os alunos precisam seguir algumas regras, como se dividir em grupos. Tem como objetivo fazer que os alunos aprendam a respeitar as normas e aceitar frustações.  “Fizemos uma atividade de jardinagem onde eles compararam flores encontradas na Satc. Com um binóculo, puderam olhar as plantas de outro ângulo e ver o que elas têm em comum”, conta Giovana.

Quem também utiliza as brincadeiras dirigidas é a professora de Educação Física Bruna Semeler. “Eu faço muitos jogos e brincadeiras com eles, como ‘coelhinho sai da toca’ e ‘pega-pega’. Até a parte de conduzir e quicar a bola”, explica. Os espaços externos da Satc mais explorados nas aulas da professora são o campo, a quadra externa e a pista de atletismo. “Eu penso que a importância de estar ao ar livre é a interação maior deles com os colegas, interação com o meio ambiente e o contato com a natureza. Tudo isso contribui para o ponto mais importante da educação física, o desenvolvimento motor”, ressalta Bruna.

Colaboração: Stefanie Machado, acadêmica de Jornalismo Satc.

Leia mais sobre: