InternetData CenterAssinante

De 1959 a 2019, de Siderópolis à Sparks, da Satc à Tesla

História de ex-aluno faz alusão aos 60 anos da instituição de ensino
Por Heitor Carvalho Em 02/05/2019 às 10:00

Em 1959, no dia 2 de maio, em um sábado, por iniciativa da Indústria Carbonífera de Santa Catarina era fundada a Sociedade de Assistência aos Trabalhadores do Carvão. Hoje, quinta-feira, dia 2 de maio de 2019, essa mesma instituição, agora com o nome de Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina (Satc) comemora 60 anos.

Durante essas seis décadas diversas pessoas passaram pelos corredores da Satc, e uma delas foi Anderson Ricardo Pacheco, ex-aluno do curso técnico de eletrotécnica, que estudou na instituição de 1988 a 1992. Atualmente ele ocupa o cargo de engenheiro sênior na unidade de tração da Tesla, em Sparks, no estado de Nevada, nos Estados Unidos da América.

A Tesla é uma empresa americana que se dedica a criação de carros elétricos e tem como CEO, Elon Musk, empreendedor, filantropo e visionário, dono de uma fortuna avaliada em 21,4 bilhões de dólares, de acordo com a Forbes.

Do vislumbre a superação

Anderson nasceu em Criciúma, mas é natural de Siderópolis, cidade onde foi criado junto ao irmão gêmeo Emerson, pelo pai Pedro - já falecido - e pela mãe Odília, de 87 anos. “Eu chamo ela de mãe super bonder. Ela usava essa cola para arrumar meu único par de tênis que eu tinha para ir para a aula”. Além de ter apenas um par de tênis,  o ex-aluno Satc também tinha apenas uma blusa do uniforme. “Era chegar em casa e entregar para a mãe lavar, para dar tempo de secar até o outro dia”, conta Anderson.

Apesar de ter consciência do esforço do pai e da mãe em oferecer condições para um futuro digno, assim que ingressou na Satc, Anderson ficou deslumbrado com aquele universo. O choque de realidade veio com uma reprovação. Reprovação essa que Anderson não tem vergonha nenhuma de esconder de ninguém, pelo contrário, faz questão de contar com uma riqueza de detalhes sobre o ocorrido.

__________________________________________________________________

Eu e meu irmão queríamos ir para a Oktoberfest e o Pai só ia deixar a gente ir, caso nossas notas estivessem boas. E tinha uma matéria que a gente não tinha ido bem, então falsificamos o boletim rasurando a nota. No fim o colégio descobriu e acabamos rodando nessa matéria por não conseguirmos recuperar a nota.
- Anderson Ricardo Pacheco, ex-aluno Satc e engenheiro sênior da Tesla
__________________________________________________________________

Com o desenrolar dessa história a relação entre aluno e escola ganhou um capítulo a mais, mais um ano de duração. “Não foi fácil voltar para a sala de aula. Mas foi a partir da reprovação que comecei a valorizar tudo que meu pais faziam por mim e pelo meu irmão. Eles abriram mão de muita coisa pela gente”, lembra.

Oportunidade de estágio e qualificação profissional

A passagem pela Satc chegava ao fim, era hora de ir atrás de um estágio. “Eu lembro do meu último dia de aula, eu sentado no banco do ônibus, pensando o que que eu ia fazer da minha vida”. A oportunidade para colocar o aprendizado em prática apareceu em um estágio oferecido pela empresa Embraco, localizada em Joinville.

Depois de cumprir os meses de estágio, Anderson foi contratado e ficou 24 anos na empresa, por nove anos atuou como eletricista de manutenção no setor de montagem de compressores herméticos para refrigeração e por 15 anos como especialista de pesquisa e desenvolvimento de motores elétricos. “Eu fazia faculdade das 7h às 13h30 e das 14h às 22 horas eu trabalhava. Quando não estava debruçado em cima de uma máquina, estava debruçado em cima dos livros”.

Durante a estadia em Joinville, Anderson cursou a faculdade de Informática, na Universidade da Região de Joinville (Univille). “Eu estudava durante o trabalho, com a aprovação do meu superior. Ele apostava no meu aprendizado para desenvolver o trabalho necessário”.

Além da formação no curso técnico em eletrotécnica, que foi a primeira do ex-aluno Satc, ele foi além da graduação em informática, adicionando ao currículo uma pós-graduação em Engenharia de Produção, pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), no campus de Joinville e um mestrado também em Engenharia de Produção, na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis.

Procurado pela Tesla

Para Anderson não basta apenas adquirir conhecimento é preciso colocá-lo em prática e foi isso que fez com que aquele guri que nos tempos de Satc tinha apenas uma camiseta de uniforme e um par de tênis com solado colado, chamasse a atenção de uma gigante americana, considerada por muitos uma das empresas mais revolucionárias do mundo.

“Meu objetivo com a dissertação do mestrado não estava só em conseguir a aprovação, eu queria era colocar em prática o projeto que eu tinha feito”. Depois de 20 entrevistas em menos de 24 horas, Anderson teve a oportunidade tão desejada. “Hoje eu tenho orgulho de dizer que é de minha autoria o equipamento que verifica se um motor está pronto ou não para ser colocado em um carro da Tesla”. Anderson transformou em livro a sua dissertação de mestrado: Arquitetura modular de painéis de testes elétricos de estatores, que está disponível para venda no site da Amazon.

Trabalhando diariamente 12 horas, o engenheiro sênior da Tesla segue em constante desenvolvimento.”Assim que um projeto acaba, eu posso ter uma tranquila noite de sono e me preparar para começar um novo projeto”, fala ele rindo sobre a rotina.  

De volta aos corredores da Satc

Convidado pela Satc, para palestrar para os alunos do curso técnico e das engenharias e também para os colaboradores da instituição no evento em comemoração aos 60 anos, Anderson aproveitou as férias de três semanas, e após dois anos longe do Brasil juntou o útil ao agradável. Oportunidade única para rever os colegas de classe, como é o caso de Claiton Pacheco Galdino, empresário criciumense, que estudou com Anderson no curso técnico. “É um privilégio poder acompanhar a jornada do Anderson. A gente sabe a luta que foi, nunca nos separamos e sempre reconhecemos a importância que a Satc teve em nossas vidas”, afirma.

__________________________________________________________________

Trabalhar na Tesla é a realização de um sonho. Simplesmente não dá para explicar. E sem a  Satc eu não teria trilhado os caminhos que me deram experiência e conhecimento para buscar o meu sonho.
- Anderson Ricardo Pacheco, ex-aluno Satc e engenheiro sênior da Tesla
__________________________________________________________________

Para Carlo Antônio Ferreira, diretor geral da Satc, é a trajetória vencedora de Anderson, que faz ele ter uma história digna de ser contada. “A gente tem que no mínimo se inspirar com o Anderson, e se possível colocar em prática o que aprender”.

“Eu tenho certeza que os nossos mineradores quando criaram a Satc em 1959 não tinham ideia de onde a Satc chegaria. De quem nós teríamos no mundo como ex-aluno e ex-aluno que é exemplo de sucesso, com carreira brilhante”, destaca o diretor executivo da instituição, Fernando Luiz Zancan.

Entre agradecimentos por parte do aluno para a escola e da escola para aluno, um agradecimento em especial mexeu com Anderson. Foi uma palavra dita ao pé do ouvido, durante um abraço apertado. “Obrigado”, foi o que Odília Pacheco, disse ao filho, ao poder ter a oportunidade de aos 87 anos ver o caminho que o filho traçou.

Carta de reconhecimento - De: Anderson | Para: Satc

“Aos administradores, professores, colaboradores e alunos da Satc, por tudo que a escola representa na minha vida pessoal e profissional. Aos meus pais, Pedro e Odília Pacheco por apontarem o caminho em direção à Satc, Sociedade de Assistência aos Trabalhadores”. Aos meus irmãos que juntamente com os meus pais, financiaram meus estudos técnicos. À minha esposa Tatiane Rieper e minha filha Letícia Pacheco por me motivarem a continuar meus estudos e a embarcar nas aventuras pelo mundo. Foram vocês todos que abriram a minha mente e me ajudaram na conquista do meu maior sonho, o de desenvolver e instalar linhas produtivas de estatores para motores de veículos elétricos. Não existem palavras que expressem a minha gratidão à todos que fizeram parte deste ciclo de aprendizado, sonhos e conquistas.

Eternamente grato e feliz por ser parte dos 60 anos de existência de uma Instituição reconhecida por transformar vidas e realizar sonhos.”

Anderson Ricardo Pacheco
Ex-aluno do curso de eletrotécnica
Turma de 1992

Clique na imagem para conferir na íntegra a palestra “Efeito Satc” com Anderson Pacheco, ex-aluno da Satc e engenheiro sênior da Tesla.