Educação

Santa Catarina

Educação reduz custos e amplia o número de professores em sala de aula

Medidas foram tomadas após estudo por parte da Secretaria de Estado da Fazenda

10
JUN
2018
| 09h20
09h20
Redação Engeplus
Jornalista | Portal Engeplus
Escreva para a redação referente a esta matéria
Enviar mensagem

Este contato será envido de modo restrito para o jornalista.
Contribua com a matéria
Dúvidas, sugestões ou contribuições
Divulgação

Mantendo a política do Governo do Estado de controle absoluto dos gastos e alinhada ao propósito de reduzir a máquina pública, a Secretaria de Estado da Educação (SED) está dando mais um passo no processo de racionalização da estrutura administrativa. Baseada em estudo técnico realizado pela Secretaria de Estado da Fazenda, a secretária Simone Schramm determinou a imediata implementação de duas medidas.

A primeira foi a suspensão de 476 funções gratificadas pagas a servidores em exercício na sede do órgão - o número de funções que serão mantidas ainda será definido.

A segunda ação é o retorno às salas de aula de 114 professores que até então estavam desempenhando funções administrativas (a lista foi publicada no Diário Oficial do Estado da última sexta-feira).  "Estes profissionais participaram de projetos importantes, mas cumpriram suas missões e não há mais justificativa para mantê-los afastados das escolas", explica a secretária, que acompanhou todo o trabalho de levantamento de dados.

O diagnóstico, que contou com a colaboração de profissionais da Fazenda e da Educação, traz uma série de recomendações. Uma delas é fortalecer o quadro administrativo, o que evita o deslocamento de professores das escolas - cada vez que um professor é tirado da sala de aula, o Estado é obrigado a contratar um profissional temporário (ACT's), o que onera a folha de pagamento. O estudo também identificou o número excessivo de funções gratificadas: 3 a cada 4 servidores recebiam alguma gratificação. O custo anual dessas funções gratificadas atinge o montante de R$ 12,7 milhões. A estimativa é de que, com a redução das gratificações e a volta destes 114 profissionais às salas de aula, seja possível economizar algo em torno de R$ 9,5 milhões até o final do ano.

Colaboração: Secom

Fala Leitor
Se você possui uma sugestão de pauta, artigo ou um fato que deseja noticiar, entre em contato conosco pelo Fala Leitor.
imagens recentes no Portal
Atrações especiais marcam aniversário de oito anos da Feira LivreExperiência de Oração será realizado neste fim de semanaMobilidade urbana norteia debate do Cultura AcicGestantes recebem orientações sobre gravidez e cuidados com os bebêsSuspeitos de cometerem homicídio são presosUnesc comemora 50 anos em evento com a participação da comunidade