InternetData CenterAssinante

Novos serviços ou até venda no futuro do Complexo

Novos serviços ou até venda no futuro do Complexo
Foto: Guilherme Hahn / Jornal da Manhã / Arquivo
Por Denis Luciano Em 23/11/2017 às 14:48

Vencido o impasse que vinha pautando a transferência legal da posse do Complexo de Educação, a edificação já está no patrimônio da Unesc. Agora, a Universidade traça metas para a utilização do espaço. Entre as alternativas, a instalação de serviços ou até a venda da área.

“Temos um grupo que está avaliando e ao longo do mês de dezembro vamos divulgar qual a nossa estratégia para o Complexo”, revela a reitora da Unesc, Luciane Ceretta. “Mas a Unesc adquiriu o Complexo em leilão, vencemos algumas etapas burocráticas e agora aquele imóvel é da Universidade, de fato e de direito”, confirma o vice-reitor Daniel Preve.

Conforme a reitora, o espaço pode ser ocupado por meio de parcerias. “Abrindo ali serviços novos da Unesc e levando para esse espaço alguns atuais”, pontua. O vice-reitor faz parte do grupo que estuda alternativas para o futuro aproveitamento do Complexo. “Vamos apresentar claramente a nossa proposta, se é ocupar ou vender”, explica Preve. A reitora comenta que há interessados na compra. “Recebemos sim algumas propostas, trata-se de uma área nobre da cidade”, lembra.

O prédio foi erguido para abrigar uma escola e uma série de serviços da área de educação do município. Concebido na primeira gestão do prefeito Clésio Salvaro, o Complexo começou a ser construído em 2011, parou em outubro de 2012 e chegou a ser batizado com o nome do saudoso deputado Nereu Guidi. A Unesc arrematou o espaço em leilão realizado em 2014, concordando com o valor requerido pelo município, de R$ 10,7 milhões. Houve um acerto de contas posterior envolvendo créditos que a instituição tinha junto ao município com bolsas de estudo.