InternetData CenterAssinante

Superintendente regional da Casan faz balanço de obras na região de Criciúma

A Superintenência Sul/Serra tem atualmente 531 funcionários em sua área de abrangência
Superintendente regional da Casan faz balanço de obras na região de Criciúma
Foto: Jessica Rosso
Por Jessica Rosso Em 09/03/2021 às 14:36

O que a Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) tem feito na região Sul de Santa Catarina nos últims meses? Para responder a esta pergunta, o superintendente da Regional de Negócios Sul/Serra, Gilberto Benedet Junior, esteve no Portal Engeplus para um balanço das principais atividades executadas na região de Criciúma. Ele explica que a gestão técnica da companhia buscou adequar seu processo interno durante os dois últimos anos de Governo Estadual para dar eficiência a uma lista de obras que deve ser entregue no prazo.

A Superintenência Sul/Serra tem atualmente 531 funcionários em sua área de abrangência e 107 fucionários na agência de Criciúma. "O Sistema de Gestão de Processo Eletrônico (SGPE) acabou de ser implantado, e deve facilitar o trâmite de documentos internos, tornando a entrega de obras mais rápida", informou o engenheiro. 

Nova estrutura em Criciúma

Em Criciúma, a Casan atua em nova estrutura. Localizado no bairro Ceará, em pavilhões localizados no fundo da Unimed, o novo espaço agrega a Superitendência Regional Sul/Serra, a Agência de Criciúma e o almoxarifado central, que atende toda a área de abrangência da Superintendência Sul/Serra (37 municípios, desde Paulo Lopes até Passo de Torres, no Litoral, e a região de Braço do Norte e Serra Catarinense). 

Com a mudança, a previsão é que a companhia garanta uma economia de cerca de R$ 280 mil anuais em questões envolvendo aluguel e segurança. "Esperamos ser um valor muito maior que esse, porque vamos evitar gastar combustível, por exemplo, que era gasto a cada ida ao almoxarifado e no deslocamento de funcionários. Além disso, a logística vai ser muito melhor para o atendimento de toda a demanda", explica o superintendente.

Por estar próximo da Via Rápida, a nova localização acaba por se tornar uma uma posição estratégica para a Casan, tanto para o fluxo da engenharia como para a manutenção, recebimento e deslocamento de materiais. "Então vem ao encontro do que a gente quer, que é tornar a empresa mais eficiente", afirma Junior. "Além disso, tem a qualidade do trabalho, pois antes estávamos em uma estrutura que não era adequada, era apertada, e no novo local há espaço necessário para o funcionamento do trabalho, acessibilidade para os funcionários, refeitório adequado e outros detalhes", ressalta.

A atuação em obras em andamento em Criciúma

Em Criciúma, a Casan está envolvida em duas grandes obras que estão em andamento: o sistema de esgotamento sanitário do bairro Próspera e o sistema dos bairros São Luiz e Michel.

No bairro Próspera, o sistema deve aumentar cinco mil ligações na região de Criciúma, beneficiando 33 mil habitantes. "Estão sendo implantados 92 quilômetros de rede, coletora de esgoto, e uma nova estação de tratamento, que fica no bairro Demboski e atenderá esses habitantes. A obra tem o investimento de cerca de R$ 52 milhões com previsão de conclusão entre 60 e 90 dias. Depois disso, a estação inicia a operação e os munícipes poderão fazer a ligação do esgoto na residência", destaca o superintendente. 

Já no sistema dos bairros São Luiz e Michel, que está em andamento em paralelo com as obras do binário da avenida Santos Dumont, a rede terá um aumento de  2,4 mil ligações para coleta de esgoto em Criciúma. "Um investimento de R$ 64 milhões", afirma Junior.

A obra também influencia na ampliação da estação de tratamento que fica no bairro São Defende. "Estamos ampliando a estação para poder receber essa demanda de esgoto". As duas obras devem ser concluídas dentro de 60 dias. 

Além disso, Junior explica que nos próximos meses deve começar a construção da nova adutora de abastecimento de água de sistema integrado. "Estamos apenas aguardando a liberação ambiental para esta obra. A empresa já está contratada para executar. Será uma adutora de 800 milímetros que virá do Picadão, em Nova Veneza, até a estação de tratamento de água no São Defende. São 6.500 metros de rede e  800 milímetros de ferro fundido". Um investimento de R$ 24 milhões que irá ampliar em 50% a capacidade de adução de água bruta.

Com isso, a Casan garante um volume 50% maior de água e atender à demanda atual e futura da região. A previsão de conclusão é para final de 2022. A obra deve iniciar de imeditado após a licença ambiental. "Vinculada a essa obra está a ampliação da estação de tratamento de água. São mais 500 litros por segundo (capacidade do tratamento), sendo uma segurança para daqui 30 anos". A companhia ainda avalia outras obras de reservatórios de água para a região.