InternetData CenterAssinante

Pandemia muda perfil do consumidor: ‘quer lazer dentro de casa’, diz organizadora da CasaPronta

Feira acontece no Pavilhão José Ijair Conti e encerra neste domingo
Pandemia muda perfil do consumidor: ‘quer lazer dentro de casa’, diz organizadora da CasaPronta
Foto: Thiago Hockmüller/Portal Engeplus
Por Thiago Hockmüller Em 10/10/2021 às 09:07

As restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus produziram alteração no perfil do consumidor nas áreas de construção civil, mobiliário e decoração. Este é o fenômeno observado pela diretora da NossaCasa Feiras & Eventos, Jaqueline Backes, que também é a organizadora da Feira CasaPronta, evento que acontece no Pavilhão de Exposições José Ijair Conti, em Criciúma

Em entrevista ao Portal Engeplus, ela esclarece que os consumidores estão mais propensos a itens de lazer que ofereçam qualidade de vida dentro do próprio lar. Isto, claro, fomentou o lançamento na região de diversos empreendimentos imobiliários, a maioria deles com áreas de lazer. 

“Os dados mostram que as pessoas aqui na nossa região estão buscando muito pelos imóveis com churrasqueira na sacada, com playground maior, que ofereçam todo esse lazer. Se for observar os novos lançamentos, desde o popular até o alto padrão, a área de lazer é um dos itens que faz parte. Antes se pensava muito na construção e no número de apartamentos, mas hoje a qualidade de vida dentro do empreendimento é muito grande porque o consumidor está pedindo isso”, explica. 

O conceito é que áreas gourmets e playgrounds, ou até mesmo sofás e colchões confortáveis deixam de ser artigos de luxo e viram necessidade, sobretudo porque as pessoas estão passando mais tempo dentro de casa. E isto demanda conforto e está refletindo diretamente na Feira CasaPronta.

“As empresas que estão aqui cresceram muito durante a pandemia, justamente por esse olhar de que a gente resolveu investir mais dentro de casa, reformar e construir. Imóveis como casas e sítios foram muito procurados porque as pessoas estavam trancadas dentro do apartamento, muitas vezes pequeno. Para quem estava o dia inteiro fora, o apartamento pequeno era fantástico. Era um trabalho a menos, chegava em casa só a noite… e aí a gente voltou a ficar dentro de casa, então teve uma mudança no perfil do consumidor na construção civil muito grande”, pondera. 

Não é luxo, é necessidade. Se observar os lançamentos que estão acontecendo na feira, todos eles têm essa área de lazer bem enfatizada, desde o popular até o alto padrão. As pessoas querem ter esse espaço dentro de casa e a oportunidade, principalmente para quem tem filhos, de ter essa estrutura pela segurança e qualidade de vida. As construtoras estão mais ligadas nisso porque o consumidor está pedindo isso. 

Jaqueline Backes, organizadora da CasaPronta 
__________

Negócio fechado

Com o setor da construção civil aquecido na pandemia, a CasaPronta também se tornou um sucesso. Jaqueline explica que tem sido positivo o número de negócios concretizados dentro da feira, e isso inclui também os setores de decoração e mobiliário. Em 2019, último ano em que o evento foi realizado, a procura foi por materiais de construção.

“Isso mostrava a tendência de crescimento do setor da construção. Esse ano a gente fala com os expositores e eles vêm nos procurar para dizer que o consumidor está vindo para compra, porque esses meses todos dentro de casa fez com economizassem. Deixamos de viajar, de gastar com roupas, festas, muitos guardaram dinheiro e agora estão voltando a consumir. E observaram a necessidade de qualidade de vida dentro de casa”, argumenta.


Evento reúne 150 expositores no Pavilhão de Exposições José Ijair Conti.

Feira CasaPronta encerra neste domingo

Para o público interessado em visitar a Feira CasaPronta, há uma série de protocolos sanitários que foram adotados pela organização para manter a segurança. É necessária a utilização de máscara e os ambientes contam com dispensers com álcool gel. Logo na entrada também é realizada a aferição de temperatura. 

Dentro do plano de contingência, ficou estipulada capacidade máxima de 1,5 mil pessoas simultâneas dentro do pavilhão. Já os corredores possuem largura mínima de três metros, sem qualquer obstrução para evitar aglomerações e garantir o distanciamento entre os visitantes.  

Na praça de alimentação, as mesas não podem conter mais que quatro pessoas e estão dispostas com no mínimo 1,5 metro de distância entre si. Também não é permitido consumo de alimentos nas vias de circulação para garantir a utilização integral da máscara.

A CasaPronta encerra neste domingo, dia 10, quando receberá o público das 14 às 19 horas. Os ingressos estão disponíveis pelo valor de R$ 5 na recepção da feira, ou online, em www.feiracasapronta.com.br. Crianças menores de 12 anos de idade devem estar acompanhadas de seus responsáveis e não pagam ingresso.