InternetData CenterAssinante

Os pontos positivos e negativos da nota de R$200

Conselho Monetário Nacional aprovou a criação da nota na quarta-feira, dia 29
Por Jessica Rosso Em 30/07/2020 às 16:42

O anúncio de um novo tipo de cédula movimentou as redes sociais na quarta-feira, dia 29. Foram vários os comentários sobre a nota de R$ 200 que passa a circular no mercado a partir do fim do mês de agosto deste ano. O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou ontem a criação da nota. A notícia virou 'meme' e também foi motivo de inúmeros questionamentos, como por exemplo, a relação com a inflação. Mas afinal, quais são os pontos positivos e negativos da nota de R$200?

A reportagem conversou com o economista Henrique Tancredo sobre o assunto. Ele explicou que a justificativa do Banco Central é porque há mais demanda por moeda."A gente pode reconhecer demanda por moeda como a preferência do indivíduo em ter moedas ou adquirir produtos, então ele pode fazer reserva ou fazer a aquisição de produtos. Acontece que estamos em uma época onde as pessoas (de acordo com o Banco Central) estão fazendo mais reservas monetárias, e o que acontece é que muitas pessoas estão guardando o dinheiro em espécie, e para o Governo é mais 'barato', por exemplo, emitir nota de R$200". Por conta do custo de produção e o valor de face da moeda, faria sentido a nova nota, explicou o economista. Ele mencionou que o ponto positivo para o cidadão seria a demanda por moedas 'satisfeita', com o custo menor para o Governo.

Um fator muito importante, destacado por ele, é que a nota de R$200 pode ter um custo maior que as de R$100 e R$50 por conta da preocupação com a falsificação. "Quanto maior o nível da nota, maior a preocupação que se tem com a falsificação. Isso faz com que o custo seja maior, nada muito exagerado, mas um pouco maior".

Quanto a inflação, Tancredo disse que ela tem efeito muito direto na nota de R$200. "A inflação acaba levando a esse aumento das unidades monetárias, acaba tendo essa relação bem íntima com esse tipo de prática".

Conforme o economista o que levou a essa nova nota a circular tem muito haver com a inflação. "A inflação afeta negativamente a vida do indivíduo, porque ela sempre prejudica a população de menor renda". Por fim, brincou sobre os memes que fazem menção à dificuldade em ter troco, já que isso pode acontecer em um supermercado, por exemplo.

Sobre a nova cédula:

A cédula terá como personagem o lobo-guará, espécie que ficou em terceiro lugar em uma pesquisa realizada pelo BC sobre quais animais em extinção deveriam ser representadas em novas cédulas. A diretora de administração do Banco Central, Carolina de Assis Barros, disse que o lançamento da nova nota é uma forma de a instituição agir preventivamente para a possibilidade de aumento da demanda da população por papel moeda.

Segundo o BC, entre março e julho deste ano, um dos efeitos econômicos da pandemia de Covid-19 foi o aumento de R$ 61 bilhões no entesouramento de moeda, ou seja, notas que deixaram de circular porque a população deixou o dinheiro em casa. 

De acordo com a diretora, não há falta de numerário no mercado, mas o BC entende que o momento é oportuno para o lançamento da nova cédula diante da possibilidade de aumento na demanda. “Estamos vivendo neste momento um período de entesouramento, efeito derivado da pandemia. O Banco Central nesse momento não consegue precisar por quanto tempo os efeitos do entesouramento devem perdurar”, disse a diretora. 

Em entrevista coletiva, Carolina também afirmou que a imagem da nota de R$ 200 ainda não está disponível porque está na fase final de testes de impressão. O lançamento está previsto para o final de agosto deste ano.

Segundo o BC, a tiragem em 2020 será de 450 milhões de unidades, equivalentes a R$ 90 bilhões.

Fonte: Agência Brasil

Leia mais sobre: