InternetData CenterAssinante

Amesc apresenta redução no número de empregos no primeiro semestre de 2020

Mesmo na pandemia, três cidades conseguiram ter resultado positivo
Amesc apresenta redução no número de empregos no primeiro semestre de 2020
Foto: Divulgação
Por Redação Engeplus Em 04/08/2020 às 15:39

A Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense (Amesc) divulgou os números referentes a geração de empregos na região no primeiro semestre de 2020. A Amesc teve um decréscimo de menos 1.039 empregos, com um percentual de - 2,82%, em relação ao mesmo período do ano passado. O índice é semelhante ao do Estado, que apresentou perda de 53.592 empregos, em um percentual de -2,58%, de janeiro a junho de 2020 no comparativo ao primeiros seis meses do ano anteiror. O destaque ficou para Turvo que cresceu + 1,13%, Morro Grande + 2,80% e Ermo, líder de crescimento, com +9,23%. O ponto negativo foi com Sombrio que perdeu 698 empregos (percentual de -10,97%).

O responsável pelo movimento econômico da Amesc (Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense) Ailson Piva, aponta que os dados são computados pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho.  O setor agropecuário trouxe reflexos positivos para Turvo (+16) e Araranguá (+7). O saldo final foi de 18 vagas criadas. Já na área de comércio, apenas Santa Rosa do Sul (+9) atingiu números positivos. Araranguá (-326) e Sombrio (-197) tiveram índices bastante negativos no setor. Foi a área com maior perda de empregos, com menos 662 postos de trabalho.

Já em relação a área de construção,  os números intercalaram bastante, chegando em um total negativo de 91 vagas. No ranking de perdas, o segmento da indústria chegou a menos 309 vagas. Apesar disso, Araranguá teve nesta área a contratação de 251 pessoas, sendo que a maior perca foi em Sombrio com menos 421. Na tabela de serviços a soma deu cinco postos a mais preenchidos. Araranguá foi quem mais contratou (40) e Sombrio quem mais demitiu (52).

Referente ao mês de junho, o saldo foi negativo, com perda de 114 empregos. Serviços e agropecuária tiveram índices positivos, mas comércio, construção e indústria foi negativo. Para o responsável pelo movimento econômico, os números trazem reflexões mais positivas. “Vivemos um ano de bastante complexidade, mas a média tem sido bastante estável para o extremo sul. Nosso povo tem trabalhado e buscado alternativas, uma marca desta região”, disse Piva.

Para o presidente da Amesc, prefeito de Balneário Gaivota, Ronaldo Pereira da Silva, gestores municipais, empreendedores e cidadãos tem se preocupado em lutar para superar todas as dificuldades. “Temos enquanto prefeitos a preocupação de conscientizar as pessoas diante da pandemia da saúde para que o setor econômico seja menos penalizado. Não é fácil gerenciar todos os reflexos. Se cada um se prevenir e fazer a valorização de nossa terra, vamos superar a tudo isto que viemos enfrentando”.

Colaboração: Renata Tonetto Angeloni/Assessoria de Comunicação da Amesc

Leia mais sobre: